Estudantes da rede municipal de Educação de Hortolândia participam, anualmente, de projetos voltados à sensibilização, conscientização e educação ambiental. As atividades interdisciplinares ocorrem dentro de projetos desenvolvidos pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia e também por iniciativa de profissionais da rede. Em razão da pandemia do Coronavírus, neste ano, as atividades são disponibilizadas por meio do espaço “Educação na Rede”, hospedado no site oficial da Prefeitura (www.hortolandia.sp.gov.br).

A temática do Meio Ambiente consta no Projeto Político Pedagógico de cada escola, que tem autonomia para elencar as ações que desenvolverá. São projetos como “Horta”, “Cozinha Sustentável”, “Meio Ambiente”, entre tantos outros realizados durante o ano letivo nas unidades escolares. Em conjunto com essas ações, as escolas também trabalham projetos encaminhados pela própria Secretaria, como o “Gota d’água”, em parceria com o PCJ (Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), desenvolvido há 27 anos na rede. O projeto contempla alunos da Educação Infantil, do Ensino fundamental I e II, chegando até a EJA (Educação de Jovens e Adultos), com discussões, reflexões e propostas de soluções relacionadas ao uso e preservação dos recursos hídricos.

Segundo a coordenadora pedagógica e interlocutora de projetos ambientais do Centro de Formação de Profissionais em Educação “Paulo Freire”, Juliana Santos Borelli, nos anos anteriores, os alunos participaram da revitalização dos espaços externos das escolas com jardinagem, plantio de hortas e árvores, construção de brinquedos recicláveis, compostagem e até mesmo a construção de uma cisterna na Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Bairro Três Casas, que mobilizou toda a comunidade para a execução do projeto. 

Hoje, com as aulas presenciais suspensas devido à pandemia do Coronavírus, a proposta de trabalho foi além dos muros das escolas.  De acordo com a profissional, mesmo durante esse período de ensino remoto, a adesão de professores e a participação dos alunos, pais e familiares em projetos relacionados ao Meio Ambiente foi muito expressiva. 

“Tivemos ações como plantio de horta, cartazes no portão da residência de alerta para a vizinhança sobre o uso consciente da água, mudanças de hábitos com o reaproveitamento da água da máquina de lavar roupas, a utilização da vassoura para limpeza de calçada e quintal, diminuição do tempo do banho e até uma feira de trocas de brinquedos, respeitando todos os protocolos de segurança e higiene, entre outras ações”, relata Juliana. 

De acordo com Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a partir do mês de julho, a proposta de trabalho terá como tema “A Década da Transformação: alcançando as metas da Agenda 2030, a partir da Educação”. A ideia é trazer importantes reflexões para a continuidade do trabalho de sensibilização, conscientização e educação ambiental. O objetivo do novo projeto será intensificar as ações com a comunidade escolar, diante da observação e do reconhecimento de situações voltadas à utilização, conservação e cuidados dos recursos hídricos, do meio ambiente e seus impactos em diferentes esferas da sociedade. 

Junho Verde 

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (22/06), o projeto de lei PL 1.070/2021 que institui a Campanha Junho Verde a ser promovida anualmente pelos Poderes Públicos Federal, Estadual e Municipal, em parecria com empresas, escolas e entidades da sociedade civil. A proposta objetiva um mês inteiro dedicado a ações de sensibilização e conscientização ambiental. 

O mês de junho foi escolhido por conter e trabalhar datas como Dia Mundial do Meio Ambiente (05/06), Dia Mundial dos Oceanos (08/06) e Dia Mundial do Combate à Desertificação (17/06). A proposta será analisada agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e pelo Plenário.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Artigo anteriorPrefeitura trabalha na conclusão das obras da terceira faixa na avenida da Emancipação
Próximo artigoProjeto online mostra os patrimônios culturais imateriais do município