Trabalhando a divulgação da música autoral “Fichas na mesa”, lançada em março deste ano, a cantora e compositora Carol Franco projeta para ainda neste ano a retomada progressiva dos shows. Mesmo com a pandemia do coronavírus ainda assolando o mercado artístico, a expectativa é de que com o avanço da vacinação, o setor possa ser, aos poucos, flexibilizado para o segundo semestre de 2021.

Com um show bastante dinâmico, e que atende todo o tipo de público, a artista tem em seu repertório sertanejo canções que marcaram gerações, além de grandes sucessos da atualidade. Sua apresentação pode ser adaptada a qualquer tipo de evento, seja ele corporativo, particular ou casas de show, desde que estejam de acordo com os protocolos de higiene e segurança determinados pelos órgãos de saúde local.

Neste ano, Carol Franco divulgou, no Youtube, a música “Fichas na mesa”. A canção, a primeira a ser trabalhada pela a artista, é uma composição própria, em parceria com Felipe Rodrigues e Durvail Monteiro. A produção musical foi de Johnny Coutto. O single já está disponível nas principais plataformas de distribuição digital.

Fichas na mesa:

A faixa ganhou um belo clipe com imagens captadas no Rancho & Pesqueiro Villa Hípica, em Valinhos/SP, e na H2 Club Campinas – Poker, em Campinas/SP. A direção de vídeo ficou a cargo de Márcio Franco e Luciane Franco, com produção de Tony Lima e Kawan Lima, Tony Lima PHOTOgraphy.

CAROL FRANCO

Natural de Campinas, cidade do interior do Estado de São Paulo, a cantora e compositora Carol Franco, desde pequena, sempre teve o entretenimento presente em sua vida. Ainda criança, adorava filmar as brincadeiras que ela e o seu irmão, Caíque, faziam – sejam cantando músicas em palcos improvisados de artistas como Hannah Montana, Devi Lovato e Katy Perry, ou atuando como atores, simulando peças teatrais.

A música, de certa forma, sempre foi a melodia de sua família. Seus pais, Luciane e Márcio, se conheceram em um karaokê. Aliás, sua mãe, adora cantar. Um de seus tios, Eduardo, é músico, e é Patrono dos Violeiros da cidade de Salto, interior paulista. Sempre que o visitava, Carol ficava encantada com sua habilidade em cantar e tocar viola.

Aos nove anos de idade, Carol começou a fazer aulas de teatro com o professor Kaíto Prado. Um dia, ela foi convidada para cantar a capela, em forma de ópera, da música “Atirei o pau no gato”. Foi neste momento, que seus pais e professor enxergaram um grande potencial nela. Aos poucos, Carol foi se dedicando e aperfeiçoando cada vez mais, fazendo aulas de canto com o professor Jaime Correa, de violão com o professor Claudio Viotto e de preparação vocal com o doutor Joel Pinheiro.

Entre uma palinha e outra em festas de familiares e amigos, Carol foi adquirindo mais confiança em se apresentar em público. Não demorou muito para que ela subisse ao palco, pela primeira vez, aos 15 anos, em um show na cidade paulista de Sumaré. Era o que faltava para que ela tivesse a certeza que, daquele momento em diante, o palco seria presença constante em sua vida.

Eclética, Carol ouve de tudo, desde pop internacional, trap internacional e nacional, pagode, samba, rap, MPB, além, é claro, do sertanejo. Entre suas principais influências, estão artistas como Katy Perry, Ana Carolina, Marisa Monte, Lauana Prado, Marília Mendonça e Zé Neto & Cristiano.

Em 2021, Carol lançou o seu primeiro single autoral. “Fichas na mesa” é uma composição própria, em parceria com Felipe Rodrigues e Durvail Monteiro. A produção musical foi de Johnny Coutto. A faixa ganhou um belo clipe com imagens captadas no Rancho & Pesqueiro Villa Hípica, em Valinhos/SP, e na H2 Club Campinas – Poker, em Campinas/SP. A direção de vídeo ficou a cargo de Márcio Franco e Luciane Franco, com produção de Tony Lima e Kawan Lima, Tony Lima PHOTOgraphy.

Com apenas 19 anos, e com muitas histórias ainda para escrever, Carol acredita que a música pode transformar vidas e trazer felicidade. E, desta forma, as pessoas possam se identificar com suas composições, que elas vejam ali suas histórias e gostem do que estão ouvindo, tocando suas almas e seus corações.

Artigo anteriorMaior conjunto viário de Hortolândia promoverá transformação no trânsito da cidade
Próximo artigoProjeto “A Cara da Cidade” realiza instalações artísticas com lambes em Hortolândia