A construção do maior conjunto viário de Hortolândia, projetado pela Prefeitura, já começou. A ordem de serviço para o início das obras do complexo que terá 5,1 km de extensão foi dada nesta semana. A intervenção vai desde a Vila Real, na região central, até a área sob a Ponte da Esperança, próximo da avenida Panaíno, no bairro Green Park, interligando avenidas, integrando bairros e contribuindo para melhorar o fluxo de veículos na cidade, garantindo mais desenvolvimento para o município. De acordo com a Secretaria de Obras, a limpeza do terreno para início da primeira etapa dos trabalhos já acontece em uma área verde próxima ao Jardim Minda, sentido avenida Amélia Basso Breda. Pela grandiosidade do complexo, as obras serão feitas em etapas.

Segundo a Secretaria de Obras, o prazo de execução do trabalho é de 12 meses. As intervenções serão realizadas com recursos do Banco CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), proveniente de financiamento internacional contratado pela Prefeitura em 2018 para realização de diversas obras de infraestrutura e mobilidade urbana, ações que garantirão a retomada do desenvolvimento econômico da cidade.

“Este complexo viário é de extrema importância para o desenvolvimento de Hortolândia. Com a realização de todas as etapas da obra, várias regiões se interligarão. Do ponto de vista do planejamento urbano, teremos a diminuição do tempo para os motoristas que saem, por exemplo, das regiões dos jardins Minda e Nova Hortolândia e, até mesmo do Campos Verdes e Santa Clara do Lago, para irem sentido à Vila Real. A urbanização embaixo da Ponte da Esperança (Estaiada) também trará grandes benefícios. A complexidade da obra colaborará para desafogar o trânsito na avenida da Emancipação, próximo à EMS, além da região central. Quem for sentido Sumaré, conseguirá evitar a passagem em nível sobre a linha férrea, na avenida São Francisco de Assis. Além disso, quando a construção do viaduto neste local estiver em construção, o complexo viário aliviará o trânsito pelo Viaduto 17 de Abril, cuja pista é simples. Enfim, a obra do complexo mudará totalmente a disposição viária da cidade”, explica o secretário de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, Carlos Roberto Prataviera Júnior.

PROLONGAMENTO DE AVENIDAS E URBANIZAÇÃO DE ÁREAS

A obra terá, em uma das extremidades, a construção de uma nova avenida como prolongamento da rua Amélia Basso Breda (rua da feira, na Vila Real), que se estenderá até a rua Pacaembú (Jd. Carmem Cristina), próximo da avenida Sabina Baptista de Camargo, com transposição sobre o córrego da Vila Real. Este viário terá aproximadamente 1,5 km de extensão, trecho dotado de iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia.

A partir deste ponto, uma nova rua com 370 metros será projetada e construída para ligação da nova avenida até a rua Frederico Alves da Costa (Jd. Nova Hortolândia). Ela terá iluminação de LED em todo trecho e pista de caminhada. Uma via de ligação também será construída desde a rua Frederico Alves da Costa até a rua Amazonas (Jd. São Jorge) com cerca de 330 metros, também com iluminação em LED em todo trecho e pista de caminhada ao longo do sistema.

Já no Jd. Carmem Cristina, uma ponte será construída para acesso da rua Flamboyant (rua da Delegacia de Polícia) à nova avenida. Haverá, ainda, a duplicação do trecho viário da avenida Sabina Baptista de Camargo, desde a rua Nossa Senhora do Carmo (Jardim Minda) até o cruzamento com a avenida Carlos Roberto Prataviera (que dá acesso ao cemitério), na rotatória atrás da empresa Magneti Marelli e ao lado do Parque Socioambiental Remanso das Águas. Uma ponte será construída neste trecho, sobre o córrego que corta a via, elevando a altura da pista e evitando inundações em dias de chuva forte. Todo este trecho do sistema viário terá aproximadamente 1,4 km com iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia.

A obra prossegue com a canalização do córrego e a urbanização da área sob a Ponte da Esperança. A área lateral ao reservatório de contenção de enchentes que fica sob a ponte será transformada em um novo espaço de convivência para desfrute da população, com equipamentos públicos de lazer e duas travessias para pedestres sobre afluentes do Ribeirão Jacuba. Ao lado desta nova área de lazer, a nova avenida prosseguirá até a avenida Panaíno, atrás do Condomínio Green Park. A obra contempla, ainda, a ligação do viário que será construído à Panaíno, com sobreposição da linha férrea. Nesta outra extremidade da obra, são 1,5 km de sistema viário com iluminação em LED em todo trecho, pista de caminhada, ciclovia, academia ao ar livre, playground, espaços de convívio com lixeiras e bancos, além de estacionamento. 

PARQUE LINEAR

A área ambiental terá destaque nesta obra, com a criação de um parque linear na região central, margeando a rua Luiz Camilo de Camargo, do lado direito de quem segue sentido centro, paralelo à linha férrea, desde o Remanso Campineiro, até o Parque dos Pinheiros, no cruzamento com a avenida da Emancipação. O parque linear prossegue no trecho do Jardim Carmen Cristina até a duplicação da avenida Sabina Baptista de Camargo, mantendo o padrão das áreas de lazer do município: iluminação em LED, pista de caminhada e ciclovia, espaço para implementação de academia ao ar livre e espaços de convívio em todo o trecho.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Artigo anteriorPresos do CPP Ataliba são flagrados com materiais ilícitos ao retornarem da saída temporária
Próximo artigoCarol Franco projeta retomada de shows para o segundo semestre de 2021