Estrutura é alternativa de trajeto mais rápido para motorista em horário de pico

A Ponte da Esperança (estaiada), construída pela Prefeitura de Hortolândia para integrar as regiões Leste (Jd. Novo Ângulo) e Oeste (Jd. Amanda) da cidade, também agiliza o tráfego de veículos para quem segue da região central à região do Jd. Rosolen. O trajeto mais curto é pela avenida da Emancipação. No entanto, nos horários de pico, o congestionamento que se forma neste trecho impede que o trânsito flua com agilidade. Para ganhar tempo, muitos motoristas têm optado por seguir pela Ponte da Esperança, de onde é possível acessar a Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101), na altura do Jd. Rosolen.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, o trajeto para chegar ao Jardim Rosolen, realizado pela Ponte da Esperança leva, com trânsito normal, aproximadamente oito minutos. Já o caminho realizado pela avenida da Emancipação, no horário considerado de pico, leva de 17 a 20 minutos, por causa do congestionamento.

Para acessar o Jardim Rosolen pela Ponte Estaiada, o motorista deve entrar na rua José João da Silva, seguindo pela rua Industrial Geovane Passarela. Em frente ao restaurante Frango na Brasa acessará a avenida Osvaldo de Souza, onde deve seguir até a rua Antônio Gonçalves Pires Filho e entrar na avenida Antônio Ferreira Ariel chegando até a rua Flaviano Lopes Serra. 

Neste ponto, o acesso deve ser feito na rua Vereador Antônio de Melo Costa e ao final desta rua o motorista fará uma rotatória e seguirá pela rua Sebastião Isidro Rocha, onde sairá em frente a EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) do Jardim Sumarezinho, já na rua Osório Cândido da Silva. Ao final desta via, em frente a Vidraçaria Freitas, o condutor deve virar à esquerda e entrar na rua Waldiva Fernandes Duarte Silva até a ponte de acesso ao Jardim Rosolen, que passa por cima da Rodovia SP-101. 

Ali já é a rua Antônio Fernandes Leite. Ao atravessar a ponte, o motorista já está em frente ao Posto Boaz, “porta” de entrada do Jardim Rosolen. 

“GANHO TEMPO”, AFIRMA MOTORISTA

Um dos motoristas que utilizam a Ponte da Esperança para chegar à região do Rosolen é o pedreiro Lourival Antônio dos Santos, de 55 anos, que mora no Jd. Nossa Senhora de Fátima. Como ele trabalha cada semana num local, a Ponte Estaiada se tornou um viário facilitador para atravessar a cidade em horários em que o trânsito pela avenida da Emancipação está intenso. “De manhã e no final da tarde é complicado passar ali pela Avenida da Emancipação, no trevo a EMS. Antes da Ponte Estaiada ser inaugurada, eu já usava um trajeto alternativo pelo Jd. Novo Ângulo. Agora, com a Ponte, ficou ainda melhor. Nem tanto pela distância, mas pelo tempo que ganho”, enfatizou Santos.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana, quando as obras do Corredor Metropolitano estiverem concluídas será possível alcançar o km 5 da SP-101, a partir da avenida Olívio Franceschini, num trajeto de dois quilômetros a menos em relação ao percurso feito pela avenida da Emancipação.

“Além da Ponte da Esperança aliviar o trânsito local, desafogando a avenida da Emancipação, principalmente nos horários de pico, também será possível, em breve, oferecer um trajeto mais curto sentido Campinas, quando o traçado do Corredor Metropolitano estiver finalizado”, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

PONTE ESTAIADA

A Ponte Estaiada foi inaugurada dia 30 de maio. A estrutura faz parte do Corredor Metropolitano Noroeste, importante viário regional que, quando estiver concluído, agilizará o transporte coletivo de passageiros em toda região. O corredor expresso integrará o trânsito desde Americana, passando por Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa, Sumaré, Hortolândia e Campinas.

Para viabilizar o Corredor Metropolitano, a EMTU prossegue com as obras de onde o traçado segue pelo Parque Peron, Chácaras Nova Boa Vista, até o km 5 da rodovia, onde a Rodovias do Tietê, concessionária que administra a SP-101, construirá uma alça de acesso.

PIC

A obra do Corredor Metropolitano e a liberação da Ponte da Esperança para o tráfego de veículos são ações que fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), iniciativa que prevê mais de 100 intervenções e serviços que promoverão o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Artigo anteriorPrefeitura reforça sinalização de trânsito no Pq. do Horto e Jd. Novo Horizonte
Próximo artigoBolsonaro confirma intenção que vai liberar saques do FGTS