Levantamento mensal feito pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas do Procon-SP em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) revela alta de 2,08% no valor da cesta básica do paulistano. O preço médio que em 31 de maio era R$ 1.038,45 passou para R$ 1.060,10 em 30 de junho.

Em junho deste ano, o grupo Limpeza Pessoal foi o que apresentou maior variação, 6,34%. Higiene Pessoal teve alta de 4,52% e Alimentação de 1,65%. A variação no ano foi de 5,18% (base: dezembro/2020).

Os produtos que mais subiram foram

Sabão em Pó (kg) 12,25%

Papel Higiênico Fino Branco (com 4 unidades) 8,57%

Água Sanitária (litro) 7,35%

Café em Pó (500g) 6,99%

Presunto Fatiado (Kg) 6,85%

E as maiores quedas foram:

Cebola (kg) -18,60%

Batata (kg) -17,89%

Amaciante (2 litros) -2,88%

Arroz (5 kg) -1,74%

Limpador Multiuso (500 ml) -1,55%

Dos 39 produtos pesquisados, na variação mensal, 30 apresentaram alta, 06 diminuíram de preço e 03 permaneceram estáveis.

Variação anual

A pesquisa realizada regularmente pelo Procon-SP e Dieese aponta ainda que de junho do ano passado – quando o preço da cesta era de R$ 879,13 – para junho desse ano o aumento foi de 20,59%. Os três produtos com maior variação positiva anual foram: óleo de Soja (95,97%), carne de 2ª (49,77%) e arroz (37,72%).

Veja a pesquisa completa aqui e aqui

Artigo anteriorNovo Pronto Socorro do Hospital Municipal começa a funcionar nesta sexta-feira (16/07)
Próximo artigoDELL e IOS estão 40 vagas para curso profissionalizante gratuito, em Hortolândia (SP)