São Paulo

Educação SP amplia ensino integral com novas escolas modernas

O Governo do Estado de São Paulo, através de uma parceria público-privada (PPP), vai construir 33 novas escolas estaduais em 29 cidades, expandindo o ensino integral e abrindo 35,1 mil vagas. De acordo com o governo estadual de SP a Secretaria da Educação (Seduc-SP) continuará responsável pela gestão pedagógica das unidades. Os projetos arquitetônicos dessas escolas incluem ambientes com 21, 28 e 35 salas de aula, planejados para promover o aprendizado e a convivência entre estudantes.

As novas escolas contarão com espaços de estudos individuais, incluindo cerca de 20 cabines por unidade, destinadas a atividades que exigem silêncio. Além disso, cada escola terá salas exclusivas para os grêmios estudantis, salas de leitura com acesso a um vasto acervo literário e laboratórios de informática.

Os prédios também incluirão anfiteatros, pátios cobertos e descobertos, refeitórios, quadras poliesportivas cobertas e pistas de atletismo, onde a infraestrutura permitir. Para facilitar a prática esportiva, os alunos terão à disposição vestiários adequados.

O secretário-executivo da Educação, Vinícius Neiva, destaca a importância de ambientes que facilitem a aprendizagem e garantam a inclusão e acessibilidade. “Essas construções estão conceituadas em uma arquitetura que incentiva a aprendizagem e a participação dos estudantes, além de serem completamente acessíveis.”

As 33 unidades de ensino incluirão laboratórios e espaços de inovação que atenderão às necessidades específicas de cada escola. Por exemplo, unidades que oferecerem ensino técnico de enfermagem terão laboratórios específicos para essa área. Todas as escolas terão laboratórios de informática, fundamentais para o desenvolvimento de projetos e o aprendizado prático dos alunos.

A estudante Ana Elisa Brechane da Silva, de Santa Rita d’Oeste, reconhece a importância de um laboratório bem equipado para seu sucesso acadêmico. Com o apoio de um laboratório de ciências, ela desenvolveu o projeto ConnectBrethe, que a levou a participar da Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Isef) nos Estados Unidos.

Outro exemplo de sucesso é Jhonnatha Cristovam de Miranda, de Praia Grande, que ganhou uma bolsa de estudos na Facens, em Sorocaba, graças ao seu projeto de foguetes desenvolvido em um laboratório escolar. A professora Josefa Aparecida da Silva, que o orientou, destaca como a implementação do laboratório facilitou a construção e o aprimoramento dos foguetes.

Para os professores e a equipe gestora, as novas escolas terão salas de reunião, copas exclusivas, ambientes para o uso do Centro de Mídias e espaços para armazenamento de materiais pedagógicos.

A PPP Novas Escolas prevê que a gestão pedagógica ficará sob a responsabilidade da Seduc-SP, enquanto as empresas vencedoras dos leilões cuidarão da limpeza, manipulação de alimentos e segurança. O projeto arquitetônico inclui áreas de serviço, cozinhas e vestiários para os profissionais envolvidos.

O investimento previsto é de R$ 2,1 bilhões, com os leilões para a PPP programados para o segundo semestre deste ano. A concessão terá duração de 25 anos, com metade das escolas sendo construídas até o segundo ano de contrato e o restante até o terceiro ano.

Leia mais no site do Governo do Estado de SP

Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98