black-friday

No dia 23/11/2018, a 4ª sexta-feira do mês de novembro, é realizada a Black Friday.

No ano passado ela foi realizada em 24/11/2017 e movimentou no país, cerca de R$ 2,87 bilhões, e a previsão para 2018 é de uma expansão de 10,0%, podendo chegar entre R$ 2.970,0 / R$ 3.000,0 bilhões no total.

A movimentação em Campinas e Região deverá ser de R$ 295,0 / R$ 300,0 milhões, cerca de 9,80% da movimentação nacional, uma expansão de 9,2% sobre os R$ 270,0 milhões vendidos em 2017.

Cerca de 75,0% das compras na Black Friday serão efetuadas pelo e-commerce, e algo de 25,0% serão efetuadas, ainda, em lojas físicas.

O ticket médio de compras ficou em R$ 562,00 em 2017, e mobilizaram 3.760 milhões de pedidos. Para 2018, o ticket médio, se espera uma expansão de 5,0%, devendo chegar a R$ 590,00 / R$ 600,00. O e-commerce deve movimentar cerca de R$ 2,30 bilhões e as Lojas Físicas poderá chegar a R$ 0,70 milhões, perfazendo os R$ 3,0 bilhões esperados para a movimentação da Black Friday, atual.

As vendas da Black Friday se destacam pelos elevados descontos oferecidos pelas empresas participantes, que variam de 30,0% a 80,0%, o que obriga os consumidores a pesquisarem preços antecipadamente, nas principais entidades, para fazer as melhores compras.

Além disso, muitos consumidores utilizando-se dos bons descontos nos preços, se incentivam a adquirir, também, produtos antecipadamente, para o Natal, aproveitando os bons preços mais reduzidos.

As compras mais efetuadas na Black Friday, são: Eletrodomésticos, Celulares, Roupas e Calçados, Notebooks, Tablets, Eletroeletrônicos e TV’s. Entram também nessas aquisições: Livros, Jogos e Brinquedos, e Passagens Aéreas / Terrestres (Turismo).

Uma pesquisa bem recente informa que: 95,0% dos pesquisados pretendem comprar nesta Black Friday, e só 5,0% responderam que não. Destaca-se também, que 67,0% não pretendem utilizar o 13º salário, e 33,0% sim.

No quesito mais importante da pesquisa, 65,0% não acreditam que os descontos são reais, e que 25,0% estão cautelosos em comprar, por causa da crise econômica e o nível de desemprego atual.

A conferir por ocasião do evento.

Laerte Martins
Economista / Diretor – ACIC