Ação criminosa pode custar a vida de alguém que espera por socorro

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) é um importante instrumento para a rede pública de saúde, uma vez que as equipes tem agilidade e eficiência no atendimento de situações graves. No entanto, este trabalho pode ser prejudicado, caso o principal canal de acionamento das equipes, o telefone 192, seja utilizado de maneira incorreta ou criminosa. Passar trotes para o Samu é crime, previsto no artigo 30 do Código Penal Brasileiro, com pena de detenção e multa. Além de atrapalhar o trabalho dos socorristas que, muitas vezes, se deslocam para atender um falso chamado, a ação atrasa o atendimento a um paciente que realmente aguarda por socorro, o que pode ser fatal. A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Saúde, alerta a população para os riscos dos trotes e orienta sobre as situações em que o Samu pode ser acionado.

Em Hortolândia, o atendimento é feito pelo Samu Regional, responsável também pelo socorro na cidade de Sumaré. A Central de Regulação, que fica na base do Samu de Hortolândia, realiza os atendimentos das ligações ao telefone 192, faz a triagem dos chamados e aciona as equipes de socorristas para as duas cidades. Todos os dias são atendidas cerca de 150 ligações, sendo que 20% são trotes e outros 20% são solicitações de outros serviços, como informações. Todas as ligações passam por triagem, baseada nas informações de quem faz a ligação. As ligações são gravadas e, com isso, é possível identificar de onde foram feitos os falsos chamados.

[ad id=”14221″]

De acordo com a gerente da Divisão de Urgência e Emergência da Secretaria de Saúde, Janaina Credendio, na triagem da ligação o atendente capta informações básicas sobre o estado de saúde da suposta vítima. Em seguida, a ligação é atendida por um médico regulador, que faz o provável diagnóstico, orienta sobre as primeiras ações e avalia a necessidade de envio de uma ambulância. “Mesmo com todo este cuidado, ainda há casos em que ao chegar no local do socorro, o Samu não encontra vítima nenhuma, ou se depara com outras situações que não necessitam da equipe presente. Isso pode prejudicar uma vítima real, que devido o trote ou chamado indevido, fica a espera de socorro e pode, inclusive, morrer por causa da demora no atendimento”, afirmou a gerência.

Para outros serviços, a gerência de Divisão de Urgência e Emergência recomenda que cada situação seja direcionada para o órgão competente pelo atendimento. Casos relacionados a crimes e ocorrências policiais podem ser comunicados ao 190. Ambulâncias para transporte de pacientes não graves podem ser solicitadas na Central de Ambulâncias, pelo telefone 3819-5737. A Guarda Municipal, que cuida do patrulhamento de órgão públicos e da suporte à ação da polícia, pode ser acionada pelo 0800-111-580.

“É importante que as pessoas saibam como procurar ajuda de maneira eficiente, seja em qual órgão for. Isso agiliza todos os atendimentos e evita o uso desnecessário ou indevido do 192 do Samu, que deve ser acionado exclusivamente para socorro médico urgente”, enfatizou o coordenador do Samu, Renato Lopes Machado.