Autorizado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), um estudo clínico referente a segurança, imunogenecidade e eficácia da terceira dose da AstraZeneca será analisada.

Tais testes serão iniciados em pacientes que já foram vacinados com as duas doses do imunizante, dentro de um período de quatro semanas entre uma aplicação e outra. Entre 11 e 13 meses, será dada a dose de reforço.

Em nota, a Agência afirma que “Serão incluídos voluntários com idade entre 18 e 55 anos, que estejam altamente expostos à infecção com o novo coronavírus, como profissionais de saúde. Não serão incluídas gestantes ou pessoas com comorbidades”.

Os voluntários serão dos seguintes estados

  • Bahia: 1,5 mil;
  • Rio de Janeiro: 1,5 mil;
  • Rio Grande do Sul: 3 mil;
  • Rio Grande do Norte: 1,5 mil;
  • São Paulo: 2,5 mil.

Dentre estes, ninguém saberá se tomou a dose da vacina ou um placebo. E depois que o “cegamento da pesquisa” for quebrado, os participantes do grupo de placebo poderão ter uma dose de reforço aplicada.

Artigo anteriorCampinas convoca 15 candidatos aprovados em concursos públicos
Próximo artigoHomem é preso no Auxiliadora após deixar mulher em cárcere privado e agredir filha de 4 anos