A Secretaria de Saúde de Sumaré, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade, promoverá nesta sexta-feira, dia 2, uma ação de acolhimento às pessoas em situação de rua resistentes à transferência para os abrigos parceiros da Prefeitura. Será realizada a vacinação contra o coronavírus para quem aceitar, além de testagem de sífilis e entrega de cobertores, kits de higiene pessoal e alimentação. A atividade faz parte das ações de humanização realizadas neste aniversário de 153 anos de Sumaré.

 “Realizamos um trabalho diário com essa população de rua, monitorando e orientando. Infelizmente, muitos são relutantes e, mesmo com nossos esforços, não aceitam ir para o abrigo. Visando esses moradores, que estão expostos à doenças, instabilidades meteorológicas e falta de ambientes higienizados, faremos essa ação de vacinação e testagem com todos que aceitarem. Trabalhamos com muita delicadeza com essas pessoas, buscando reinseri-las na sociedade, ofertar auxílio psicossocial e uma vida digna, porém, ainda encontramos muita resistência, por isso, focamos na sensibilização de cada um”, explicou o prefeito Luiz Dalben.

“Os moradores de rua estão expostos a fatores que o restante da população não está, correndo o risco ficar doente com mais facilidade e não ter atendimento adequado, por falta informação ou aceitação. A vacinação dessas pessoas é uma maneira de imunizá-las, minimizando o risco de contrair a doença ou então agravar alguma comorbidade existente”, explicou o secretário de Saúde, Rafael Virginelli.

A vacinação neste público é mais uma ação da Prefeitura para oferecer proteção aos moradores de rua que se recusam a ser encaminhados para o abrigo. Concomitantemente às ações permanentes de acolhimento e cuidados com essas pessoas, por meio do SEAS (Serviço Especializado de Abordagem Social), a Prefeitura intensificou a abordagem diante das quedas de temperaturas registradas nos últimos dias.

Para assistência adequada dessas pessoas resistentes à transferência aos alojamentos, equipes formadas pela Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Fundo Social de Solidariedade e Secretaria de Inclusão Social realizam um trabalho intensivo de orientação e entrega de cobertores e agasalhos, alimentação, kits de higiene.

Os serviços de abordagem são permanentes. A Secretaria Municipal de Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social ampliou as ações do SEAS (Serviço Especializado de Abordagem Social), realizado em parceria com a Casa de Acolhimento Resgatar. Por média, cerca de 100 pessoas são abordadas por mês, aceitando ou não permanecer nos abrigos ou ter uma rápida passagem, apenas para se alimentarem ou protegerem das ruas.

A abordagem dessas pessoas é realizada por equipes formadas por psicólogos, assistentes sociais e educadores sociais. Uma relação de confiança e respeito é necessária para que as pessoas aceitem ajuda, passem pelo CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), onde recebem avaliação psicossocial e iniciam um acompanhamento que pretende fortalecer a convivência com a família e a sociedade, através do acesso a direitos básicos.

Além da Casa de Acolhimento Resgatar, localizado na região central, a Prefeitura implantou o Alojamento Provisório no Jardim Alvorada. No local, os usuários têm acesso ao abrigo, orientações quanto à higiene e autocuidado, refeições balanceadas e ainda podem cumprir o isolamento social caso a contaminação pelo coronavírus já tenha ocorrido.

“O acolhimento institucional, conforme a Política Nacional de Assistência Social, é realizado por nossas equipes com muito cuidado e sensibilidade, colaborando com o fortalecimento dos vínculos das pessoas em situação de rua ou desabrigo com seus familiares e a comunidade, além de reduzir a vulnerabilidade social que se agravou durante a pandemia. Infelizmente, muitos não aceitam ir para os abrigos e, por isso, intensificamos as ações com essas pessoas, distribuindo agasalhos, roupas e cobertores, para que os riscos de viver nas ruas e estarem expostos ao clima sejam menores e se sintam acolhidos e amparados. Trabalhamos para levar assistência a quem mais precisa. Agradecemos todas as doações que estamos recebendo da população, do comércio, das empresas nesse período de dificuldades que estamos enfrentando. Juntos, estamos conseguindo atender com dignidade as famílias em situação de vulnerabilidade social e esse é o verdadeiro espírito da solidariedade”, comentou a presidente do Fundo Social, Mara Dalben.

Artigo anteriorAlistamento militar é prorrogado até 31 de agosto
Próximo artigoFazenda notifica contribuintes da região de Campinas em operação para estorno de R$ 44,9 milhões em créditos indevidos