Trazida pela família real portuguesa então de mudança para o Brasil em meados do século XIX, a cerveja sem dúvida se popularizou no país e tornou-se assim como é repetido no jargão popular: “preferência nacional” dentre todas as bebidas alcoólicas comercializadas.

Voltando para tempos mais recentes, de alguns anos para cá, o volume de novas marcas, assim como de marcas antigas e tradicionais começou a se difundir mais intensamente entre os apreciadores mais exigentes da bebida assim como daqueles que desejavam conhecer novas marcas e sabores.

Esse movimento passou a trazer vários tipos de cerveja ao grande público através de festivais, eventos de nicho já conhecidos como o OktoberFest, St. Patrick entre outros que começaram a fazer parte do calendário do brasileiro como outros eventos.

Marcas locais e estrangeiras, além dos estilos mais variados entraram de vez no cardápio dos cervejeiros e termos como IPA, Weissbier, Ale, Red Ale, MunichDunkel entre outros se popularizaram no repertório de pessoas que mesmo sem conhecimento amplo do ramo, começam a entender os vários paladares que esses estilos trazem.

O que é uma Cerveja Puro Malte?

Além dos já citados, sem dúvida o que ficou mais conhecido foi o termo “cerveja puro malte” que passou inclusive a gerar discussões sobre quais tipos ou marcas poderiam levar esse rótulo e quais não poderiam.

Embora muito se fale a respeito desse tipo de cerveja, a classificação por assim dizer do puro malte, na verdade é bem mais simples do que se pensa, justamente por estar ligada a simplicidade de sua “receita”.

Basicamente a puro malte é uma cerveja produzida com água, lúpulo, fermento e malte (sua única fonte de açúcar) que pode ser derivado da cevada ou do trigo deixando seu sabor mais intenso e marcante.

Sua fórmula é originada da chamada lei de pureza alemã instituída pelo Duque Guilherme IV da Baviera no século XVI, determinando que a produção da bebida contasse apenas com esses ingredientes por questões específicas da época.

Toda Cerveja Precisa Ser Puro Malte?

Diferentemente do estilo puro malte, cervejas consideradas mais acessíveis utilizam ingredientes, como milho e outros itens além do malte em seu processo produtivo. Com isso o sabor acaba sendo diretamente afetado tornando-as mais “leves” e pouco residuais.

Este fator é determinante no resultado final do produto, interferindo em questões relacionadas ao valor e claro, na preferência do consumidor por um ou outro.

Embora o puro malte seja considerado um sinônimo de pureza e tradição, outros estilos de cerveja que combinam itens como café ou até mesmo vinho, garantem também qualidade igual ou muitas vezes superior, dependendo da preferência, estilo ou paladar que se deseja atingir.

Com sua fórmula preservada a ação do tempo as cervejas puro malte são mais uma opção dentre as várias existentes no mercado e estão disponíveis em algumas marcas nacionais de excelente qualidade que mantém a história e a tradição desse estilo de cerveja que conquista cada dia cada vez mais apreciadores.

Artigo anteriorCORONAVÍRUS: Brasil registra 135.106 casos, 9.146 mortes e 55.350 recuperados
Próximo artigoCORONAVÍRUS: Hortolândia é a 2ª cidade da região com maior número de confirmados