imagens ilustrativa

Hoje (05) de manhã, foi desencadeada em Curitiba (PR) a operação Gun Express, da Polícia Federal. A operação será realizada em nove estados, entre eles São Paulo, que quatro cidades estão relacionadas, entre elas, Hortolândia, que também foi alvo dessa operação.

Esta operação tem como objetivo desarticular o tráfico de armas de fogo, acessórios e munições. A PF tem cerca de 310 policiais cumprindo 62 mandatos de busca e apreensão e 10 mandatos de prisão preventiva nos estados do Paraná, Bahia, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe, Santa Catarina, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A investigação foi iniciada no primeiro semestre de 2018, quando a PF localizou armas de fogo sendo enviadas pelos Correios escondidas dentro de equipamentos de artes marciais, como luvas, caneleiras e aparador de chutes.

Após isso, a PF identificou um grupo de pessoas do Paraná, Rio Grande do Norte e da Bahia que atuavam em associação com a importação, guarda, reemessa e transporte do armamento e seus acessórios. Esses produtos teriam o destino para diversos estados do país, contudo o destaque eram Bahia e Rio Grande do Norte.

Foram feitas também apreensões de armamentos escondidos nos tanques de combustível de veículos usados durante o transporte para alguns dos Estados do Nordeste.

Estima- se que o grupo enviou e transportou mais de 300 armas de fogo e investiram cerca de dois milhões de reais em compra de armamento desde 2016.

Foi identificado que parte do pagamento das armas eram feitos por meio de empresas de fachada, administradas por suspeitos da Bahia e do Rio Grande do Norte para aparentar que o sistema de transferências bancárias eram lícitas.

Estão sendo feitos 27 bloqueios judiciais de contas bancárias e aplicações financeiras e, a apreensão de bens de 27 pessoas, sendo uma delas jurídica. Também está sendo realizada a constrição de 10 veículos registrados em nomes de terceiros.

Há o decreto de 6 medidas cautelares para prisão de outros envolvidos na investigação. Há também o indiciamento, feito pela Polícia Federal, de 28 pessoas pelo crime de tráfico internacional de armas lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.

Por: Elizangela Tasselli