Connect with us

Nossa Região

Unicamp: Software pode diagnosticar câncer de pele com precisão de 86%

Publicado

em

unicamp

Um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desenvolve um software com potencial para dar agilidade aos diagnósticos do câncer de pele do tipo melanoma. Utilizando a inteligência artificial e o deep learning, técnica de aprendizado das máquinas através de redes neurais artificiais, a equipe já chegou a uma precisão de 86% no diagnóstico.

Agora, dos cientistas estão dedicados a melhorar o resultado e desenvolver a aplicabilidade no cotidiano dos centros de saúde. O anseio é que, no futuro próximo, com o sistema instalado em um celular e com uma lente dermatoscópica acoplada, seja possível extrair um diagnóstico rapidamente, explica Sandra Avila, docente do Instituto de Computação que integra o estudo.

“A ideia é que coloquemos isso dentro de um posto de saúde, por exemplo, onde não tem um dermatologista. Muitas vezes, a pessoa só se dá conta da lesão quando começa a crescer, coçar e sangrar, quando provavelmente o câncer já avançou e a chance de cura é muito mais baixa, de 14%. Já nos estágios, iniciais a chance de cura é de 97%”, afirma a professora ao Jornal da Unicamp.

A pesquisadora permanece dedicada ao projeto desde 2014 e frisa que a ideia não é substituir o diagnóstico realizado pelo médico, mas dar apoio ao profissional. “A inteligência artificial funciona como um suporte, como auxílio, mas a decisão final sempre tem que ser do médico”, completa.

Segundo a docente, aliar a tecnologia ao conhecimento do profissional de saúde pode trazer celeridade na detecção precoce do melanoma, que é o tipo de câncer de pele mais agressivo e letal, melhorando o prognóstico de vida do paciente.

Inovação

A análise realizada pela máquina acontece através de um banco público de imagens. Com os algoritmos desenvolvidos pelos pesquisadores, o computador consegue identificar se a lesão é benigna ou maligna. Atualmente, o banco conta com 23.906 fotografias de diferentes tipos de lesões de pele.

Quanto mais imagens, diz a professora, maior é a possibilidade de o diagnóstico ser preciso, pois a máquina aprende por meio de exemplos. Por isso, uma das perspectivas de avanço da pesquisa é poder engordar o banco de dados com imagens obtidas em hospitais brasileiros.

O resultado de 86% na precisão dos diagnósticos, conforme Alceu Bissoto, doutorando em Ciência da Computação e orientando de Sandra Avila, foi observado através dos dados já existentes, referentes às lesões, no banco de dados. “Esses 86% não são necessariamente sobre dados em uma situação real. É sobre um conjunto de imagens público, do qual já sabemos quais são os diagnósticos, e aí a gente compara a performance da solução com o diagnóstico real, chegando aos 86%”, salienta ao Jornal da Unicamp.

Ainda quando é removida parte da informação a imagem, o diagnóstico segue acertando 71% dos diagnósticos, taxa maior que média de 67% de precisão da avaliação de 157 dermatologistas.

“Mesmo quando se arranca a informação, o resultado ainda é melhor do que aqueles 67%. Mas cuidado: a gente não quer dizer que a máquina é melhor que os médicos. A questão mais interessante é pensar no que a máquina está aprendendo que, mesmo tirando informação importante do ponto de vista médico, ela continua acertando”, afirma Sandra Avila.

A resposta, que envolve compreender quais são os padrões que a máquina está criando e observando por conta própria, é o que os pesquisadores desejam encontrar em poucos meses, dando seguimento a mais uma etapa da pesquisa.

Premiação

Pelo quarto ano consecutivo, o estudo sobre a detecção do melanoma, que teve início em 2014 por meio de uma parceria entre Sandra Avila e o professor Eduardo do Valle, da Faculdade de Engenharia Elétrica da Unicamp, foi um dos contemplados pelo Google Latin America Research Awards (Lara).

O prêmio foi concedido a 25 pesquisas na América Latina, sendo 15 brasileiras. Dessas, 13 estão ligadas a instituições públicas de ensino, sendo três da Unicamp.

Nossa Região

Previsão aponta fim de semana seco e frio

Publicado

em

frio

De acordo com o Cepagri, na sexta-feira (20), as temperaturas devem ficar entre 8 e 18ºC, com ventos predominantemente fracos, soprando com maior intensidade (moderados) ao anoitecer. 

No sábado, as temperaturas sobem um pouco mais, ficando entre 9 e 22ºC, e para o domingo, a expectativa é que fiquem entre 12 e 24ºC.

No final de semana, a umidade relativa do ar mínima deverá ficar abaixo dos 30%, o que sugere cuidados redobrados com a hidratação, pela ingestão de líquidos e uso de produtos adequados à pele e mucosas. 

Continue Lendo

Nossa Região

Prêmio da Mega-Sena acumula para R$ 53 milhões. Campinas leva mais de 82 mil

Publicado

em

mega sena

Ninguém acertou as seis dezenas no sorteio da Mega-Sena dessa quarta-feira (18). Com isso, o prêmio acumulou para R$ 53 milhões. Os números sorteados foram: 01, 32, 35, 44, 45 e 57.

Segundo a Caixa Econômica Federal,  52 apostadores acertaram cinco dezenas e ganharam R$ 82.539,97, inclusive uma aposta de Campinas. A quadra saiu para 5.101 apostas, com prêmio de R$ 1.202,02.

O próximo sorteio será no sábado (21), no Espaço da Sorte, em São Paulo, às 20h. As apostas podem ser feitas até as 19h de sábado, pela internet ou nas casas lotéricas.

fonte ebc

Continue Lendo

Nossa Região

Região de Campinas tem mais de 200 colisões contra postes entre janeiro e abril deste ano

Publicado

em

Campinas, Piracicaba e Hortolândia lideram o ranking. Em 2021, região teve 1.027 colisões

Os casos de colisão de veículos contra postes continuam altos na região de Campinas. Um levantamento da CPFL Paulista, que compreende 33 cidades da região, mostrou que foram 287 colisões entre janeiro e abril deste ano e chama atenção para o assunto, principalmente durante o mês da campanha de conscientização no trânsito – Maio Amarelo. O número é 11,1% menor que os 323 casos registrados no mesmo período do ano passado, mas, ainda assim, as ocorrências continuam em um patamar elevado.

Apesar disso, em algumas cidades houve crescimento dos casos. Em Campinas, por exemplo, foi registrado crescimento de 14,5% na comparação do primeiro quadrimestre de 2021, quando foram 69 colisões, com o mesmo período de 2022, que teve 79 ocorrências. Americana, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré também tiveram elevação no mesmo período.

“A elevação dos casos de colisões contra postes foi verificada em várias cidades nos primeiros quatro meses deste ano. Isso nos preocupa e reforça a necessidade de trabalharmos o assunto de maneira preventiva e buscando a conscientização dos motoristas. Durante o Maio Amarelo, a CPFL Energia chama ainda mais a atenção para este tema, que é uma questão de segurança essencial”, afirma o gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da CPFL Energia, Marcos Victor.

As colisões registradas entre janeiro e abril de 2022, na região de Campinas, resultaram em ocorrências de interrupção no fornecimento de energia que demandaram, em média, 2,26 horas de serviços da companhia. Isso inclui, basicamente, a substituição de poste, reconstrução de rede de distribuição e restabelecimento da energia. Dependendo da gravidade do acidente, as equipes de campo precisam também aguardar a realização dos trabalhos da perícia policial para poder então iniciar o trabalho de manutenção. 

Conheça o ranking 10 cidades com o maior número de ocorrências na região de Campinas:

Guardião da Vida. Considerando o impacto do assunto para a população, seja na segurança do trânsito, seja na qualidade do fornecimento de energia, a CPFL Energia, por meio da campanha Guardião da Vida, incentiva a discussão sobre o tema, a fim de promover uma reflexão sobre as atitudes no trânsito que poderiam ser evitadas, reduzindo acidentes e salvando vidas. 

Como parte do apoio ao movimento Maio Amarelo, a campanha Guardião da Vida promove ações que visam estimular a comunidade a adotar atitudes mais seguras como parte responsável pela vida de outras pessoas. Isso inclui palestras realizadas em escolas, associações de bairro, sindicatos de classe e empresas.

Além do risco à segurança, os responsáveis pelos acidentes contra postes podem amargar prejuízos financeiros. Nos casos em que a distribuidora identifica o culpado legal, este deve arcar com os danos causados ao patrimônio da concessionária. A substituição de um poste pode variar, dependendo do modelo, entre R$ 2 mil e R$ 3 mil.

Essa diferença leva em consideração os equipamentos instalados tanto pela distribuidora de energia como pelas empresas que ocupam a estrutura. Por exemplo, um poste com iluminação pública simples tem menor valor que aquele que sustenta um transformador de energia e equipamentos de telecomunicação.

Confira, a seguir, dez dicas da campanha Guardião da Vida para tornar o trânsito um ambiente mais seguro:

1. Mantenha o veículo com a manutenção em boas condições, verificando o estado dos pneus, dos freios, dos faróis e dos retrovisores; 

2. Não dirija sob o efeito do álcool, remédios ou qualquer outra substância tóxica; 

3. Quando estiver dirigindo, cuidado com o farol alto. Você pode ofuscar a visão do motorista na via de sentido oposto; 

4. Respeite sempre a sinalização de trânsito e os limites de velocidade das vias, em qualquer dia, local e horário; 

5. Respeite os pedestres e sempre use cinto de segurança e capacete, para motociclistas; 

6. Não use celular quando estiver dirigindo. Além de colocar em risco a vida dos pedestres e outros motoristas, a infração para quem é pego usando o celular na direção é considerada gravíssima; 

7. Em caso de manobras, sinalize para os pedestres e os demais motoristas; 

8. Sempre mantenha distância segura do veículo à frente; 

9. Fique atento às condições da pista e do clima. Em caso de pista molhada ou de neblina, dirija com cuidado. Diminua a velocidade e mantenha a distância dos demais veículos;

10. Em caso de acidente com poste, se houver queda de cabos, procure ficar no interior do veículo, sem tocar nas partes metálicas, até o atendimento por parte das equipes da empresa.

Continue Lendo

Populares