O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) autorizou a captação de financiamentos que somam R$ 242,8 milhões para a implantação de sistemas de esgotamento sanitário nas cidades de Campinas e Valinhos, em São Paulo. Quando prontas, as infraestruturas beneficiarão uma população estimada em 420 mil pessoas.

O investimento, com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), foi anunciado durante visita do secretário Nacional de Saneamento, Pedro Maranhão, à sede da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa) nesta quarta-feira (7).

Para Maranhão, o investimento no setor de saneamento básico traz impactos positivos à população e ao meio ambiente. “Tratando o esgoto, você cuida dos rios, por meio da despoluição da água e dos lençóis freáticos, além de cuidar da saúde das pessoas, reduzindo a taxa de doenças causadas pelo uso de água contaminada. Por isso, os ganhos trazidos por ações em saneamento são inestimáveis “, afirma.

Os recursos serão utilizados em dois empreendimentos. O primeiro, com investimento federal de R$ 123 milhões, será o Sistema de Esgotamento Sanitário que ligará a bacia do Samambaia, em Campinas, à Estação Produtora de Água de Reuso (EPAR) Capuava, em Valinhos. A infraestrutura permitirá o aumento da capacidade de tratamento de 224 litros/segundo para 400 litros/segundo.

Já para a melhoria e modernização da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Anhumas, em Campinas, estão previstos R$ 119,8 milhões. Com as obras, a população local terá acesso a água tratada e sem organismos patogênicos. Além disso, visando a segurança hídrica e sustentabilidade econômica, a estação produzirá água de reuso para utilização em irrigação paisagística, lavagem de pátios e ruas, combate a incêndios e usos industriais, principalmente em períodos de estiagem e escassez.

A Sanasa é responsável pela assinatura do contrato de financiamento com a Caixa Econômica, contratação e acompanhamento das obras. Além disso, a companhia irá fazer o repasse de mais R$ 12,7 milhões de contrapartida.

Investimentos
Desde janeiro, R$ 243,6 milhões do Orçamento Geral da União (OGU) foram repassados pelo MDR para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. Outros R$ 696,4 milhões foram assegurados para financiamentos por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e outros fundos federais financiadores.

Atualmente, a carteira de obras e projetos da Pasta no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de 1.209 empreendimentos, somando um total de R$ 44,2 bilhões, sendo R$ 26,1 bilhões de financiamentos e de R$ 18,1 bilhões de Orçamento Geral da União

Artigo anteriorSocorro, entre as montanhas da Serra da Mantiqueira, tem inverno aconchegante e longe de aglomerações
Próximo artigoRisco de infarto aumenta em até 30% no inverno