A Secretaria de Educação da Prefeitura de Hortolândia adquiriu em 2014 100 tablets a R$ 2.590,00 cada, para serem utilizados por estudantes com deficiência da rede pública de ensino.

No entanto, segundo reportagem do Correio Popular (veja aqui), os mesmos equipamentos é vendido por valores que vão de R$ 1,5 mil a R$ 1,9 mil no mercado — o preço pago pelo Município é pelo menos 31,5% maior que os encontrados no comércio.

O tablet Samsung Galaxy Note, de 10.1 polegadas, saiu de linha este ano, mas na época da compra era um dos mais modernos e caros. A empresa que venceu a licitação, Ello Armazéns Ltda, de Goias, recebeu R$ 259 mil. A equipe do Correio Popular tentou contato nos telefones mais não houve sucesso.

Os equipamentos foram utilizados pela primeira vez na semana passada, sendo que os professores passaram por capacitação para auxilio das crianças no uso do equipamento.

Nota da Prefeitura
A assessoria de imprensa da Prefeitura, em nota, diz que a compra dos tablets foi realizada por meio do processo administrativo de número 9771/2014, e que o preço “de R$ 2.590 era condizente com o mercado, na época. Os valores atualizados dos tablets são inferiores aos praticados no momento da compra Além disso, as características apresentadas pelos equipamentos também já foram superadas por versões mais recentes”.

Fonte e Foto: Correio Popular

Artigo anteriorEstão abertas inscrições para “Café com RH”
Próximo artigo20h e 15m com Jayro Vidal, Ação solidária acontece no dia 17/10