Novidade foi anunciada, nesta quinta-feira (27/04), no evento em comemoração ao 10º aniversário do órgão

 

A Prefeitura de Hortolândia criará um programa municipal de aquisição de alimentos. A novidade foi anunciada, nesta quinta-feira (27/04), durante o evento comemorativo aos 10 anos do Banco de Alimentos, órgão do Departamento de Segurança Alimentar da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. O vice-prefeito, José Nazareno Zezé Gomes, representou o prefeito Angelo Perugini no evento. O prefeito cumpre agenda em Brasília.

Inaugurado em 2007, na primeira gestão do prefeito Angelo Perugini, por meio de convênio firmado com o então Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, o Banco fornece alimentos para cerca de 40 entidades assistenciais cadastradas, que distribuem para a população carente. Atualmente, 3.900 pessoas recebem alimentos do Banco.

O Banco renova o convênio anualmente com o governo federal. Durante o período de renovação, o fornecimento de alimentos para temporariamente. “No próximo ano, a Prefeitura criará um programa municipal de aquisição de alimentos para que a distribuição não seja interrompida”, disse o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Ananias José Barbosa.

Na prestação pública de contas do banco, a diretora do Departamento de Segurança Alimentar, Alessandra Sarto, destacou a importância da parceria entre o órgão e as entidades assistenciais. “É por meio das entidades que a Prefeitura consegue atender a população que não tem acesso a uma alimentação saudável e adequada”, salientou.

FAMÍLIAS CARENTES

Uma das entidades que recebe alimentos do Banco é a Igreja Presbiteriana Betânia. De acordo com o presbítero Edson Efraim da Costa, a igreja distribui, semanalmente, entre 600 kg a 1 tonelada de alimentos para cerca de 40 famílias carentes cadastradas do Jardim Boa Esperança. “Recebemos, principalmente, hortifrútis e distribuímos in natura para as famílias prepararem suas refeições em casa”, explica Costa.

O Banco faz a aquisição dos alimentos junto a agricultores familiares. Dentre esses produtores está o casal Simone da Silva Lima e César Augusto Antunes. “Produzimos frutas e verduras como goiaba, chicória e tomate”, contam. O casal participa do Banco desde 2007, juntamente com um grupo de mais de 30 agricultores. De acordo com o casal, cada um dos agricultores produz para o Banco, em média, cerca de 1 tonelada de alimentos. Simone destaca que para os agricultores familiares a parceria com o Banco é benéfica. “Graças à parceria, é pago um valor justo para o agricultor familiar. Com isso, ele se sente animado e vê seu produto ser valorizado”, destaca Simone.

Para marcar o 10º aniversário do Banco, cada uma das pessoas presentes ao evento recebeu uma muda de manjericão. A diretora do Departamento de Segurança Alimentar, Alessandra Sarto, explicou que a erva foi escolhida por suas várias características, como odor agradável, propriedades curativas, além de poder ser usada em receitas de massas, sopas e pães. “O manjericão simboliza o amor e a coragem do Banco de Alimentos durante esses 10 anos de trabalho”, destacou.