Connect with us

Nossa Cidade

Prefeitura busca levar projeto Hortas Educativas a toda rede municipal

Publicado

em

 

“A educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas mudam o mundo. Sejamos, pois, as sementes do amanhã”. Inspirado no pedagogo Paulo Freire, patrono da Educação no Brasil, o painel anuncia à comunidade escolar os objetivos do projeto Hortas Educativas, que a Prefeitura implanta, em parceria com o Funsol (Fundo Social de Solidariedade de Hortolândia), a partir desta quinta-feira (21/06), na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Dayla Cristina Souza de Amorim, no Jd. Santiago. 

Durante a cerimônia, a diretora do Departamento de Ensino Fundamental, Roberta Morais Diniz, solicitou à representante do Fussesp (Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo), entidade idealizadora do projeto, a ampliação das hortas educativas a todas as unidades da rede, em 2019. Receptiva à proposta, a técnica Luanne Santos, representante da primeira-dama e presidente do Fussesp, Lúcia França, orientou aos gestores da Educação que formalizassem o pedido ao Fundo Social. Atualmente, duas das 58 escolas municipais já desenvolvem o projeto: além da Emef Dayla Amorim, a Emef Janilde Flores, na Vila Real. A iniciativa beneficia, inicialmente, cerca de 850 alunos do 1o ao 4o ano do Ensino Fundamental.

“É um projeto muito importante, de reeducação alimentar e de consciência ambiental”, ressaltou Roberta, apresentando à comunidade escolar o material didático de apoio. São quatro cadernos impressos: um para o aluno, um para a família, um para o educador e outro para o cuidador da horta. Enquanto o do estudante será usado como uma espécie de agenda para registro periódico das atividades nos canteiros, o da família apresenta aos pais o projeto e traz receitas saudáveis, de baixo custo, como creme de milho, panquecas, biscoitos, cuscuz de legumes e verduras e suflê de legumes. Uma das propostas do projeto é que o conhecimento sobre ecologia, nutrição e alimentação saudável, obtido na lida com a horta, chegue também à casa dos alunos e seja partilhado com a família e outros membros da comunidade. “Queremos que as crianças saibam de onde vem o alimento que comem em casa e na escola. Além disso, terão a responsabilidade de que a horta depende delas para vingar”, explica Luanne.

Para o vice-prefeito e secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes, que representou o prefeito Angelo Perugini, na cerimônia, o projeto está alinhado com as demais ações de educação ambiental que a Prefeitura executa na cidade, como a coleta seletiva do programa Agenda Verde – Mutirão de Limpeza e Zeladoria e as hortas comunitárias do Viva Mais. “É uma realização quando o trabalho é feito com muitas mãos. Assim, podemos fazer para além da escola. Vai também para dentro das casas. Afinal, com o que aprendem aqui, vocês podem fazer em casa também a hortinha, usar garrafas pets em hortas verticais”, sugeriu o secretário. Zezé ressaltou a importância de a comunidade contribuir com a coleta seletiva na cidade. “É preciso parar de jogar lixo em áreas públicas. A Prefeitura faz um grande esforço para limpar toda a cidade. Isso traz resultados na saúde das pessoas, desafoga os postos de saúde”, avaliou.

A exemplo do que ocorreu na Emef Janilde, a equipe de educação ambiental da Secretaria de Meio Ambiente reforçou as palavras de Zezé, sensibilizando de maneira lúdica as crianças quanto aos cuidados necessários ao meio ambiente. Vivenciado pelo coordenador da equipe, Ricardo Zanoni, o palhaço “Natureza” arrancou muitos risos dos pequeninos ao falar sobre a importância do descarte correto de resíduos recicláveis na cidade. 

Conheça o projeto

Nas hortas, os estudantes plantarão verduras e legumes, tais como alface lisa e americana, couve manteiga, rúcula, cebolinha, salsinha, chicória, cenoura, abobrinha, rabanete e beterraba. A cada etapa, os pequenos aprendizes receberão apoio e orientação da equipe técnica multiprofissional, formada por engenheira agrícola, nutricionista, enfermeira e educadores, todos servidores municipais das secretarias integrantes: Saúde; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Educação, Ciência e Tecnologia. Sementes, pás, enxadas, mangueiras, regadores, bacias, carriolas, bandeja de sementeiras, assim como outros insumos necessários à implantação das hortas, foram fornecidos pelo Funsol/Fussesp.

As ações na horta se estendem por um ano, com visitas semanais ao local por parte dos alunos envolvidos no projeto. Cada turma semeará e cuidará de um pedacinho do canteiro. Na Emef Janilde, são 470 estudantes; na Emef Dayla, a ação envolverá  374, do 1o ao 4o ano. 

“O projeto da Horta Educativa é muito importante, principalmente porque envolve toda a comunidade escolar. Temos que incentivar e ensinar, desde a infância, os benefícios da alimentação saudável, pois é assim que podemos prevenir a obesidade e consequências precoces da má alimentação. Os nossos alunos vão ter a oportunidade plantar, aprender sobre sementes, adubos e muito mais. Além de eles serem multiplicadores, vão ter a oportunidade de continuar as atividades em casa, com os pais e familiares”, afirma a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Alessandra Amora Barchini.

Participação

Segundo a coordenadora pedagógica Juliana Santos Borelli, responsável pelo projeto-piloto, as hortas educativas serão um instrumento de educação ambiental e alimentar, aplicado de forma interdisciplinar e vivenciada. Entre os objetivos específicos do projeto estão os de sensibilizar os participantes quanto à importância da boa alimentação para um crescimento saudável e criar uma atitude positiva diante da natureza e dos alimentos oriundos do ecossistema de cada região. 

Para a dona de casa Juliana Albino da Silva, mãe de Natália, de 10 anos, e de Amanda, de 4 anos, estudantes da rede municipal, o projeto é muito bem-vindo. “Elas comem bem frutas e salada. Temos horta em casa, com alface, cebolinha e alguns chás (cidreira, hortelã e gengibre) e elas me ajudam. Mas é bom ter o projeto na escola, porque as crianças vão aprender mais. Vão aprender a fazer a horta na escola e é para elas mesmas”, afirma. Patrícia Ferreira, mãe de Bruno, de 1 ano, e de Beatriz, de 8 anos, aluna do 3o ano, também aprovou a iniciativa. “É muito bom. Ela acompanha a horta na casa da avó e também planta. Agora, vai poder plantar na escola. É ótimo”, comenta a dona de casa.

Entre os primeiros a participar do plantio na escola estão os estudantes Natália Borges da Silva e Nauã Pablo Bertoldo da Silva, ambos de 10 anos. “É legal plantar estas coisas. Em casa, temos cebolinha, acerola e mexerica”, diz a menina. Quando morava em São Paulo, Nauã tinha horta em casa. Agora, ainda não. Mas está feliz em poder participar do projeto na escola. “Gosto muito de frutas. Mas é bom cuidar dos legumes também”, afirma o garoto.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Previsão aponta que frio deve ficar por mais tempo

Publicado

em

frio

Nesta quinta (19), as temperaturas devem ficar entre 6 e 16ºC (caso a nebulosidade persista ao longo da noite, a temperatura mínima poderá ficar mais elevada).

Na sexta-feira, as temperaturas devem ficar entre 7 e 19ºC. No final de semana, apesar de ainda abaixo da média, as temperaturas devem ficar um pouco mais elevadas, com mínimas em torno de 10ºC e máximas em torno de 23ºC.

Não há previsão de chuva para os próximos dias – os indicativos apontam para precipitação somente mais no final do mês.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Evento da Prefeitura de Hortolândia marca Dia da Luta Antimanicomial

Publicado

em

Encontro na manhã desta quarta-feira (18/05) promoveu atividades artísticas com participação do prefeito Zezé Gomes

O frio não desanimou o público no evento do Dia da Luta Antimanicomial, promovido pela Prefeitura, no CAPS IJ (Centro de Atenção Psicossocial Infância e Juventude), na manhã desta quarta-feira (18/05). O evento integra a programação comemorativa do 31º aniversário de emancipação política de Hortolândia. O prefeito José Nazareno Zezé Gomes também esteve presente. 

A fim de promover a integração entre pacientes e comunidade, o evento teve apresentações musicais, como a do coral formado por usuários, parentes, familiares e funcionários do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) Vida, uma das unidades da Prefeitura especializada no tratamento de pessoas com problemas psíquicos, aula de zumba e exibição com alunos do curso de capoeira ministrado pela Prefeitura. Além disso, foi ofertado um café da manhã comunitário. 

O evento é para sensibilizar a sociedade sobre a importância de políticas públicas para garantir os direitos das pessoas com transtornos mentais. A data foi instituída no dia 18 de maio, quando foi realizado um Encontro dos Trabalhadores da Saúde Mental, em Bauru, em 1987. Até então, o tratamento psiquiátrico consistia em internações hospitalares. Como resultado do encontro e de outras mobilizações, a Reforma Psiquiátrica foi aprovada por meio da Lei Federal Nº 10.216, em 2001. Com a lei, o atendimento a pacientes com transtornos mentais passou a ser realizado por uma rede de atenção psicossocial, estruturada em unidades de serviços comunitários onde cada paciente tem vida livre, participando de atividades terapêuticas e de reabilitação, sempre na companhia da família.

Uma das participantes que destacou a importância de lembrar a data foi Francisca Cavalcante Agra, de 53 anos, acompanhada da filha, Laureana, de 12 anos. A menina é uma das pacientes do CAPS IJ, órgão da Secretaria de Saúde. “Essa luta é muito importante para que as pessoas que sofrem de transtornos mentais tenham tratamento e sejam bem cuidadas”, salientou Francisca.

A jovem começou a receber tratamento em março deste ano por sofrer de depressão. “Ela está melhor e se cuidando mais, graças à equipe do CAPS IJ, que atende bem minha filha”, elogiou a mãe.

Quem também enalteceu o trabalho realizado pelo órgão foi Maria Augusta de Jesus, de 66 anos, que participou do evento junto com o neto, Brian, de 9 anos. A idosa relata que há cinco anos o menino é atendido pelo órgão por ser hiperativo. “Agradeço ao pessoal do CAPS IJ. Eles são atenciosos. Fazem um trabalho muito bom! Meu netinho está melhorando e tomando medicação. Essa data é importante para que mais pessoas também possam receber tratamento e cuidados”, destacou a idosa. 

O prefeito Zezé Gomes reforçou a importância de lembrar a data, uma vez que a pandemia agravou problemas mentais e emocionais nas pessoas. “A luta antimanicomial é uma causa importante. Desde a criança até a pessoa mais idosa precisa receber cuidados, independente do transtorno que esteja sofrendo. Sei que não é fácil trabalhar na saúde. Por isso, parabenizo vocês, profissionais de saúde, que enfrentaram e estão enfrentando problemas difíceis. A pandemia agravou transtornos mentais nas pessoas. Por isso, é nossa responsabilidade cuidar de todos. Que as pessoas participem dessa luta não só hoje, mas todos os dias. Quero que cada um de vocês seja o prefeito dessa causa”, ressaltou Zezé Gomes.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Campos estão preparados para receber partidas do Campeonato de Futebol Amador de Hortolândia

Publicado

em

Prefeitura realizou intervenções nos espaços esportivos para a bola rolar

Os palcos estão prontos para a disputa do Campeonato Amador de Futebol que começa nesta quinta-feira (19/05), data de comemoração dos 31 anos da cidade, com o amistoso entre a Seleção de Máster e a Seleção de Hortolândia às 14h. Além do Campo da Confibra, tradicional espaço esportivo localizado no Jardim Campos Verdes , todos os espaços esportivos onde acontecerão os jogos da primeira e segunda divisões receberam diversas intervenções, desde o início do ano, com o objetivo de oferecer espaços em boas condições para jogadores e espectadores.

O campo do Remanso Campineiro, desde 2019, recebe melhorias no gramado e nas instalações internas como vestiários e parte elétrica. O Campo do Rosolém apresenta nova pintura de cor azul na arquibancada e passou por manutenções na iluminação, para os jogos no período noturno, no gramado e na pista de caminhada localizada ao redor do campo. O Campo do CAIC, no Jardim Amanda, foi entregue à população no final de semana passado. O espaço recebeu a troca do alambrado, melhorias na arquibancada e a construção de um novo banheiro, tudo com acessibilidade para PCD (Pessoa com Deficiência). 

O estádio Tico Breda, localizado no Complexo Poliesportivo Nelson Cancian, no Jardim Nova Hortolândia, recebeu  manutenções nas partes elétricas e hidráulicas. De acordo com a Secretaria de Esportes, o Campo do Adelaide também está em totais condições para a bola rolar. “Além destes serviços pontuais, que garantem um espaço renovado para torcedores e espectadores na disputa do Campeonato Amador de Futebol, todos nossos espaços, semanalmente, recebem limpeza e ações de zeladoria nas áreas interna e externa. Estes trabalhos mantém os locais bem cuidados para a utilização”, comenta o secretário de Esportes da Prefeitura Gléguer Zorzin.

Campeonato está de volta

Após dois anos interrompidos por conta da pandemia do Coronavírus, a 27ª edição do Campeonato Amador de Futebol 2022 será uma das maiores e mais disputadas competições da Região Metropolitana de Campinas. Neste ano, são 24 equipes na primeira divisão e outras 24 na segunda divisão, divididas em três grupos com oito equipes. Clique no link e confira os jogos deste final de semana.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Populares