Meta estabelecida pela Vigilância Estadual é que, até o final do ano, todas as regiões tenham recebido ações de imunização

Hortolândia foi classificada pela GVE (Gerência de Vigilância Epidemiológica), órgão do Governo Estadual, como área ampliada para risco de Febre Amarela. Isso significa que os moradores da cidade poderão ser imunizados contra a doença, independente se vão viajar ou não para áreas de risco. A medida foi comunicada à Prefeitura de Hortolândia, oficialmente, na manhã desta terça-feira (11/04), durante reunião na sede da DRS (Diretoria Regional de Saúde), em Campinas.

 [ad id=”14221″]

O diretor do Departamento de Saúde Coletiva de Hortolândia, Antonio Roberto Stivalle, esteve presente na reunião. Segundo ele, a GVE informou que Hortolândia entrou para o mapa de risco como área ampliada por fazer divisa com Campinas, município onde foi registrada morte de macacos com Febre Amarela, importante indicador de que a doença é transmitida num local. “A recomendação, a partir de agora, é que toda a população seja vacinada. Não temos registro de morte de macacos, nem de pessoas doentes em Hortolândia, mas a imunização é uma forma de prevenção, já que estamos muito próximos de Campinas”, explicou Stivalle.

Para a vacinação, a Secretaria de Saúde fará atendimento por bairros, sendo que os locais de chácaras serão priorizados, uma vez que o mosquito que transmite a doença, o Haemagogus e o Sabethes, habita locais afastados de áreas urbanas. Os primeiros bairros a receberem as doses extras serão os localizados na região da Taquara Branca. “Nestes locais, a vacinação será realizada na própria unidade de saúde”, afirmou o diretor de Saúde Coletiva. A previsão é que a vacina esteja disponível até o final deste mês para esta região.

Moradores das demais regiões da cidade também serão atendidos com a vacina gratuita, que será disponibilizada nas unidades de saúde, gradativamente. A meta estabelecida pela GVE é que toda a população esteja vacinada até o final do ano.

Para viajantes

Além das vacinas que serão enviadas à Hortolândia para a vacinação nas regiões, as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) continuam realizando a vacinação de forma escalonada (confira calendário abaixo). Cada UBS faz a imunização, um dia por semana, no período da manhã. Desta forma, viajantes que tiverem urgência em garantir a imunização podem obter a dose da vacina de maneira mais rápida, antes da ação no bairro onde mora.

Vacina protege pela vida toda

Outro importante comunicado feito pela GVE é sobre a mudança na regra da vacinação. Agora, todo o Estado segue a recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), que afirma que uma dose é capaz de imunizar a pessoa pela vida toda. Assim, quem já tomou a vacina contra febre Amarela antes, independente da idade que tinha na época, não precisa de uma segunda dose. Em Hortolândia, apenas neste ano, foram aplicadas cerca de 6,5 mil doses de vacina contra a Febre Amarela.

È importante ressaltar que não há transmissão de Febre Amarela em área urbana desde 1942, sendo que todos os registros atuais são de pessoas infectadas em áreas de mata. Além disso, a aplicação da vacina pode ocasionar efeitos adversos, desde dor de cabeça e mal estar, que são mais comuns, até casos de encefalite e, em situações extremas, óbito. A dose não é recomendada para idosos com mais de 60 anos, gestantes, bebês com menos de nove meses e pessoas com baixa imunidade.

“Não há motivo para alarme neste momento, sendo que todas as ações são para prevenir o avanço da transmissão da Febre Amarela nos locais onde foram encontrados macacos mortos. No entanto, estamos atentos para manter a situação sobre controle”, enfatizou Stivalle.

Vacina de Febre Amarela, disponível das 8h às 12h, nos seguintes dias e locais:

2ª feira – UBS Rosolén

3ª feira – UBS Novo Ângulo

4ª feira – UBS Sta. Clara

5ª feira – UBS N. Hortolandia

6ª feira – UBS Amanda