As doenças causadas pelo Aedes aegypti, como Dengue, Zika e Chikungunya, podem ser evitadas com a eliminação de criadouros do mosquito. Para conscientizar a população sobre a importância de manter quintais e casas livres de objetos que possam acumular água, a Prefeitura realiza visitas casa a casa. No entanto, este trabalho esbarra numa dificuldade: as casas fechadas e terrenos baldios. Muitos estão sem supervisão do proprietário e uma simples tampinha de garrafa esquecida pode se tornar foco do mosquito transmissor da Dengue. A população pode e deve ajudar a Prefeitura nesta tarefa: ao perceber um imóvel fechado e sem supervisão, basta entrar em contato com a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), solicitando uma vistoria. O telefone é o (19) 3897-3312 ou 3897-5974.

De acordo com o gerente da UVZ, Ibraim Almeida, o maior desafio é saber se os imóveis fechados têm criadouros. “Para isso, contamos com apoio de imobiliárias, que disponibilizam chaves para a nossa equipe fazer a vistoria. Caso não seja possível desta forma, a Prefeitura entra em contato com o proprietário através dos dados do cadastro habitacional”, enfatiza.

Já no caso de terrenos, o descarte irregular de lixo e entulho é outro perigo para a proliferação da Dengue. Neste caso, o proprietário é notificado a providenciar a limpeza. Caso a notificação não seja atendida, a Prefeitura aplica multa. Se o descarte for em terreno público, a Prefeitura remove o material e tenta identificar o infrator, que comete crime ambiental. Neste caso, a multa varia de R$ 160,43 a R$ 32.068,00.

Confira algumas das dicas da UVZ para serem adotadas em casa e ficar longe da Dengue: ralos devem ficar protegidos; calhas devem ser observados com frequência; caixas d’água precisam ser vedadas; objetos que acumulam água devem ficar protegidos da chuva e sem água parada; o compartimento de degelo das geladeiras deve ser limpo, periodicamente; brinquedos precisam ficar guardados em local coberto, vasilhas de água dos animais precisam ter a água trocada com frequência.

Neste ano, Hortolândia registra 359 casos positivos de Dengue, além de 165 suspeitas em investigação.

Ações permanentes

Em setembro do ano passado, a Secretaria de Saúde criou o Plano Municipal de Combate a Arboviroses, com a proposta de prevenir doenças causadas por picadas de mosquito. Com este plano, a Prefeitura traça as ações básicas para combate às doenças, como eliminação de criadouros do Aedes Aegypti; prevenção, com orientação à população; e tratamento de pacientes, incluindo a conduta dos profissionais da rede de saúde quanto à necessidade de notificação dos casos suspeitos, até o atendimento hospitalar dos casos mais graves.

A Prefeitura de Hortolândia lançou, em 2017, o programa Agenda Verde, ação que envolve diversas atividades, como arrastões, Cata Bagulho, plantio de árvores em terrenos antes usados para descarte de lixo, tudo com o objetivo de deixar a cidade mais limpa. Além de colaborar com a manutenção urbana, a Agenda Verde busca despertar na população o sentimento de parceria, uma vez que todos são responsáveis pela limpeza da cidade. A Prefeitura acredita que mobilizando a população, será mais fácil resolver, em conjunto, questões ambientais que se tornam problemas de saúde pública.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia