Você sabia que a pantomima é um tipo de apresentação cênica, surgida na Antiguidade, que utiliza somente os gestos? Para quem tem curiosidade em conhecer esta modalidade teatral, Hortolândia recebe o espetáculo “Gestus”, que terá sessões gratuitas presenciais. As apresentações serão, nesta sexta-feira (21/05), no CCMI (Centro de Convivência da Melhor Idade) do Jardim Amanda, localizado na avenida Princesa Isabel, 1.280. Serão três sessões: 10h, 15h e 17h. O espetáculo também terá sessões às 15h e 17h, neste sábado (22/05), na Escola de Artes Augusto Boal, que fica na rua Casemiro de Abreu, s/nº, Jardim Amanda. A vinda do espetáculo é uma parceria da Prefeitura com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo estadual, por meio do ProAC (Programa de Ação Cultural). 

Em virtude da pandemia do Coronavírus, as sessões acontecerão com capacidade de público limitada a 30%, de acordo com as restrições determinadas pela Fase de Transição do governo estadual em vigor na cidade. Quem quiser assistir o espetáculo, deverá preencher o formulário online disponível por meio deste LINK. A Secretaria de Cultura entrará em contato por telefone com os interessados para confirmação da presença para o espetáculo.

O espetáculo, encenado pelo ator Silvio Leme, da Cia. Teatral Fábulas, é formado por três quadros cômicos, intitulados “O Pescador”, “O Mágico” e “O Encontro”, e um de drama, “A Borboleta”. Os quadro são apresentados por personagens que fazem referência ao cinema mudo e ao comediante britânico Charles Chaplin (1889-1977).

O quadro “O Pescador” conta a história do personagem-título que acorda num belo dia ensolarado para ir pescar. Mas ele não tem habilidade para a tarefa. Tudo começa a dar errado e, para piorar, ele sente uma tremenda dor de barriga. Resultado, ele volta para casa bravo, sem nenhum peixe e terá que explicar para a mulher o motivo de ter demorado.

O quadro “O Mágico” é interativo com o público e mostra as trapalhadas do personagem-título que não consegue executar o número de cortar uma mulher ao meio. Com a ajuda de uma pessoa do público, o mágico tentará fazer o número de tirar o coelho da cartola. O último número é “A Bexiga Fixa” (foto), que utiliza a técnica da ilusão de ótica.

 “A Borboleta” é inspirado no quadro criado na época da Segunda Guerra Mundial pelo ator pantomímico francês Marcel Marceau (1923-2007). O protagonista do quadro passeia por um jardim, que é representado pelo público. Ele encontra uma borboleta e se encanta com ela. A borboleta voa pelo jardim e vai pousando nos ombros das pessoas do público. Ao tentar capturar a borboleta, o personagem mata a borboleta sem querer. Desesperado, ele tira seu coração e dá à borboleta, restituindo-lhe a vida. E então o personagem morre com um sorriso no rosto.

O espetáculo é encerrado com o quadro cômico “O Encontro”, que é interativo. O protagonista escolhe cinco pessoas do público e as leva para o palco. Cada uma delas se transforma em objetos da encenação: mancebo, chuveiro, privada, cesto de lixo e armarinho de banheiro. No quadro, o protagonista chega em casa com pressa. Ele está atrasado para encontrar a namorada. Ele então toma banho, escova os dentes, se veste e quando acha que está tudo certo para sair, sente vontade de usar o banheiro.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia