Connect with us

Nossa Cidade

Estudante do Unasp-Hortolândia debate os desafios na contratação de ex-detentos no mercado de trabalho em congresso na Paraíba

Publicado

em

Artigo do Trabalho de Conclusão do Curso de Administração foi selecionado pela Abrasco para compor o grupo temático “Sistema Penitenciário, Saúde e Violência no Brasil: uma luta coletiva por direitos”

A contratação de ex-detentos no mercado de trabalho: dificuldades e desafios, tema do Trabalho de Conclusão do Curso de graduação em Administração produzido pela aluna do Unasp- Hortolândia (Centro Universitário Adventista de São Paulo), Beatriz Soares Marques, foi apresentado e debatido durante o 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, realizado na Universidade Federal da Paraíba pela Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva), de 26 a 30 de setembro.

No artigo do TCC, a estudante mostra as dificuldades apresentadas pelas empresas para contratar egressos do sistema prisional e os desafios dos ex-detentos para se recolocarem no mercado de trabalho. Também mostra as ações realizadas pelo sistema penitenciário para ressocialização dos presos.

O assunto do TCC vai ao encontro do tema abordado pelo Congresso: Igualdade nas diferenças, por isso foi selecionado para compor o Grupo Temático “Sistema Penitenciário, Saúde e Violência no Brasil: uma luta coletiva por direitos”. Beatriz produziu o TCC em parceria com a aluna Stefany Vieira Jacob, com orientação da professora do Unasp, Karin Barbosa.

“As políticas públicas sociais para a população encarcerada são frágeis no Brasil e isso ficou ainda mais claro nas palestras, grupos temáticos e mesas de discussões do Congresso. Estou muito feliz em contribuir com essa discussão ao ter o meu artigo selecionado pela Abrasco para compor esse importante Congresso”, afirma Beatriz.

Para realizar a pesquisa, a estudante entrevistou pessoas privadas de liberdade de duas unidades prisionais da região de Campinas, ex-detentos e gestores de Recursos Humanos de empresas,  com o objetivo de descobrir as dificuldades que envolvem o retorno dos egressos do sistema penitenciário ao mercado de trabalho.

Dos 34 detentos entrevistados, 76% afirmam não receberem suporte necessário para conquistarem uma vaga de emprego, após passagem pela cadeia. Fora da prisão, o preconceito dos empregadores é outro vilão.  Das 10 empresas contatadas pela estudante para as entrevistas sobre o tema, somente sete se manifestaram. Das sete, duas afirmaram ter fechado contrato de trabalho com um egresso. As demais informaram “que esse tipo de contratação não acontece por conta da política interna”.    

A pesquisa também constatou que existem ações em prol da ressocialização de presos, realizadas por diversos órgãos, que tentam preparar os detentos para voltar ao mercado de trabalho, mas ainda são insuficientes para os egressos encontrarem oportunidade de empregabilidade

“Ao final do trabalho de campo e toda bibliografia pesquisada para construir o artigo, chegamos à conclusão que o preconceito é o maior desafio que os egressos enfrentam e que leva as empresas a não contratarem essas pessoas, muitas vezes amparadas pelas políticas internas das organizações. Outra dificuldade é a falta de qualificação profissional. Todo esse cenário contribui para os egressos voltarem a cometer crimes”, observa Beatriz.

A reinserção de egressos no mercado de trabalho, conclui a estudante, depende de mudanças no sistema prisional, na quebra de paradigmas sociais, esforço do reeducando e abertura de mercado pelas empresas, sempre em conjunta atuação com o Estado. “Infelizmente, o sistema prisional brasileiro não foi criado para recuperar e ressocializar o apenado. É somente punitivo, não oferece educação efetiva como prevê a Lei de Execução Penal Brasileira”.

Condições subumanas no cárcere

De acordo com a pesquisa da estudante, existem 250 mil pessoas presas no Brasil, taxa de 175% de ocupação dos presídios e um total de 1.456 unidades penais. Os dados fazem parte do último levantamento realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional, divulgado em 2017. O Brasil é o terceiro pais com maior população carcerária do mundo. Perde apenas para a China e os Estados Unidos.

O trabalho revela que devido às condições subumanas do cárcere, as unidades não se preocupam com a formação e o desenvolvimento de valores básicos, contribuindo com a reincidência de crimes, que ultrapassa o índice de 80% dos casos, e é agravada pela falta de oportunidade de trabalho, após o cumprimento da pena

Nossa Cidade

Hortolândia reforça sinalização em ruas de unidades de saúde

Publicado

em

Vias próximas das UPA do Jd. Nova Hortolândia e do Hospital Samaritanos foram contempladas na ação

Cuidar da segurança viária em todos as regiões da cidade é uma das prioridades da Prefeitura de Hortolândia. As equipes da Secretaria de Mobilidade Urbana realizaram, nesta terça-feira (18/01), mutirão de reforço e implantação da sinalização de solo no entorno da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Nova Hortolândia. Localizada na rua João Ribeiro Evangelista, o local recebia o estacionamento irregular de veículos em frente ao espaço, dificultando o fluxo de veículos na via e atrapalhando a chegada e saída de ambulâncias no local.

“Em frente a unidade de saúde flagramos muitas situações de desrespeito. Por isso, priorizamos este serviço para que o fluxo na via possa sempre estar livre, evitando problemas a quem precisa usar o espaço e circular pela região. Também retomamos o reforço da pintura em lombadas e faixas duplas amarelas em ruas de algumas regiões”, explica o diretor de operação da Secretaria de Mobilidade Urbana, José Eduardo Vasconcellos.

Também nesta terça-feira,  na rua Osvaldo da Silva, em frente ao Hospital Samaritano, no bairro Villagio Ghiraldelli, as equipes da Administração Municipal reforçaram a pintura de uma lombada na via e de faixas duplas amarelas contínuas. O mesmo serviço aconteceu nas ruas 12 de Junho, no Jardim Mirante e Adamastor Pirschner, no Jardim Santa Clara do Lago. “O trabalho continua nos próximos dias em diversas regiões”, comenta Vasconcellos. 

Para salvar vidas no trânsito, a Prefeitura realiza, desde 2017, uma série de ações, que vão de atividades educativas com motoristas e pedestres, reforço na sinalização, até a implantação de radares controladores de velocidade, principal medida adotada pela Administração Municipal para a redução de mortes no trânsito da cidade. Os dispositivos começaram a funcionar em janeiro de 2019. Além disso, a cidade recebe, periodicamente, um mutirão de Tapa-Buraco em todas as regiões. Outra medida importante é a instalação dos painéis eletrônicos informativos nos portais de entrada e saída da cidade e investimentos na malha cicloviária.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Motociclista fica gravemente ferido ao cair na SP-101

Publicado

em

Por

Um motociclista ficou gravemente ferido ao cair na Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101), na tarde desta terça-feira(18), em Hortolândia.

Condutor transitava com a motocicleta Honda/Titan no sentido Hortolândia a Campinas, quando pelo km 07 leste o pneu dianteiro da Moto estourou, fazendo com que o condutor perdesse o controle da direção, tombando ao solo.

O piloto teve ferimentos graves e o passageiro teve ferimentos leves. Vitimas socorridas ao Hospital Mário Covas, pela UR da Concessionária Rodovias do Tietê.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia inicia vacinação contra a COVID-19 para crianças com comorbidade ou deficiência, nesta quarta-feira (19/01)

Publicado

em

Prefeitura ofertará “xepa” para cadastrados via Whatsapp

Hortolândia inicia a vacinação contra a COVID-19 para crianças de 5 a 11 anos na UBS (Unidade Básica de Saúde) Dom Bruno Gamberini, nesta quarta-feira (19/01). Começarão a ser vacinadas crianças com comorbidade ou deficiência. Na quinta-feira (20/01), a vacinação será na UBS Parque do Horto. Já na sexta-feira (21/01), a vacinação será na UBS Campos Verdes. A vacinação acontecerá das 8h às 15h30. Essas unidades farão a vacinação exclusivamente para as crianças. Para o início da vacinação, Hortolândia recebeu do governo do Estado 1.150 doses da vacina pediátrica da Pfizer. 

A Secretaria de Saúde explica que a vacinação será por livre demanda, com distribuição de senha em cada unidade. De acordo com a Secretaria de Saúde, a previsão é de que sejam aplicadas cerca de 250 doses por dia. 

Na próxima semana, a vacinação será realizada nas seguintes unidades:

– Segunda-feira (24/01): UBSs Novo Ângulo e Dom Bruno Gamberini

– Terça-feira (25/01): UBS Rosolém

– Quarta-feira (26/01): UBS Campos Verdes

– Quinta-feira (27/01): UBS Parque do Horto

– Sexta-feira (28/01): UBS Amanda II

As crianças deverão ir acompanhadas de pai, mãe ou responsável. Será necessário apresentar laudo que comprove a comorbidade ou a deficiência da criança, com o número do CRM (Conselho Regional de Medicina) do médico que a atende. Também será necessário apresentar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) da criança. Caso a criança ainda não tenha o documento, a Secretaria de Saúde orienta para que a família ou o responsável providencie a emissão do documento da criança em alguma das agências dos Correios da cidade.  

Caso a criança compareça acompanhada de adulto, que não seja pai, mãe ou responsável, ela deverá apresentar o termo de autorização para ser vacinada. O termo deverá ser assinado por pai, mãe ou responsável. O termo está disponível no site da Prefeitura para ser baixado neste LINK. O termo também está disponível em versão impressa nas UBSs da cidade. 

A Secretaria de Saúde reforça a solicitação para que a criança venha com apenas um acompanhante para evitar aglomeração na unidade na hora da vacinação.   

Caso a criança apresente reação adversa ao imunizante, a Secretaria de Saúde orienta para que ela seja levada aos serviços públicos de urgência e emergência da cidade.

“XEPA”

Em caso de haver sobra de vacina, a Secretaria de Saúde organizará lista de espera. Para entrar na lista, é necessário que o pai, a mãe ou o responsável da criança envie mensagem via WhatsApp para o número (19) 99920-3204. Na mensagem deverão ser informados o nome do pai, mãe ou responsável, e os seguintes dados da criança: nome, CPF, data de nascimento e idade. A Secretaria de Saúde entrará em contato com as pessoas da lista. As pessoas chamadas terão o prazo de meia hora para levar a criança à unidade onde houve a sobra da vacina.

Continue Lendo

Noticias

Amazon

Populares