Connect with us

Nossa Cidade

Banco de Alimentos de Hortolândia completa 15 anos, promovendo segurança alimentar e sustentando vidas

Publicado

em

Em evento festivo, na tarde desta quarta-feira (27/04), a culinarista Bela Gil defendeu que é preciso vontade política para erradicar a fome no Brasil

“Segurança alimentar é política pública de todas as pessoas e uma preocupação de todos. Não dá para dormir em paz quando sabemos que alguém está passando fome”, ponderou a diretora do Departamento de Segurança Alimentar da Prefeitura de Hortolândia, Alessandra Sarto. Durante a celebração dos 15 anos do programa Banco de Alimentos, na tarde desta quarta-feira (27/04), em evento que contou com a presença do prefeito José Nazareno Zezé Gomes, a diretora mostrou como políticas públicas efetivas, como o BAH (Banco de Alimentos de Hortolândia), podem fazer a diferença na sociedade, sobretudo em cenários de tanta desigualdade social, como os do Brasil atualmente. Dados da Síntese de Indicadores Sociais, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em dezembro passado, revelaram uma realidade desoladora: em 2020, um em cada quatro brasileiros viviam em situação de pobreza, o que significa que 50 milhões de pessoas tinham renda inferior a R$ 450 por mês e aproximadamente 12 milhões de brasileiros estavam na extrema pobreza, vivendo com menos de R$ 155 reais por mês.

Em sua fala aos mais de 200 presentes, dentre eles a culinarista e apresentadora de TV Bela Gil, o prefeito relembrou a luta do município para obter alimento para quem mais precisa desde as lutas pela emancipação, em 1991, até a criação do Banco de Alimentos, em 2005. “Passamos por caminhos árduos, muito difíceis. É triste ver milhões de brasileiros de volta à pobreza. A dignidade de cada trabalhador é poder comprar sua moradia, comida, calçado, roupa. Não é mendigar na porta do Fundo Social de Solidariedade nem do Banco de Alimentos. Vamos lutar para oferecer emprego e coisas melhores para o trabalhador. Lembro dos tempos de pleno emprego e sem fome no Brasil. Sei que teremos dias melhores no futuro”, afirmou Zezé Gomes.

Para o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, pasta à qual o Departamento de Segurança Alimentar está vinculado, este “é um programa de resistência para esperançar dias melhores”, ressalta Fernando Moraes.

O evento de aniversário aconteceu no auditório da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, no Jd. Sumarezinho, e reuniu representantes de entidades assistidas; da Câmara Municipal; a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Maria dos Anjos Assis Barros; secretários e servidores municipais; e a vice-presidente do Comsea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar), Eliane Daluio.

Mais de 4.200 toneladas distribuídas

O balanço anual das ações realizadas pelo Banco de Alimentos, divulgado ontem, mostra que, nesta década e meia de existência, o programa amparou 50 organizações sociais, por meio da arrecadação e distribuição de mais de 4.200 toneladas de alimentos. Em outras palavras, isto quer dizer que, desde sua criação em 2005 até agora, o programa não somente sustentou vidas, por meio da doação de mantimentos, como também contribuiu para valorizar quem trabalha na terra, produzindo alimentos por meio da agricultura familiar. 

De acordo com Alessandra, até 2019, eram quatro os doadores principais ao BAH, o que permitiu a distribuição neste ano de 118 toneladas de alimentos, mais de 90% deles oriundos do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e produzidos em assentamentos e grupos ligados à agricultura familiar. Durante os dois anos iniciais de pandemia, cresceu a participação de pequenos doadores, o que viabilizou a doação, em 2020, de 180 toneladas de alimentos e, no ano seguinte, de 216 toneladas de gêneros, sendo 90 toneladas arrecadadas pela campanha Hortolândia Solidária, em parceria com o Fundo Social. Neste período, duas medidas do Executivo, apoiadas pelo Legislativo, foram decisivas: o Decreto Municipal 5407, de 04 de abril de 2020, que tornou o Banco de Alimentos serviço essencial; e a Lei Municipal 3897, de 19 de novembro de 2021, que instituiu a política de segurança alimentar no município. Por meio delas, o poder público pode atender com mais efetividade à carência das famílias, reconhecendo também a importância deste equipamento público de alimentação e nutrição destinado a arrecadar, selecionar, processar, armazenar e distribuir gêneros alimentícios obtidos por meio de doações e campanhas, além dos produtos adquiridos da agricultura familiar, oriundos do PAA. Estes alimentos são distribuídos gratuitamente às entidades que os repassam a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. Atualmente, são beneficiadas 18 organizações sociais e 1.650 pessoas em Hortolândia.

Uma delas é a ABPV (Associação Beneficente Pedra Viva – Centro de Treinamento Integral Moriah), que atende 85 famílias em diversos bairros na região do Jd. Novo Ângulo e 110 crianças e jovens. A entidade é parceria do BAH desde o surgimento do programa. Inicialmente eram beneficiadas crianças e adolescentes com a distribuição de alimentos e também com a realização de cursos e treinamentos sobre alimentação saudável. Durante a pandemia, o auxílio ampliou-se com a doação de cestas de alimentos e hortifrútis a 350 famílias cadastradas pela organização, entre 2020 e 2021.

Agroecologia e sustentabilidade

A trajetória do Banco de Alimentos coincide com as bandeiras levantadas pela convidada especial neste aniversário de 15 anos, a culinarista Bela Gil, mestra em Ciências Gastronômicas pela Universidade de Ciências Gastronômicas da Itália (Unisg), com ênfase no sistema global da alimentação, e bacharelada em nutrição pela Hunter College em Nova York, que falou sobre “A importância da alimentação saudável e sustentável”. 

Ativista da agroecologia, Bela acredita na transformação do mundo (ambiental, cultural, nutricional) pela alimentação. Neste sentido, para ter uma alimentação mais saudável, numa perspectiva sustentável, cinco pontos ou “acessos” são fundamentais: obter conhecimento, ter condições financeiras, acesso físico/geográfico e a políticas, assim como disponibilidade de tempo. A culinarista defende ainda que é possível erradicar a fome no Brasil, uma tarefa que demanda “vontade política”. Para Bela, a existência de uma política pública no Brasil como o Banco de Alimentos é um bom exemplo destes acessos transformadores, favorecido pelo poder público. “É um programa de extrema importância, como vemos aqui hoje”.

Mas, para ela, o que é sustentabilidade? “Sustentabilidade é algo que possa sustentar vidas. Hoje em dia, a gente está muito dependente de uma certa agricultura, de uma produção e um consumo muito mais destrutivo de vida, no solo, na fauna, da flora e, quando a gente parte para o consumo, de ser humano. O consumo de produtos ultraprocessados é muito deletério e maléfico, quando frequente, para a nossa saúde. A minha definição do sustentável é isso: uma comida pela vida e para a vida e isso tem que estar contemplado na cadeia inteira, desde a forma que a gente produz. Sou uma pessoa que critica bastante as monoculturas, que a gente sabe são devastantes para o solo e têm os problemas sociais relacionados a isso. Sou a favor da agroecologia, a agricultura voltada para a vida, que mantém a vida do solo, da terra, aos animais, as pessoas que ali trabalham e produzem comidas que são saudáveis para a nossa saúde”, explica Bela Gil.

Um pouco mais sobre o Banco de Alimentos

O Programa Banco de Alimentos beneficia faz parte da estrutura operacional do SISAN (Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional) e, em consonância com a meta de erradicação da pobreza extrema, atua como equipamento público multifuncional, buscando potencializar a articulação com outras políticas sociais relevantes para o alcance da população mais vulnerável, por meio do desenvolvimento de ações de Geração de Renda e EAN (Educação Alimentar e Nutricional).

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Campanha do Agasalho realiza neste sábado Dia “D” de arrecadação drive-thru em Hortolândia

Publicado

em

Ponto de coleta será pátio da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Urbanos O Fundo Social de Solidariedade de Hortolândia realiza neste sábado, a partir das 8 horas, o Dia “D” de  arrecadação para a Campanha do Agasalho 2022. A ação, que conta com apoio da EPTV-Campinas, será realizada por meio do sistema drive-thru na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos – rua Capitão Lourival Mey, 869, no Remanso Campineiro.

De acordo com a presidente do Fundo Social, Maria dos Anjos, o Dia de Mobilização é importante para impulsionar a campanha, funcionando como ferramenta de chamamento público em favor da solidariedade. “O Dia ‘D’ será um momento de grande mobilização e contamos com a participação de todos. Olhe em seu guarda-roupa, doe um agasalho que você não usa mais e que esteja em bom estado de conservação. Essa doação pode fazer a diferença na vida de uma pessoa”, explicou Maria. Para a campanha, podem ser doadas roupas masculinas e femininas, para todas as idades, cobertores, roupas de cama, meias, gorros, sapatos e toalhas. “O drive-thru funcionará até às 17 horas e contamos muito com a participação da nossa comunidade nesta edição de 2022. Neste ano o frio chegou mais cedo e atender as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade é fundamental. Conto com o apoio de todos e tenho certeza que atingiremos nosso objetivo, afinal, nossa população sempre se mostrou solidária e vem aderindo em peso nas nossas campanhas”, destacou a presidente.A Campanha do Agasalho 2022 foi lançada oficialmente no dia 19 de maio, durante as comemorações pelos 31 anos de Hortolândia. Para facilitar a doação, o Fundo Social de Solidariedade espalhou caixas de coleta para entrega voluntária nos prédios públicos, como Prefeitura e Câmara, e em outros 36 pontos estratégicos do município. A doação também pode ser feita diretamente na sede do Fundo Social, na rua Benedito Francisco de Faria, 467, no Remanso Campineiro. CONFIRA OS LOCAIS DE COLETA

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura conclui ações do Maio Amarelo por um trânsito consciente com o 4º Seminário de Segurança Viária

Publicado

em

Evento foi realizado na manhã desta sexta-feira (27/05), na Câmara Municipal

Realizado na manhã desta sexta-feira (27/05) na Câmara Municipal, o  4º Seminário de Segurança Viária marcou o encerramento do ciclo de ações do Maio Amarelo por um trânsito mais seguro em Hortolândia. O encontro contou com a presença do prefeito Zezé Gomes e envolveu diversas secretarias da Prefeitura com debates, sobre variados temas,  além de sugestões e estudos que serão aplicados para contribuir com o desenvolvimento do novo Plano de Mobilidade Urbana. Também participam o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e as concessionárias CCR Autoban e Rodovias do Tietê, responsáveis por estradas que passam pela região.

“Em 2017, foi criada a Secretaria de Mobilidade Urbana para aumentar a segurança, eficiência do nosso transporte e um deslocamento ágil pela cidade trazendo mais qualidade de vida aos nossos cidadãos. Além das medidas implementadas que causaram impactos positivos na vida da população, ao longo do tempo, reduzimos os acidentes de trânsito na cidade. 

Estamos aqui para celebrar e pensar no futuro da mobilidade urbana em Hortolândia. Essa é a nossa principal missão,  cuidar das pessoas e construir uma cidade cada vez mais sustentável e inteligente e que cresça e partilhe este desenvolvimento entre todos os filhos da nossa terra”, comentou o prefeito Zezé Gomes na abertura da atividade.

“É importante esta troca de conhecimentos neste seminário para implementarmos a nova diretriz do Plano de Mobilidade Urbana para a cidade. O conjunto das ações realizadas durante todo este tempo também foi apresentado e, assim, juntos, vamos desenvolvendo novas formas de aplicar as ações no futuro para continuar salvando vidas no trânsito em meio ao crescimento da cidade”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Atílio André Pereira.

Maio Amarelo por um trânsito mais seguro

Neste mês, além da realização do 4º Seminário de Segurança viária, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana. ofereceu três edições do “Café na Passarela”, que orienta pedestres e motoristas sobre a necessidade do cuidado ao atravessar rodovias e sugerindo a utilização das passarelas contra acidentes; quatro etapas “Ação Bar”, para conscientização sobre os perigos de beber e dirigir; a “Operação Cavalo de Aço”; a ligação de novos semáforos; distribuição de folhetos informativos para motoristas nas principais vias da cidade e o passeio ciclístico “Vem de Bike”.

A meta é salvar vidas no trânsito de Hortolândia

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana, além dos acidentes, Hortolândia diminui o número de vítimas causadas por colisões no trânsito. Na comparação entre 2017 e 2021, houve uma redução de 79% nos acidentes com vítimas nas ruas e avenidas dentro dos limites do município. Com isso, a cidade cumpre a meta estipulada pela ONU (Organizações das Nações Unidas) na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, regulamentada pela instituição  apontando que até 2030, governos de todo o planeta devem tomar novas medidas para prevenir os acidentes com vítimas.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Obra na região do Parque Santa Fé ganha reforço no sistema de drenagem pluvial

Publicado

em

Prefeitura de Hortolândia implanta novo sistema viário próximo ao Pq. Socioambiental Lago da Fé 

A obra em execução pela Prefeitura de Hortolândia na região conhecida como “ocupação do Santa Fé” avança um pouco mais. Equipes da empresa contratada pela Secretaria de Obras trabalham, agora, na implantação dos sistemas de drenagem pluvial. Em alguns trechos, são implantados grandes tubos de concreto para captação de águas das chuvas; outros ganham bueiros e PVs (poços de visita). Também avança a construção da nova via e da ciclovia que integram o sistema viário. Ele oferecerá nova rota de acesso a quem vem do Jardim Novo Cambuí em direção à região do São Sebastião e do Jardim Interlagos.

Este novo viário está localizado nas imediações do Parque Socioambiental Lago da Fé, mais ao fundo do reservatório de contenção de enchentes. De acordo com o Departamento de Projetos e Orçamentação, está prevista a implantação de pista de caminhada com 1.644 metros de extensão; de ciclovia de 550 metros de extensão, integrada com a já existente no Lago da Fé e de viário com 970 metros de extensão, conectando o trecho com a ponte do São Sebastião. O trecho também ganhará iluminação em LED. As obras chegam a 50 por cento dos serviços executados, aproximadamente, segundo a Secretaria de Obras. 

A nova via em construção, entre a Rua Vitória da Conquista à rua sem nome, já conta com meios-fios da calçada e sarjetas, sendo preparada para receber pavimentação. O trecho já avança para se conectar com a Rua da Confibra, até a ponte do Residencial São Sebastião. Ao lado dela foi construída, com concreto pigmentado de vermelho, mais uma parte dos 550 metros de ciclovia que serão implantados no local. Além disso, acontece a terraplenagem no terreno próximo ao canal. 

O término da obra está previsto para junho deste ano. Segundo o Departamento de Obras, parte do viário será novo, feito agora, e parte será recapeada. As obras contemplam ainda o prolongamento da Rua da Confibra, no Jd. Santa Fé, até a rotatória da Avenida Joaquim Marcelino Leite, entre o São Sebastião e o  Jd. Interlagos.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Noticias

Publicidade

Populares