Connect with us

Nossa Cidade

1ª turma do curso de LIBRAS recebe certificado em cerimônia de formatura

Publicado

em

Formação oferecida pela Prefeitura busca promover inclusão de surdos na rede municipal

1ª turma do curso de LIBRAS recebe certificado em cerimônia de formatura

A noite desta terça-feira (22/10) foi de formatura para os inscritos no Curso Livre Básico de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), promovido pela Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Educação. Os certificados foram entregues no auditório do Centro de Formação Paulo Freire, no Remanso Campineiro.

Ao disponibilizar a formação, a Prefeitura pretende contribuir com a inclusão de alunos surdos ou com perdas auditivas nas escolas de Ensino Fundamental e Educação Infantil do município. O curso, inteiramente gratuito, teve a duração de 160 horas.

A solenidade reuniu cerca de 150 pessoas, entre formandos, familiares, autoridades e demais gestores educacionais. Entre os quinze formandos estão servidores públicos, membros da comunidade, professores e funcionários de outras instituições. A vice-prefeita e secretária de Governo, Renata Belufe, representou o prefeito Antonio Meira.

“A proposta é capacitar o maior o número de professores para o trabalho de inclusão. A previsão é que, no próximo ano, os educadores recebam uma formação mais avançada”, informou o Diretor do Centro de Formação Paulo Freire, Aparecido Donizeti Chagas de Faria.

Um dos momentos marcantes da cerimônia foi a leitura de uma carta, em nome do grupo, feita pela aluna e educadora infantil, Lílian do Amaral Lopes, da Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Profª Zenaide Lira Seorlin, que enfatizou a importância do curso e sua continuidade. “A expectativa do grupo é avançar e continuar com o apoio da Prefeitura em promover cursos especializados para colaborar, além da formação profissional, com a atuação em nosso campo de trabalho, em nossa cidade”, disse Lílian.

A vice-prefeita parabenizou os formandos e destacou a importância da sociedade em aprender, aperfeiçoar e transmitir os conhecimentos inerentes à inclusão e LIBRAS. “Hoje simboliza mais uma ação que indica que estamos no caminho certo. É uma noite de superação. Aqui estão pessoas que se dedicaram por quase dois anos para realizar este sonho e isso só acontece com amor ao próximo e qualidades profissionais. Parabéns a cada um por aceitar o desafio de fazer uma Hortolândia cada dia melhor e inclusiva”, afirmou Renata.

Outro momento importante foi a interpretação de hinos evangélicos pelo casal Carlos Alberto de Oliveira e Rosemeire Selis de Oliveira, ambos servidores públicos da Prefeitura, ele como motorista da Central de Ambulâncias e ela, educadora infantil. “Fazer este curso trouxe uma nova visão do mundo, me ajuda todo dia a melhorar como ser humano e saber que aprendi uma nova linguagem que posso usar no meu trabalho, na igreja e ser um instrumento de comunicação entre surdos e ouvintes. É gratificante e necessário no mundo de hoje”, comentou Carlos.

“Com esse trabalho, a Secretaria Municipal de Educação fortalece o compromisso com a igualdade de oportunidades e o processo de inclusão das pessoas com necessidades especiais na sociedade e entende que não é possível pensar em educação inclusiva, sem acreditar que fazemos parte dela. A inclusão, de fato, só acontece quando há respostas às diferenças”, ressaltou a primeira-dama e secretária de Educação, Cleudice Baldo Meira.

As aulas foram ministradas pela professora Elaine Aparecida da Silva. “Este é quarto módulo, que começou em março deste ano, mas já estamos trabalhando e promovendo cursos desde 2011. São mais de 200 alunos inscritos. É um movimento que vem ganhando forças com profissionais da escola e da comunidade. Pessoas que querem atuar na sociedade nesta área, nas empresas da cidade. É um grande passo”, disse.

Já a diretora do CIER (Centro Integrado de Educação e Reabilitação Romildo Pardini), Zilda Rodrigues Rossi, concorda com as melhorias que o curso trouxe na comunicação dos alunos, das famílias e da escola. “A inclusão só se faz com o envolvimento das pessoas, com a vontade de fazer mudar aquilo que não antes acontecia. O compromisso da formação profissional garante qualidade educacional aos alunos com diferentes deficiências”, avaliou.

A LIBRAS é a língua de sinais usada pela maioria dos surdos dos centros urbanos brasileiros e reconhecida pela Lei 10.436, de 24 de abril de 2002. A linguagem é derivada tanto de uma língua de sinais autóctone (local, natural da região) quanto da língua gestual francesa, por isso é semelhante a outras línguas de sinais da Europa e da América. A LIBRAS não é a simples gestualização da língua portuguesa, e sim uma língua à parte. No Brasil, o poder público e as empresas concessionárias de serviços públicos são obrigados a garantir formas institucionalizadas de apoiar o uso e difusão da Língua Brasileira de Sinais como meio de comunicação objetiva e de utilização corrente das comunidades surdas do País.

Confira a lista de formandos:

Carlos Alberto de Oliveira
Célia Maria Bonatti Correa
Claudia Cristina Rodrigues da Rocha
Débora Cristina de Bairros
Josefa dos Santos Rodrigues Andrade
Luciana Silva
Lílian do Amaral Lopes
Leonor da Silva Pereira Andrade
Luana Cíntia Rosa Parra
Lucimara Aparecida Ramos Rocha
Maria Claudia Pereira da Silva
Rita de Cássia Mateus
Rosemeire Selis de Oliveira
Sheila Maria dos Santos
Silvana Maria Pereira de Sousa

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia.



Nossa Cidade

Censo habitacional em condomínios resultará em ações da Prefeitura para atender crescimento populacional

Publicado

em

HortolandiaPredios

Ajuste no Plano Diretor de Hortolândia possibilitará implantar mais equipamentos públicos, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer
 
Construir uma cidade sustentável, com equipamentos públicos que atendam de forma satisfatória seus moradores. Este é um dos critérios para um município ser considerado cidade inteligente. Com foco neste objetivo, a Prefeitura de Hortolândia iniciou a aplicação de uma pesquisa junto aos empreendimentos habitacionais particulares, implantados em diversos bairros da cidade.

Com base neste censo habitacional, a Administração Municipal terá um diagnóstico da densidade populacional das áreas de condomínios, para que novos serviços públicos sejam implantados para atender esta demanda, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer.
 
De acordo com o secretário adjunto de Planejamento Urbano, Eduardo Marchetti, o censo habitacional nas áreas de condomínios deve ser concluído ainda neste ano. “A apuração inclui informações sobre quantidade de pessoas por residência, idade, se estes moradores têm plano de saúde ou se utilizam a rede pública de saúde, se frequentam escola, se trabalham no município, entre outros dados importantes para o planejamento de ações para atender o crescimento populacional. Com base nestas informações, vamos readequar o Plano Diretor de Hortolândia, estabelecendo novas metas para serem executadas a médio prazo, em cerca de 5 anos”, destacou Marchetti.
 
De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a ação atende as recomendações do Projeto Andus (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável). Hortolândia é uma das seis cidades brasileiras participantes do projeto Andus de cooperação entre o governo federal brasileiro e a Alemanha, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH (Agência de cooperação técnica alemã). A parceria proporciona transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor em Hortolândia, de modo a tornar o município cidade modelo de sustentabilidade.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura repassa recursos para entidades assistenciais do município

Publicado

em

inclusão

Entidades atendem cerca de 900 pessoas em situação de vulnerabilidade social

A pandemia do Coronavírus tem deixado muitas pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em Hortolândia, essas pessoas são atendidas por entidades assistenciais, parceiras da Prefeitura. Para ajudá-las a manter suas atividades, a Administração Municipal irá subvencionar 12 organizações sociais do município.

Nesta segunda-feira (25/10), representantes das 12 entidades se reuniram com a Prefeitura para a assinatura dos contratos. O encontrou contou com a presença do secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, e do CMAS (Conselho Municipal de Assistência Social).

De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, essa subvenção é o repasse anual que a Prefeitura realiza para entidades assistenciais da cidade. Os recursos são provenientes do próprio município. O órgão definiu as entidades que vão receber os recursos.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, as entidades têm o prazo de quatro meses para utilizar os recursos. Posteriormente, devem fazer a prestação de contas para a Prefeitura. As 12 entidades atendem cerca de 900 pessoas em vulnerabilidade social.

Confira abaixo as 12 entidades contempladas com os recursos:

– Instituto Esperançar

– ASBAFE (Associação Batista Fruto da Esperança)

– ABPV (Associação Beneficente Pedra Viva – Centro de Treinamento Integral Moriah)

– Associação dos Patrulheiros e Guarda Mirim de Hortolândia

– Associação Instituto das Irmãs Missionárias da Imaculada Rainha da Paz (Casa Betânia da Paz)

– Associação Casa da Criança Feliz

– CCSP (Centro Comunitário São Pedro)

– Contato Obras Sociais e Educacionais

– IESEHR (Instituto Educacional de Assistência Social dos Evangélicos de Hortolândia e Região)

– Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Central Brasileira (Núcleo de Crianças “Vinde a Mim”)

– SAH (Sociedade Amigos de Hortolândia)– CCART (Centro de Convivência, Aprendizagem, Reabilitação e Trabalho)

Continue Lendo

Nossa Cidade

Cursos de qualificação profissional em Hortolândia com bolsa-auxílio

Publicado

em

Inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa estadual Via Rápida

O avanço da vacinação contra a COVID-19 possibilita a retomada gradativa das atividades presenciais. Diante deste cenário, muita gente busca recolocar-se no mercado de trabalho no período pós-pandemia.

Para ajudar essas pessoas, a Prefeitura de Hortolândia disponibiliza dois cursos de qualificação profissional oferecidos pelo programa Via Rápida, do governo do Estado.

Os cursos são de almoxarife e estoquista e de porteiro e controlador de acesso. As inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa (CLIQUE AQUI). As atividades fazem parte do programa “Capacita Hortolândia”, da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que promove formações profissionalizantes, voltadas tanto a bolsistas do programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, Trabalho e Educação) quanto à população em geral.

Cada curso tem 20 vagas disponíveis. As aulas do curso de almoxarife e estoquista acontecerão no período matutino, das 8h às 12h. Já as aulas do curso de porteiro e controlador de acesso serão no período vespertino, das 13h às 17h.

Os cursos estão previstos para começar no dia 8 de novembro, no Observatório Ambiental Parque Escola (antigo Creape), localizado na rua Bolívia, 290, Jardim Santa Clara do Lago. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, os alunos que tiverem 95% de frequência nos cursos recebem uma bolsa-auxílio no valor de R$ 210,00.

Continue Lendo

Populares