O prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette, anunciou neste sábado (30) o adiamento da flexibilização para o dia 8 de junho.

A decisão foi tomada após o aumento da demanda regional por atendimento médico em Campinas e a dificuldade para ampliação de leitos de UTI, que atingiu 91% de ocupação na cidade, devido também a demanda regional, que acaba caindo sobre o município.

“A minha decisão é caso a população necessite, a gente tenha leitos caso a população fique doente”, disse Jonas.

“O prefeito disse ainda que o problema do município não é de equipamentos e de respiradores. “O nosso problema é a demanda por profissionais da saúde, que tem acontecido em outras regiões e que, embora tenhamos muitos profissionais, estamos encontrando uma certa dificuldade em fazer as contratações extras”, afirmou.

Jonas também informou que a administracao vai contratar leitos de UTI da iniciativa privada:

  • Santa Casa: mais 5, podendo chega a 13;
  • Casa de Saúde: mais 6, a partir de terça-feira (2);
  • Samaritano: mais 3, a partir de quarta-feira (3);
  • Hospital PUC: mais 13, até quarta-feira (3);
  • Hospital Metropolitano: mais 15, contratação a ser definida;

Jonas aproveitou para informar que irá rever a medida de flexibilização apresentada anteriormente. Nela há uma divergência com o decreto estadual, que não permite a abertura de restaurantes na Fase 2, em que Campinas se enquadrou.

Artigo anteriorShoppings e igrejas poderão abrir em Hortolândia, mas com restrições
Próximo artigoCORONAVÍRUS NO BRASIL: 498.440 contaminados, 200.892 curadas e 28.834 óbitos