Brasil

Cai parte do estádio do Corinthians deixa mortos

estadio
Um acidente nas obras do estádio do Corinthians, ocorrido na tarde desta quarta-feira (27), deixou duas pessoas mortas, de acordo com a Polícia Militar e com o Corpo de Bombeiros (inicialmente os bombeiros chegaram a falar em três mortos). Um guindaste que estava do lado de fora do estádio, tombou e atingiu parte da estrutura das arquibancadas e um caminhão que estava parado no local.

Segundo a construtora Odebrecht, que lidera o consórcio que faz a obra, morreram no acidente os trabalhadores Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, motorista e operador de guindaste do tipo munck da empresa BHM, e Ronaldo Oliveira dos Santos, 44 anos, montador da empresa Conecta.

A construtora explica em nota que pouco antes das 13h, o guindaste que içava o último módulo da estrutura da cobertura metálica do estádio tombou provocando a queda da peça sobre parte da área de circulação do prédio leste – atingindo parcialmente a fachada. Segundo a empresa, a estrutura da arquibancada não foi comprometida. Um caminhão que estava nesta área externa foi atingido e o motorista que estava na cabine morreu.

Em nota, o Corinthians lamentou o acidente e decretou sete dias de luto. O estádio do Corinthians foi o local escolhido pela Fifa para o jogo de abertura da Copa do Mundo no dia 12 de junho de 2014, que será entre a seleção brasileira e um adversário a ser definido no sorteio das chaves do Mundial no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauipe (BA). Outros cinco jogos da Copa também estão previstos para a Arena Corinthians.

MP estuda pedir suspensão da obra

O Ministério Público Estadual (MPE) informou que fará uma vistoria no local e exigirá laudos da Polícia Técnico-Científica para avaliar se irá pedir a Justiça a paralisação da obra do estádio da abertura da Copa. O promotor José Carlos de Freitas, da Promotoria de Habitação e Urbanismo, disse que a vistoria que fará com o Corpo de Bombeiros já estava programada por conta de um relatório que havia recebido da corporação, que listou 50 irregularidades apontadas na construção do estádio em relação à segurança contra incêndios.

De acordo com relatório do Corpo de Bombeiros, o estádio não tinha, até 29 de outubro, aprovação do “Projeto Técnico de Segurança Contra Incêndio”. Segundo documento ao qual o G1 teve acesso, a razão foi a “morosidade” na correção de “inconformidades” constatadas no projeto técnico.

FONTE: G1



Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98