Connect with us

Outros

O que escolher: freezer ou congelador?

Publicado

em

Imagine que você está montando sua cozinha e precisa escolher entre Freezer ou Congelador. Qual destes dois seria melhor? Quais as diferenças entre eles? É para tentar tirar estas dúvidas que comentaremos sobre isso nesta postagem!

Para começar, é importante dizer que as principais diferenças são: a localização/tamanho do compartimento e também as variações de temperatura.

Na questão da localização, saiba que se for adquirir uma geladeira com apenas uma porta significará que você não terá um freezer. O compartimento para tal função precisa ser separado e ter, automaticamente, duas portas.

Quanto à variação de temperaturas – que impede a circulação e criação de micro-organismos –, como um freezer pode alcançar temperaturas de -20°C (tudo dependerá do modelo e potência do motor), a preservação dos alimentos será maior. O congelador tem uma média de temperatura de -6°C, o que diminuirá esta conservação ideal dependendo do alimento.

No fim das contas, o ideal é ter em mente que se mora sozinho, não cozinha muitas vezes e faz compras relativamente pequenas, aposte na geladeira com congelador. Existem modelos com ótima capacidade de armazenamento no freezer.

Mas se sua realidade for diferente, tiver uma família grande e estocar quantidades maiores de alimentos por um longo tempo, o freezer é a sua opção.

As geladeiras Side by Side, que são duplex, têm design belíssimo e vem com freezer grande e isolado. Esta pode ser uma sugestão e tanto se puder gastar um pouco mais.

Agora é só colocar todos estes prós e contras na balança e escolher entre Freezer ou Congelador.

Outros

Comgás lança hub de inovação para criação de soluções voltadas aos desafios do setor de energia

Publicado

em

Orientado a startups, universidades e empresas, o Plugue surge para conectar e desenvolver ideias e já recebe inscrições de novos projetos direcionados ao mercado de gás e energia até 30 de novembro

A Comgás, maior distribuidora de gás natural encanado do país, acaba de lançar o Plugue, seu hub de inovação aberta voltado para a captação de possíveis parceiros que estejam dispostos a propor soluções para os desafios do setor de gás e energia. A novidade já nasce com inscrições abertas à novas ideias que podem ser enviadas até 30 de novembro pelo site https://www.plugue.network/

Por meio desta plataforma, startups, universidades, institutos e empresas terão a chance de propor ideias, soluções e ferramentas para as áreas de inteligência de mercado, logística, supply chain, ESG, eficiência energética, entre outros.

“Inovação é um pilar estratégico para a Comgás e estamos orgulhosos de lançar o Plugue como um canal para prospectar e estreitar o relacionamento com parceiros em busca de iniciativas que possam transformar o futuro do mercado de energia”, afirma Cristiano Barbieri, diretor de Tecnologia, Inovação e Mercado da Comgás.

Focado no futuro, o hub é mais um meio de evidenciar as diversas iniciativas que a empresa realiza para promover e democratizar a cultura da inovação que surge neste mercado já contando com mais de 180 startups em sua base, mais de 20 parceiros, além de já ter realizado inúmeros eventos e hackathon para a comunidade conectada ao Plugue. Além de inscrever ideias e projetos, também é possível ter acesso a conteúdos exclusivos e aprimorar conhecimento pela seção Academy da plataforma e ainda a possibilidade de se conectar a maior distribuidora de gás encanado do País.

Serviço: Plugue

Canais: para participar, basta acessar o link https://www.plugue.network/

Atenção: antes de se inscrever, verifique a sua modalidade ideal na plataforma

 Sobre a Comgás

A Comgás possui mais de 19 mil quilômetros de rede de distribuição de gás natural encanado em 93 municípios, abastecendo os segmentos industrial, comercial, residencial e automotivo, além de viabilizar projetos de cogeração e disponibilizar gás para usinas de termogeração.

Com fornecimento ininterrupto e atendimento 24h, a companhia atende mais de 2,1 milhões de clientes em sua área de concessão no Estado de São Paulo: a Região Metropolitana de São Paulo, a Região Administrativa de Campinas, a Baixada Santista e o Vale do Paraíba. 

Continue Lendo

Outros

Confira cinco dicas para evitar golpes na compra de carros seminovos e usados

Publicado

em

Enquanto há um aquecimento do setor, também se observa uma maior ocorrência de fraudes

Segundo informações divulgadas pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), o mercado de carros seminovos e usados teve um crescimento de 48,8% entre os meses de janeiro a agosto em comparação ao mesmo período de 2020. No entanto, enquanto há um aquecimento do setor, também se observa uma maior ocorrência de casos de golpes, principalmente em compras realizadas no ambiente virtual. 

De acordo com Daniel Abbud, CEO e sócio-fundador da Dryve, super app de compra e venda de carros usados e seminovos, o aumento da busca por essas modalidades acontece por conta de uma baixa na oferta de automóveis 0-km. “Estamos enfrentando um momento de falta de componentes e de encarecimento de insumos, o que consequentemente afeta a produção dos zeros. Em paralelo, a pandemia contribuiu para que os consumidores passassem a procurar um meio de locomoção próprio, além de realizarem mais compras na internet”, explica.  

Pensando em auxiliar aqueles que desejam adquirir automóveis seminovos e usados, o executivo separou as principais dicas para evitar golpes. Confira abaixo:

  • Pesquisar pelo RENAVAM ou placa do veículo

Os dados do RENAVAM ou placa do veículo não podem ser alterados e, portanto, o interessado pode encontrar todas as informações e histórico do veículo. Para isso, basta acionar um corretor de seguros de confiança ou no Detran mais próximo. 

  • Tabela FIPE 

A Tabela FIPE é a responsável por reunir os preços médios de veículos anunciados pelos vendedores no mercado nacional, o que pode ajudar a definir um parâmetro para as negociações. Ou seja, se o carro estiver à venda por um valor muito abaixo do padrão, é motivo para se desconfiar da venda. 

  • Investigue 

Infelizmente não tem como saber se uma loja física ou digital é ou não confiável. No momento, não existe um órgão fiscalizador ou algum site em que o consumidor possa checar a procedência do local. Para evitar cair em golpe de lojas falsas, o ideal é pedir o CNPJ para o vendedor a fim de checar a existência no site da Receita Federal ou na SERASA. Outra dica é realizar uma checagem em sites como o Reclame Aqui. 

  • Dê preferência a um intermediário 

Em alguns aplicativos de compra e venda de automóvel, existe o papel de um negociador credenciado. Ou seja, além da plataforma cuidar de questões como veracidade do anúncio e parcerias com bancos para financiamento dos carros, essas empresas também oferecem um serviço em que um profissional irá intermediar toda a negociação, o que garante otimização de tempo e assertividade nos processos envolvidos.

  • Evite pagamentos antecipados

Um golpe de venda de carros muito comum é a exigência de um pagamento antecipado para fechar o negócio. Os golpistas podem, inclusive, emitirem boletos falsos. O ideal é pagar apenas após a assinatura do contrato de compra, evitando ao máximo qualquer parcela antecipada.

Lembrando que caso o consumidor já tenha caído em um golpe, o PROCON da cidade deve ser acionado e é necessário, também, a realização de um boletim de ocorrência eletrônico ou na delegacia mais próxima. 

SOBRE A DRYVE  

A startup Dryve é um super app de compra e venda de carros, que reúne em um só lugar mais de 1,5 milhão de anúncios de automóveis usados de todas as plataformas do Brasil. São mais de 2.300 agentes autorizados que prestam suporte aos clientes na negociação de compra e venda e na indicação de serviços que auxiliam no cuidado da vida útil de veículos seminovos e usados. O potencial tecnológico de uma sofisticada combinação de algoritmos proporciona velocidade e precisão nas propostas de financiamento ao cliente, sugerindo a instituição financeira que mais se adequa ao momento econômico do comprador, com valores e taxas atraentes.

Continue Lendo

Outros

5 dicas de marketing para pequenas empresas

Publicado

em

Engana-se quem pensa que um planejamento de marketing completo e estratégico só é possível para grandes empresas já estabelecidas no mercado! Muito pelo contrário, o marketing para pequenas empresas é um aliado importante e deve ser colocado em prática o quanto antes, afinal, existem estratégias simples e úteis que, quando bem feitas, fazem toda a diferença.

A importância do marketing para empresas

Marketing é o conjunto de ações e estratégias feitas com o objetivo principal de divulgar, promover e vender serviços ou produtos. Com o avanço da internet e o crescimento das redes sociais como vitrines para empresas, o modo de consumo mudou e, hoje, é preciso estar presente no meio digital para aumentar a visibilidade e as vendas.

Porém, para que isso seja possível e uma empresa aumente seu fluxo de vendas, existem alguns pontos importantes para considerar em um planejamento de marketing:

Muito além de oferecer um produto ou serviço de qualidade, é preciso encantar o consumidor atual para conquistá-lo, fidelizá-lo e desenvolver um relacionamento.

Afinal, o consumidor atual valoriza experiência, humanização e conexão com a marca. Assim, é importante investir em estratégias que vão além de entregar apenas um bom produto, mas que também entreguem uma experiência completa – digital ou off-line.

Isso possibilita, além da fidelização, a divulgação espontânea, afinal, quando consumidores estão satisfeitos, dividem suas experiências com mais pessoas – especialmente nas redes sociais!

Outra excelente vantagem do marketing para pequenas empresas é o ótimo custo-benefício, já que existem diversas estratégias para todos os objetivos – por isso a importância de um planejamento.

Confira 5 dicas de marketing da sua gráfica online para aplicar no seu negócio.

Antes de colocar a mão na massa, é importante analisar e definir quem é o público-alvo da empresa, ou seja, quem são os consumidores que a marca deseja alcançar.

Com isso em mente, as estratégias terão mais sucesso, afinal, os conteúdos serão criados de acordo com esse consumidor, sua linguagem, faixa etária, etc.

#1 Esteja presente nas redes sociais (e seja constante!)

Tenha contas nas principais redes sociais utilizadas pelo público (como o Facebook e o Instagram) e seja constante!

Hoje, com tantas informações disponíveis, é preciso se mostrar presente e aparecer com frequência para ser notado.

De stories à reels, publicações e lives, adapte os principais formatos à linguagem da sua empresa e crie conteúdo com frequência!

Dica extra: o consumidor atual valoriza – e muito – a interação, o relacionamento e a atenção! Então, lembre-se de responder e atender com agilidade, focando na conexão com o consumidor.

#2 Crie conteúdo de valor

O conteúdo de valor é uma estratégia muito utilizada e que funciona muito bem para demonstrar ao consumidor que a empresa, muito além de ter produtos e serviços para venda, oferece conteúdos interessantes, informativos e educativos, sem necessariamente citar o produto na postagem.

No caso de uma papelaria, por exemplo, é possível criar conteúdos com dicas como “3 dicas para organizar a sua rotina” ou “Como escolher os materiais escolares para 2022?”.

Assim, o consumidor se interessa pelo conteúdo, percebe que a marca tem domínio na área e as chances de que ele compre se tornam muito maiores! Também garante engajamento – sempre muito bem-vindo, certo?

#3 Vá além das redes: site e blog

Sim, as redes sociais são cruciais!

Mas, lembre-se que muitos consumidores buscam empresas diretamente no Google. Portanto, é importante estar presente em outros canais.

O site é muito importante porque demonstra profissionalismo e funciona como um grande portal da marca, onde o consumidor encontra todas as informações necessárias: endereço, telefone, redes sociais, etc.

Já o blog (anexado ao site) é o espaço perfeito para criar conteúdo de valor no formato de texto. A grande vantagem do blog corporativo é que, além de demonstrar profissionalismo, auxilia no encontro da empresa pelo consumidor, no Google, através do SEO (Search Engine Optimization).

Seguindo o exemplo da papelaria personalizada, um ótimo exemplo seria publicar um artigo explicando as diferenças entre agendas (datadas, não datadas, com ou sem pauta…).

O consumidor, muitas vezes, buscando por “agendas não datadas” pode encontrar o artigo e, automaticamente, conhecer a empresa, o mesmo poderia ser considerado no caso do cliente está procurando por exemplo um cartão de visita de advogado que seria algo mais específico.

#4 Cadastre-se no Google Meu Negócio

O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita do Google que funciona como uma ficha da empresa, pois contém os dados básicos como imagens, endereço, telefone, etc – ela aparece quando o usuário pesquisa o nome da empresa no Google!

Quando uma empresa está cadastrada no Google Meu Negócio, ganha um espaço de destaque na página principal, na lateral.

Além dos dados básicos citados acima, nesse espaço o cliente tem a possibilidade de avaliar a empresa e deixar um feedback. É uma ótima divulgação!

#5 A experiência importa: brindes e impressos

O marketing digital é essencial! Mas, o tradicional não fica de lado.

Proporcionar experiências com o uso de brindes personalizados auxilia no branding da empresa e gera uma conexão entre marca-cliente, que se sente querido ao ganhar um brinde!

Além disso, o uso dos impressos como panfletos, cartões de visitas e banners é um diferencial importante na divulgação além do digital. Assim, é possível conquistar público de várias maneiras!

Contar com uma gráfica especialista é o principal fator para oferecer materiais gráficos personalizados de qualidade e conquistar o consumidor.

Viu só como o marketing para pequenas empresas pode transformar o seu negócio e é mais simples do que parece? Comece hoje mesmo!

Continue Lendo

Populares