Connect with us

Outros

Conheça o Ragdoll, raça de gato que se assemelha aos cães

Publicado

em

Descubra curiosidades sobre essa raça carinhosa e extremamente companheira

Enquanto os cães são conhecidos por serem extremamente carinhosos e companheiros com seus tutores, os gatos sempre tiveram a fama de serem independentes e interesseiros em relação aos seus. Mas, quem tem um bicho de estimação sabe que não é bem assim e, cheios de personalidades, os bichinhos surpreendem a gente diariamente.

Algumas raças são capazes, até mesmo, de trazer o melhor dos mundos. É o que ocorre com o Ragdoll, conhecido como “gato canino”.

O apelido não é à toa. Essa raça tende a ter comportamentos que parecem bastante com os dos cãezinhos. Eles podem, por exemplo, serem adestrados para pegar e trazer brinquedos para o tutor ou a fazer pequenos truques mediante o reforço positivo.

Personalidade

Ótima companhia para crianças, por brincarem sem esticar as garras, os gatos da raça Ragdoll são extremamente carinhosos e apegados a seus humanos. Tanto que eles seguem o tutor pela casa, atendem quando são chamados pelo nome e até a nomenclatura da raça tem a ver com a docilidade: o pet é capaz de ficar todo molenga e entregue aos carinhos do tutor, como se fosse uma boneca de pano — significado de ragdoll, em inglês.

Amoroso, inteligente, calmo… são muitos os adjetivos que descrevem esse gatinho. O pet é extremamente brincalhão e escolhe o seu tutor, além do fato de adorar um colo! Coisa que poucos gatos aceitam de prontidão.

Outra característica muito positiva dessa raça é que ela se adapta facilmente à rotina e ao estilo de vida dos tutores, vivendo bem até em locais pequenos, como apartamentos. Muito educado e bem-comportado, é um gato para locais fechados e companhia constante.

No entanto, é uma raça pouco indicada para famílias que ficam muito tempo fora de casa ou que viajam bastante. Como o gatinho é muito apegado aos tutores, ele pode sentir muita falta da sua companhia e isso acaba se refletindo em problemas comportamentais.

De onde vem

A raça Ragdoll é originária da América do Norte e surgiu na década de 1960, apresentada pela criadora norte-americana Ann Baker, que até patenteou o nome da raça.

Considerada uma das raças de maior porte do mundo, a Ragdoll é fruto do cruzamento da Angorá com a Sagrada da Birmânia.

Há cinco tipos de pelagem nessa raça: colorpoint, mitted, bicolor, mid-high white bicolor e vans.colorpoint — que tem as patinhas mais escuras, como ocorre com os gatos siameses.

O dia a dia

Os cuidados com os gatinhos dessa raça não fogem muito daqueles que devem ser adotados com outros animais de estimação: vermifugar, pentear para remover pelos mortos, prover alimentação balanceada e suplementos vitamínicos sob orientação do médico-veterinário, entre outros.

Por ser uma raça com tendências ao sedentarismo, também é indicado ter atenção com o excesso de petiscos para que não se torne obesa.

Considerada uma raça forte e com poucos defeitos genéticos, alguns pets podem nascer com problemas como cardiomiopatia hipertrófica felina — que torna o coração do bichinho maior e mais musculoso — e rins policísticos.

No Brasil

A raça está ganhando popularidade no nosso país e há gatis com eles em diferentes locais do país. Para comprar um Ragdoll, é preciso investir, no mínimo, R$ 3.000. Alguns estabelecimentos cobram em dólar, o que pode fazer o custo do pet aumentar significativamente.

Para quem se interessou em adquirir um gato dessa raça, é indicado que procurem informações sobre os gatis, além de consultar na internet o que é dito sobre o estabelecimento para evitar roubadas. A consultoria do médico-veterinário no momento da escolha do pet também pode ser uma boa pedida.

Outros

Aulas presenciais são retomadas no sistema penitenciário da região de Campinas

Publicado

em

Durante a pandemia de Covid-19, as atividades precisaram ser readaptadas

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) retomou, no último dia 4, as aulas presenciais nas unidades prisionais do Estado de São Paulo. Em toda a região central, que engloba 39 unidades prisionais, 5.155 pessoas privadas de liberdade estão estudando. Nas unidades prisionais de Campinas, Hortolândia, Sumaré, Americana e Limeira, 1.006 reeducandos estão matriculados. Sendo que 598 pertencem ao Ensino Fundamental e 408 ao Ensino Médio – dados de setembro.

Atualmente, 18.955 reeducandos e pacientes custodiados pela SAP estudam, sendo: 10.876 matriculados no Ensino Fundamental, 7.795 no Ensino Médio e 284 no Ensino Superior. Os dados são de agosto deste ano.

Desde o começo da pandemia, essas atividades tinham sido suspensas como forma de evitar a contaminação da população carcerária e dos próprios docentes pelo Coronavírus.

Durante o período, as aulas foram substituídas por roteiros impressos de estudo, compostos por conteúdo das diversas disciplinas e suas respectivas atividades. Os materiais eram produzidos pelos professores da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC) que já ministravam aulas nas unidades prisionais.

Retomada segura – A volta das atividades presenciais é acompanhada por todos os protocolos científicos para a prevenção e o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

“As atividades educacionais fazem parte do processo de ressocialização dos custodiados e dos pacientes dos hospitais de tratamento psiquiátrico”, afirma o Secretário da Administração Penitenciária, Coronel Nivaldo Cesar Restivo. “Mesmo em tempos de grave crise de saúde pública, o sistema penitenciário paulista fez ajustes na rotina de estudos e viabilizou o acesso à educação”.

Continue Lendo

Outros

Vaquinha busca arrecadação financeira para melhoria em ONG

Publicado

em

Somos um grupo de estudantes envolvidas no projeto “Protagonistas do Futuro” da ShareRH em apoio à ONG “SORRI Campinas”. A entidade desempenha o papel inspirador de auxiliar pessoas com deficiências a entrar no mercado de trabalho.

Você sabe como é difícil conseguir uma vaga de emprego, e a ONG “SORRI” entende a dificuldade que esse grupo padece na luta de uma colocação no mercado de trabalho e acredita que através de inúmeras atividades, como: dança, ginástica, teatro, oficinas, música, culinária, arte, artesanato, dentre outras diligências podem tirar o estereótipo de que pessoas com deficiências são incapazes de certas funções e podem ter o mesmo comportamento e postura que qualquer outra.

Nos preocupamos com as questões de segurança e conforto, portanto, levando em conta o fato de que em dias de chuva os alunos ficam limitados às pequenas salas de aula e ainda a precariedade da área de passeio para atividades ao ar livre, nosso maior objetivo com essa vaquinha é a arrecadação financeira para a construção de uma cobertura na área externa da ONG.

Buscamos a possibilidade da manutenção de sonhos, esperança e dignidade. No mês da Luta da Pessoa com Deficiência convidamos vocês a embarcar nessa jornada e lutar ao nosso lado!

Toda ajuda é bem-vinda e contamos com a sua!

Conheça mais da SORRI-Campinas:

Youtube:https://www.youtube.com/watch?v=KyUH1eCZfyg
Instagram: https://www.instagram.com/sorricampinas/ Site: https://sorricampinas.org.br/
Vaquinha: https://abacashi.com/p/sorricampinas

Continue Lendo

Outros

Nissan revela a edição limitada Frontier X-Gear

Publicado

em

A Nissan apresentou a edição limitada Frontier X-Gear e no Portal Hortolândia você conhece um pouco mais da versão que tem preço a partir de R$ 251.990,00, apenas 500 unidades produzidas, equipada com o motor diesel biturbo de 2,3 litros, que desenvolve 190 cavalos-vapor de potência com uma transmissão automática de sete velocidades.

A edição limitada traz diversos itens estéticos que valorizam ainda mais seu desenho, como a máscara negra nos faróis, santantônio com detalhes vermelhos, moldura do farol de neblina preto brilhante, identidade visual no capô e na tampa traseira e novos frisos laterais nas portas.

Além disso, a picape vem com rodas de liga leve aro 18, rack de teto, estribo lateral e grade frontal, moldura do retrovisor externo com detalhes exclusivos e maçanetas com acabamento preto brilhante.

O interior segue o padrão da linha Nissan Frontier e tem como destaque os bancos “Gravidade Zero”, inspirados na tecnologia desenvolvida pela NASA para eliminar a fadiga e melhorar o conforto para o condutor.

Completam a versão a suspensão traseira com sistema multilink e molas helicoidais, um recurso único entre as picapes médias no país. O modelo conta ainda com diversos recursos tecnológicos, como: controles de tração e estabilidade (VDC – Vehicle Dinamic Control); freios ABS com controle eletrônico de frenagem (EBD) e assistência de frenagem (BA); controles automáticos de descida (HDC) e auxílio de partida em rampa (HSA), luz de freio de LED (CHMSL), luzes diurnas (DRL) e muitos outros equipamentos.

Outras versões, preços e principais equipamentos

A picape Nissan Frontier é oferecida no Brasil em outras quatro versões:

  • S MT 4×4, preço a partir de R$ 207.490,00: transmissão manual de seis marchas, retrovisores externos com ajuste elétrico, para-choque frontal na cor do veículo, vidros elétricos, seta na lateral do carro e trava no porta-luvas
  • ATTACK AT 4×4, preço a partir de R$ 233.290,00: identificação exclusiva Attack, faróis dianteiros Máscara Negra, estribo lateral Dark Chrome, rack de teto na cor preta, multimidia A-IVI de 8″ com Android Auto & Apple Car Play e câmera de ré
  • XE AT 4×4, preço a partir de R$ 248.090,00: seis alto-falantes (2 porta dianteira + 2 tweeters + 2 porta traseira), faróis dianteiros diurnos com assinatura de LED (DTRL), câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, multimidia A-IVI de 8″ com Android Auto & Apple Car Play + MAPS e acabamento premium nos bancos
  • LE AT 4×4, preço a partir de R$ 274.990,00: seis Air bags: frontais para o motorista e passageiro, laterais e de cortina, visão 360° com imagem integrada ao display do rádio, teto solar, rodas 18″, sistema eletrônico de ignição (botão push start) e multimidia A-IVI de 8″ com Android Auto & Apple Car Play + MAPS

Confira um vídeo com o Nissan Frontier X-Gear em

Texto: Sérgio Dias

Fotos: Divulgação

Continue Lendo

Populares