Até o momento estima-se que 10 criminosos participaram do crime. Equipes realizam diligências no interior do Estado

A Polícia Civil concedeu uma coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (26) para falar sobre as investigações ao roubo de 718,9 quilos de ouro, ocorrido na tarde de quinta-feira (25). A ação criminosa aconteceu no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo.

“Os criminosos se mostraram bem organizados” destacou o delegado João Carlos Miguel Hueb, assistente na 5ª Delegacia de Roubos à Banco, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), ao explicar a dinâmica dos fatos.

De acordo com o delegado, o grupo rendeu um funcionário da empresa que realizaria o transporte da carga e também sua família. Dessa forma, tiveram acesso a informações privilegiadas e a entrada facilitada no aeroporto. Video da ação

“Os criminosos chegaram no local encapuzados com duas caminhonetes clonadas da Polícia Federal e disseram ao porteiro que realizariam uma inspeção referente ao tráfico de drogas”, explicou Hueb. “Com a entrada liberada, eles renderam o porteiro e funcionários do local, que inclusive, foram obrigados a auxiliar no transbordo da carga”, completou.

Depois da ação, segundo o delegado, os ladrões seguiram para um primeiro ponto na zona leste da Capital, onde a carga foi passada para outras duas caminhonetes – Frontier e Hilux. Depois, realizaram uma segunda parada, fazendo um novo transbordo do ouro e fugiram em um veículo ainda não identificado.

Até o momento, cerca de 10 pessoas já foram ouvidas e outras devem ser chamadas para depor nos próximos dias. A Polícia Civil trabalha com várias linhas de investigação e realiza diligências, inclusive no interior do Estado, para esclarecer os fatos, recuperar a carga e prender os responsáveis.

Os quatro veículos usados na ação foram apreendidos, assim como um caminhão Mercedes, ano 1975, encontrado próximo a um dos locais em que foram realizados os transbordos.

Passo a passo da ação criminosa

Para conseguir roubar a carga de ouro, os criminosos trabalharam em várias frentes.

Na quarta-feira (24), eles interceptaram, com a utilização de uma ambulância, o representante da empresa transportadora do ouro, quando a vítima levava sua esposa ao trabalho em um carro.

A mulher foi obrigada a entrar no veículo foi levada a um cativeiro, onde conseguiu visualizar apenas um indivíduo. O marido ficou em seu carro, feito refém por outros criminosos.

O grupo repassou ao representante tudo que precisavam e informaram já saber sobre a carga de ouro. Depois o liberaram e fizeram novo contato posteriormente, quando foram até a casa da vítima e renderam sua família e um vizinho. Ao todo, estavam na residência cinco pessoas, além do funcionário, e dois criminosos.

No dia seguinte, os ladrões seguiram até o aeroporto junto com o representante, no horário que ele entraria para trabalhar, como de costume. Na sequência, realizaram toda a ação criminosa e fugiram do local levando a vítima.

O representante só foi solto na primeira parada após a fuga do aeroporto. Da mesma forma, também foi solta a sua esposa, na cidade de Itaquaquecetuba, e sua família.

Artigo anteriorEnergia fica mais cara em Agosto
Próximo artigoCondutor perde controle de veículo e atinge poste em Hortolândia