Na manha dessa quarta-feria (27), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), divulgou o plano de “retomada consciente” do Estado, intitulado de Plano São Paulo.

De acordo com Doria, a “retomada consciente” será aplicada a cidades que tiverem “redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras”, afirmou.

Com base nestes dados, cada cidade recebe uma bandeira, que determinará o que poderá ser aberto.

Sendo assim, só poderão iniciar a retomada das atividades:

  • As cidades que tiverem taxa de isolamento de pelo menos 55%;
  • As cidades que tiverem redução no número de novos casos por 14 dias seguidos;
  • As cidades que mantiverem ocupação nos leitos de UTI inferior a 60%;
  • Com manutenção do distanciamento social nos ambientes públicos;
  • Uso obrigatório de máscaras.

Com início previsto para o dia 1º de junho, as medidas valerão por 15 dias, com reabertura de alguns setores nas cidades aptas a receberem a flexibilização.

As cidades serão avaliadas periodicamente, a cada 7 dias, para saber se avançam para a próxima fase ou voltam. A cada 14 dias poderão se mover para uma fase com maior flexibilidade.

“Medidas poderão ser mudadas novamente, retirando a flexibilização, se assim for necessário”, afirmou o governador.

Artigo anteriorCoronavírus Brasil: 391.222 contaminadas, 158,5 mil curadas e 24.512 óbitos
Próximo artigoGuias são construídas em nova rua paralela à Otávio Rosolen, no Jd. Terras de Santo Antônio