A Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo deu aval nesta terça-feira (15/6), em reunião virtual, ao projeto de lei que atribui às concessionárias e prestadoras de serviços públicos o pagamento de serviços médicos e hospitalares de vítimas de acidentes nas áreas de sua responsabilidade.

O Projeto de Lei 1.317/2015, de autoria do deputado Afonso Lobato (PV), teve parecer favorável do relator Ricardo Madalena (PL) e agora segue para votação na Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento.

O presidente da Comissão de Infraestrutura, deputado Dr. Jorge do Carmo (PT), falou sobre a relevância da matéria. “A responsabilidade tem que existir. Esse parágrafo acaba dando mais garantias em caso de acidentes. Agora as empresas e prestadoras de serviço podem ser responsabilizadas de forma adequada”, disse.

O parlamentar espera que a fiscalização das empresas seja melhor para que não ocorram acidentes de trabalho. “A questão do acidente de trabalho é algo importante, pois a pessoa pode sofrer uma sequela definitiva. O ideal é evitar que o acidente ocorra dando equipamento de proteção individual e melhores condições para o trabalhador”, afirmou.

O deputado Castello Branco (PSL) falou sobre as rodovias que são administradas pelas concessionárias. “As rodovias têm acidentes e as pessoas que sofrem acidentes são levados ao atendimento emergencial em UPAs, UBSs, hospitais ou Santas Casas. Essas unidades têm de ser ressarcidas”, afirmou. “Quanto maior a rodovia, maior a probabilidade de acidente. Quanto mais acidentes, mais custos pros hospitais”, completou.

Ele também trouxe um outro ponto de vista em relação a acidentes em rodovias. “Deve ser levado em conta também quem tá no volante. Se o sujeito estiver alcoolizado e a negligência for do proprietário do veículo, quem é penalizado? Imagina se for excesso de velocidade? Ele mesmo vai provocar o acidente”, afirmou.

Na justificativa, o deputado Afonso Lobato (PV) afirmou que “os hospitais e centros médicos não são ressarcidos (…) pelas empresas concessionárias – após o atendimento emergencial. Na verdade, as empresas concessionárias não prestam nenhuma assistência ao usuário, que é abandonado no hospital ou serviço médico de forma desumana por essas empresas”.

O deputado Ricardo Madalena destacou o papel a ser feito pelas concessionárias. “As concessionárias precisam trabalhar constantemente para garantir rodovias seguras para pedestres e condutores de veículos”, disse.

Outras pautas

Na reunião, duas moções foram apresentadas e aprovadas, e foram solicitadas vistas para quatro requerimentos. Para finalizar, sete ofícios foram lidos.

Artigo anterior3 vaga(s) abertas para (Ajudante) Auxiliar de operador de máquinas para trabalhar em Hortolândia
Próximo artigo01 vaga aberta para Consultor de serviços para trabalhar em Hortolândia