Connect with us

Policial

Polícia Federal prende envolvidos em ataques contra a Caixa Federal em Americana-SP

Portal Hortolândia

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (23/4), a operação Pesca Urbana, para desarticular organização criminosa especializada na prática de furtos em terminais de autoatendimento de agências bancárias da Caixa Econômica Federal em diversos estados do País.

 A execução da operação tem o emprego de 60 policiais federais, que cumprem seis mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão, nas cidades de São Paulo (SP) e Vitória da Conquista (BA), além de medidas cautelares para sequestro de bens da organização criminosa. O grupo é investigado pelas unidades da Polícia Federal em Caxias do Sul e Sorocaba e teria praticado ações criminosas em vários estados do Brasil, atuando de forma “nômade”, mas com base no estado de São Paulo.

 As investigações em Caxias do Sul iniciaram em janeiro de 2021, a partir da ação da organização criminosa contra nove agências da Caixa Econômica Federal na Serra Gaúcha. Na sequência, o grupo prosseguiu no Rio Grande do Sul com ataques a agências da Caixa Econômica Federal nas regiões da Grande Porto Alegre e do litoral gaúcho, e, posteriormente, em outros estados.

Em Sorocaba, as investigações tiveram início a partir da prisão em flagrante de um homem, em agosto de 2020. Posteriormente, no decorrer da investigação, foram realizadas outras prisões em flagrante de quatro homens e duas mulheres em ataques contra a Caixa Econômica Federal nos municípios paulistas de Americana (21/11/2020), Alumínio (24/12/2021) e Sorocaba (18/03/2021).

 Nos meses de março e abril de 2021, com o andamento das investigações, oito homens e três mulheres integrantes da organização foram presos em flagrante em Vitória da Conquista, na Bahia, e nas cidades de Igarassu e Recife, em Pernambuco.

 A ação de hoje visa à prisão de membros da organização criminosa e a apreensão de novos elementos de provas, bens adquiridos com o produto dos crimes e outros a serem identificados com a análise do material arrecadado, para cobrir os prejuízos gerados pelas condutas ilícitas.

 Os investigados responderão pela prática dos crimes de furto qualificado (pena de reclusão de 2 a 8 anos, e multa), organização criminosa (pena de reclusão de 3 a 8 anos, e multa) e outros que venham a ser identificados na sequência das investigações.

Policial

10º BAEP prende homem com drogas na Vila da Conquista em Hortolândia

Portal Hortolândia

Publicado

em

Segunda-feira (10), policiais militares do 10º BAEP – Batalhão de Ações Especiais durante patrulhamento com Cães pelo município de Hortolândia, bairro Vila da Conquista, avistaram dois indivíduos que ao perceberem a aproximação da equipe tentaram fugir, mas foram abordados logo em seguida.

Na busca pessoal foi localizada uma sacola com R$120,00 em espécie, 22 pinos de cocaína e 8 porções de maconha. Com o apoio do Cão Yran, em varredura pelo local indicou odor específico de drogas vindo de uma mochila e de um buraco, totalizando 2,193 kg de maconha, 0,632 kg de cocaína, R$ 120,00 em espécie, 1 balança digital e 1 aparelho celular.

Ocorrência encaminhada ao Distrito Policial de Hortolândia, permanecendo os criminosos à disposição da Justiça.

Continue Lendo

Policial

Policia Federal de Campinas deflagra operação contra crime financeiro de R$ 2,5 bilhões

Portal Hortolândia

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (11/5) a Operação Black Flag, para apurar crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e de lavagem de dinheiro na ordem de R$ 2,5 bilhões. É investigada uma organização criminosa que montou uma complexa rede com pessoas físicas e jurídicas fictícias, responsável por movimentações financeiras fraudulentas.

No total, 220 policiais federais e 50 servidores da Receita Federal participaram da operação, com buscas e prisões nos estados de Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.  São cumpridos 15 mandados de prisão e 70 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Primeira Vara Federal de Campinas.

Entre as medidas cumpridas, está o bloqueio de contas e investimentos no valor de R$ 261 milhões de reais, sequestro de bens imóveis e congelamento de transferências de bens móveis. Também foi determinado o afastamento de um policial federal do exercício do cargo.

A investigação iniciou-se há dois anos e contou com a atuação conjunta da Polícia Federal, Receita Federal e Ministério Público Federal. As fraudes foram descobertas a partir de ações fiscais da Receita Federal, que detectou movimentações financeiras suspeitas.

Com a instauração do inquérito policial e o avanço das investigações, descobriu-se uma complexa rede de pessoas físicas e jurídicas fictícias que chegou a movimentar R$ 2,5 bilhões em operações financeiras. O objetivo dessas operações era propiciar aos integrantes da organização criminosa um alto padrão de vida, com a aquisição de veículos de luxo, imóveis, lanchas e patrocínio de esporte automobilístico.

Para proteger o patrimônio, foram criadas empresas que assumiram a propriedade dos bens e os blindaram de eventuais ações fiscais, cujos créditos já apurados pela Receita Federal ultrapassam R$ 150 milhões. A origem de recursos que iniciou um sistêmico processo de fraude é pública, já que a primeira empresa fictícia obteve um contrato com uma agência de fomento econômico estatal  e outro com a Caixa Econômica Federal, no valor total de 73 milhões de reais na época do fato (2011), o que, em valores corrigidos, importa em aproximadamente 100 milhões de reais.

Os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de lavagem de dinheiro, crimes contra o sistema financeiro, crimes contra a ordem tributária, estelionato, falsidade ideológica e material e organização criminosa.

Continue Lendo

Policial

Polícia Civil prende jovem de 19 anos que planejava atacar escola em SP

Portal Hortolândia

Publicado

em

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCIBER/Deic), cumpriu um mandado de prisão preventiva nesta segunda-feira (10) e deteve um homem de 19 anos em São Paulo. O jovem planejava invadir e matar alunos de uma escola, no bairro de Americanópolis, na zona sul da Capital. O suspeito foi detido no bairro do Capão Redondo.

Os agentes detiveram o rapaz na casa de um tio e o levaram ao Palácio da Polícia Civil, na região central da capital. A identidade do suspeito não foi revelada. Um celular foi apreendido e será analisado pela perícia, que pode revelar detalhes dos planos.

A prisão aconteceu com auxílio de informações vindas de autoridades americanas. Ele cooptava, pela internet, jovens dispostos a realizar ataques.

Mais dois adolescentes foram identificados como suspeitos e são procurados pela polícia.

Os policiais informaram que o jovem passou por tratamento e foi detido por motivo semelhante em 2020. Agora, ficará preso por tempo indeterminado após o cumprimento do mandado de prisão preventiva.

Continue Lendo

Populares