16 de julho de 2024
Policial

Gerente é presa por manter padaria em condição precária

Policiais civis da Dicma (Delegacia de Polícia de Investigação de Infrações e Crimes contra o Meio Ambiente) de São Bernardo prenderam no início da tarde de ontem uma gerente de padaria da rede de supermercados DIA%, unidade Baeta Neves. E. P. F., 41 anos, e funcionários mantinham o local em condições precárias de higiene e utilizavam produtos vencidos para fabricação de alimentos.

Policiais encontram carne estragada em padaria que fornecia produtos a 12 supermercados da rede DIA%

O comércio, localizado na Rua dos Vianas, 3.730, encontrava-se fechado ao público. Funcionários disseram à polícia que, há cerca de dois meses, o espaço abrigava padaria que produzia pães, bolos, doces e tortas e distribuía para outros supermercados da rede. Além disso, a área também servia como depósito e armazenava série de produtos com o prazo de validade vencido.

Segundo o delegado da Dicma, Américo dos Santos Neto, os policiais chegaram ao local por meio de denúncia. “O que causa mais espanto são as condições dos produtos vencidos. Não dá para alegar que são para descarte, porque estavam ao lado de mercadorias dentro do prazo de vencimento”, observou.

Local estava sujo, com insetos mortos e veneno de rato próximo a alimentos

Durante a ação, oito funcionárias estavam trabalhando, inclusive preparando alimentos com matéria-prima vencida. Conforme apurou a investigação, o espaço era utilizado como linha de produção de confeitaria para 12 lojas franqueadas de um único dono. “Quando algum produto estava violado, em vez de ocorrer o descarte nas lojas a mercadoria era levada para a unidade Cambuci, em São Paulo. Lá, era colocada em um saco plástico incolor e inserida data de validade. Depois, tudo era levado para a padaria, sem que o consumidor tivesse qualquer conhecimento”, explica o delegado.

A equipe de reportagem esteve no local e presenciou condições bastante precárias de falta de higiene. No depósito, foram encontrados farinha e açúcar em sacos plásticos sem identificação, pães franceses vencidos armazenados de forma inadequada – no chão ou em caixas de papelão – e até carnes fora do prazo de validade e que já estavam em processo de deterioração.

A padaria, localizada em andar superior, estava muito suja. Fôrmas de bolo encardidas, bacias com misturas prontas e até doces e bolos já confeitados encontravam-se expostos sem qualquer proteção.

“A Vigilância Sanitária esteve no local e constatou que tudo deve ser descartado. Nosso trabalho agora é localizar o proprietário para responder pelas irregularidades e identificar as outras 12 lojas para fiscalização”, informou o delegado.

Veneno de rato e encontrado proximo de produtos armazenados em um dos comôdos da padaria

O artigo 7º da lei 8137 caracteriza crime contra as leis de consumo vender e ter em depósito para venda matéria-prima ou mercadoria em condições impróprias para consumo. Em caso de condenação, a pena varia de dois a cinco anos, ou multa.

Reportagem: Thaís Moraes – Diário do Grande ABC

Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98