Connect with us

Nossa Região

Governo monitora caso de Coronavírus em Paulínia

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde de SP está monitorando três casos suspeitos de Coronavírus, sendo dois na Capital e um em Paulínia, cidade localizada na região de Campinas. Os números são dados oficiais registrados pelos municípios em um sistema de informação do Ministério da Saúde.

São dois adultos e uma criança que estão bem, estáveis e recebendo cuidados em casa em isolamento domiciliar, ou seja, com restrição de contatos com pessoas e ambientes externos.
O primeiro caso suspeito notificado do interior do Estado de São Paulo é um adulto, 45 anos, de Paulínia.

O paciente esteve na China e após desembarcar no Brasil apresentou febre, tosse, coriza e dificuldades para respirar. Foi atendido em serviço privado, onde foram colhidas amostras para análise laboratorial, e o paciente foi liberado com indicação de isolamento domiciliar.

Os casos suspeitos da Capital são um menino de seis anos, que apresentou febre e tosse, com histórico de retorno da China no dia 19, e um homem de 33 anos, que retornou da China no dia 20 de janeiro. Este apresentou febre, tosse e dor de garganta e foi atendido em um hospital privado da capital.

Nesta quinta-feira (30), foi descartado o caso da menina de 4 anos, já que os resultados dos exames apresentaram positividade para Influenza (gripe).

Os familiares dos pacientes estão orientados com relação às medidas necessárias para se prevenirem, como uso de máscaras, higienização das mãos e não compartilhamento de objetos de uso pessoal, bem como sobre os cuidados requeridos para os pacientes, que incluem hidratação e a permanência em casa, sem circulação por outros locais e evitando contato com familiares e amigos, por exemplo.

Monitoramento

A investigação dos casos é realizada pelas secretarias municipais de saúde, com todo apoio técnico da pasta estadual. As amostras biológicas dos pacientes foram colhidas pelo hospital onde foram atendidas e já foram para análise no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional localizado em SP. Os resultados, assim como eventuais novos casos suspeitos ou confirmados, serão divulgados em boletins atualizados diariamente pela Secretaria.

“Os profissionais de saúde que atuam em SP estão orientados sobre esse novo vírus e a importância de nos informar rapidamente sobre qualquer caso suspeito. Nossa rede de saúde conta com serviços de referência na área de Infectologia e está preparada para atender pacientes que se enquadrem nos critérios clínicos e epidemiológicos. Seguiremos vigilantes, orientando serviços, organizações públicas e privadas, veículos de comunicação e a sociedade civil, prezando pela agilidade e transparência”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

Até o momento, não há caso confirmado de coronavírus nem em São Paulo, nem no Brasil. Ainda assim, de modo geral, é importante seguir os mesmos cuidados previstos na “etiqueta respiratória” adotada com relação à gripe: cobrir a boca ao tossir ou espirrar, lavar as mãos frequentemente, não compartilhar objetos de uso pessoal, limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado (confira abaixo outras recomendações).

É fundamental procurar o serviço de saúde mais próximo se a pessoa apresentar sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza, associados aos seguintes aspectos epidemiológicos: histórico de viagem em área com circulação do vírus (consulte os sites indicados ao final do texto), contato próximo caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

“Nosso papel é orientar e tranquilizar a todos. Não há motivo para panico. O monitoramento está em curso, com organismos internacionais e nacionais de saúde, e nossas equipes acompanharão o tema ininterruptamente para que possamos dar respostas rápidas e efetivas quando necessário”, diz a diretora da Vigilância Epidemiológica, Helena Sato.

Dicas de prevenção:

– Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
– Não compartilhar objetos de uso pessoal;
– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
– Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
– Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

imagem ilustrativa

Nossa Região

Americana ganha Indústria química que deve gerar 350 empregos

Publicado

em

Americana irá receber uma nova empresa, que será instalada na área da antiga Polyenka, na região do Salto Grande. Trata-se da Produs, ligada ao grupo Labsynth Farmoquímica, de Diadema, Grande São Paulo, com mais de 35 anos de atuação no mercado e especializado em produção de insumos para indústrias farmacêuticas, cosméticas, alimentícias, entre outras.

A área da Polyenka compreende 143 mil metros quadrados, e o projeto prevê que as instalações ocupem 58 mil metros quadrados, destes, 10 mil metros quadrados para estoque e demais operações da fábrica.

Com investimentos de cerca de R$ 100 milhões, a expectativa é de que a indústria comece as atividades no início de 2023. Em até 5 anos, a estimativa é de que sejam gerados 350 empregos diretos na planta.

Representantes da empresa estiveram com o prefeito de Americana, Chico Sardelli, nesta terça-feira (24), com o vice-prefeito Odir Demarchi, com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rafael de Barros, e o secretário de Habitação, Luiz Carlos Cezaretto. “Fico feliz, obrigado por acreditarem em Americana. Temos sido parceiros de quem quer investir na cidade. Só existem duas formas de se aumentar a arrecadação: ou com aumento de taxa e impostos ou facilitando investimentos. Nós preferimos aumentar investimentos. É para isso que estamos trabalhando, para desenvolver economicamente a cidade e gerar empregos. Americana precisa. Americana agradece”, disse o prefeito.

Segundo o diretor da empresa, Mario Antônio da Silva Gomes, um dos motivos de Americana ter sido escolhida é a localização: “É excelente, é perto da rodovia, perto dos centros universitários, a própria cidade de Americana tem mão de obra, a região é muito favorável”, explica o diretor.

“É uma felicidade para Americana receber mais uma empresa, que vem da Grande São Paulo para cá e adquiriu uma área muito importante na história da cidade”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rafael de Barros.

Continue Lendo

Nossa Região

Seis municípios da RMC receberão recurso extra do governo estadual para combater a dengue

Publicado

em

dengue

A iniciativa faz parte do Plano de Contingência para a prevenção e controle da disseminação da Dengue, Zika e Chikungunya

O governo estadual está investindo R$ 10,7 milhões para ajudar prefeituras no controle da dengue, zika e chikungunya. Os 291 municípios beneficiados foram selecionados com base nos indicadores epidemiológicos e entomológicos. Na RMC (Região Metropolitana de Campinas), seis cidades estão no “pacote”: Americana, Santa Bárbara d’Oeste, Paulínia, Holambra, Monte Mor, e Santo Antonio de Posse.

Os recursos serão utilizados em ações de combate à disseminação do mosquito transmissor e monitoramento dos casos notificados. A iniciativa faz parte do Plano de Contingência para a prevenção e controle da disseminação da Dengue, Zika e Chikungunya.

O Estado de São Paulo registrou, em 2022, 153 mil casos de dengue e 119 óbitos. Em 2021, no mesmo período, foram contabilizados 117 mil casos de dengue e 44 óbitos. Até o momento, os municípios paulistas contabilizam 174 casos confirmados de chikungunya e dois casos de zika, sem nenhum óbito.

“O investimento é fundamental para diminuir os casos de dengue em todo Estado. Além de ser uma questão de saúde pública, é de extrema importância conscientizar a população sobre a importância de evitar novos focos de ovos do mosquito transmissor”, afirma a Diretora de Vigilância Epidemiologica, Tatiana Lang.

O Plano de Ação tem como objetivo intensificar as visitas domiciliares aos imóveis para a eliminação de potenciais criadouros existentes, realizar a nebulização ambiental, para eliminação de insetos infectados e mobilizar a população na adoção de medidas para evitar criadouros nas residências.  Essas atividades são conduzidas pelos municípios, com apoio técnico do Governo de SP.

PREVENÇÃO. O enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti é uma tarefa contínua e coletiva. As principais medidas de prevenção são: deixar a caixa d’água bem fechada e realizar a limpeza regularmente; retirar dos quintais objetos que acumulam água; cuidar do lixo, mantendo materiais para reciclagem em saco fechado e em local coberto; eliminar pratos de vaso de planta ou usar um pratinho que seja mais bem ajustado ao vaso; descartar pneus usados em postos de coleta da Prefeitura.

Continue Lendo

Nossa Região

Com baixos índices de umidade, região entra em Estado de Atenção

Publicado

em

Por

Consumir muita água, ter cuidado especial com crianças e idosos e evitar queimadas são recomendados para o período

A região de Campinas está em Estado de Atenção pela baixa Umidade Relativa do Ar (URA). Às 11h20 desta segunda-feira, dia 23 de maio, o índice atingiu 29,5%, conforme boletim emitido pelo Departamento de Defesa Civil do município, a partir de dado recebido da Estação Ciiagro/IAC Campinas Região Norte, responsável pela medição.

O Estado de Atenção é decretado quando a URA registra índice entre 20% e 30%. Nesse caso, a principal recomendação é consumir muita água e ter cuidado especial com crianças e idosos.

Também é aconselhado que a população evite exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h e mantenha os ambientes umidificados com vaporizadores, toalhas molhadas ou recipientes com água.

É sugerido, ainda, aguar os jardins e, sempre que possível, permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas. Outra orientação é evitar queimadas que, além de proibidas por lei, prejudicam o meio ambiente e a saúde.

Continue Lendo

Populares