Connect with us

Nossa Região

Governador aprova tarifa zero para estudantes

Publicado

em

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), sancionou nesta quinta-feira (19) lei que garante tarifa zero aos estudantes nos transportes públicos metropolitanos. Os estudantes já circulam nos ônibus municipais desde o início do ano sem pagar.

Alunos dos ensinos fundamental, médio e superior da rede pública terão direito ao passe livre no Metrô, nos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e nos ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). Os estudantes da rede privada que tiverem renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa também terão direito.

Os estudantes poderão usar 48 passagens gratuitas por mês. Se não usarem, as passagens não ficam acumuladas para o mês seguinte. O passe livre será concedido mediante cadastro enviado pela instituição de ensino e declaração de comprovação de renda do aluno, no site do Bilhete Único.

A gratuidade passa a valer imediatamente nos trens do Metrô e da CPTM e em 30 dias nos ônibus da EMTU. O governo diz que o prazo é necessário para ser implantado o sistema para a operação. Cerca de 615 mil estudantes serão contemplados na região metropolitana de São Paulo, Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba e Litoral Norte.

“Hoje os estudantes tem meia passagem e passam a ter gratuidade total. Essa é uma medida socialmente justa, de grande estimulo a educação. Vai facilitar muito a vida dos estudantes, evitar uma despesa para o aluno, para o seus pais e para quem precisa”, afirmou Alckmin durante cerimônia de sanção do projeto de lei.

Aprovação na Assembleia
Os deputados estaduais aprovaram o projeto de lei 1/2015, enviado pelo Executivo, que autoriza a gratuidade aos estudantes, na semana passada. As tarifas de trens, ônibus e metrô aumentaram de R$ 3 para R$ 3,50 em 6 de janeiro.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos estima que cerca de 65% dos estudantes que usam CPTM e Metrô terão direito ao benefício. A medida vai beneficiar todos alunos de escolas públicas do estado, incluindo os alunos das universidades públicas, Etecs e Fatecs.

Alunos de escolas particulares que comprovarem renda de até R$ 1.182 por pessoa também serão beneficiados com a tarifa zero. De acordo com o governo, também terão direito à gratuidade alunos de baixa renda cadastrados em programas estaduais que dão bolsas a universitários, como o Escola da Família e o Ler e Escrever, e os federais Prouni e Fies.

Projeto
Na justificativa do projeto, o governo estadual argumenta que a gratuidade total aos estudantes nos transportes públicos objetiva, além do atendimento aos comandos e princípios constitucionais, atender demandas sociais emergentes.

Também argumenta que município de São Paulo está autorizado desde dezembro de 2014, pela lei 16.097, a conceder isenção integral do pagamento da tarifa aos estudantes do ensino fundamental, médio e superior, e que os serviços de transportes operados pela CPTM e pelo Metrô se utilizam do Bilhete Único do município.

O custo de operação do Metrô e da CPTM, juntos, é de R$ 4,9 bilhões ao ano. Sem o reajuste para R$ 3,50, a receita dos sistemas com a venda de passagens chegaria a R$ 3 bilhões, sobrando R$ 1,8 bilhão de despesas, pagas por meio de subsídios do Estado.

Com o reajuste da tarifa para R$ 3,50, a receita obtida com a venda de passagens subiu para R$ 3,5 bilhões, reduzindo em 23% os subsídios pagos pelo Estado.

A tarifa zero para estudantes vai gerar um impacto de R$ 53 milhões na receita dos sistemas de Metrô e CPTM. Com o reajuste da tarifa, a receita do sistema aumentará em 15%, de R$ 3 bilhões para R$ 3,5 bilhões – aumento suficiente para cobrir os descontos com a tarifa zero e reduzir em 8,2% os subsídios pagos pelo Estado de R$ 1,8 bilhão para R$ 1,4 bilhão.

Fonte: G1

Nossa Região

Halo solar é visto no céu da RMC

Publicado

em

Um halo solar foi visto no céu da região metropolitana de Campinas neste sábado (15) e chamou atenção dos moradores.

O arco-íris em círculo em volta do sol foi visto em diferentes pontos da região. Segundo meteorologistas, o fenômeno ocorre quando a luz do sol ultrapassa cristais de gelo ao passar pela atmosfera.

O halo solar pode ocorrer em qualquer época do ano, desde que haja as condições meteorológicas necessárias.

Ainda conforme especialistas na área, geralmente o halo solar ocorre devido a chuvas com nuvens altas com cristais de gelo finos, que foma essa espécie de película.

por Walter Barros

Continue Lendo

Nossa Região

DOE SANGUE: Hemocentro da Unicamp está com níveis de estoque baixo

Publicado

em

Por

Doação de Sangue em Hortolândia

O Hemo Centro da Unicamp está com estoques em níveis preocupantes e pede ajuda pra quem puder doar sangue.

Para doar basta acessar o site da instituição e agendar a sua doação.

https://agendamento.hemocentro.unicamp.br

Continue Lendo

Nossa Região

Festa da Uva de Jundiaí em 2022 está cancelada

Publicado

em

uva

Com a luz amarela acesa no cenário epidemiológico da pandemia de COVID-19, agravado pelo surto de gripe influenza, o Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus (CEC) orientou pela não realização da Festa da Uva de Jundiaí em 2022, seguindo a mesma orientação sanitária adotada para o Carnaval.

Além do risco de disseminação do vírus e de contaminação em massa, a realização da festa fora de época agrega custos adicionais aos produtores, por isso, os integrantes dos Conselhos Municipais do Turismo (Comtur) e de Desenvolvimento Rural (CMDR) acolheram e apoiaram a decisão adotada. A Prefeitura de Jundiaí junto com os conselhos e da Associação Agrícola de Jundiaí definirão quais ações poderão ser desenvolvidas para suprir a lacuna deixada pela Festa da Uva.

No segundo semestre de 2021, quando a pandemia da COVID-19 estava em queda sustentada de casos, havia sido acordado com os agricultores que expõem na Festa da Uva, juntamente com a Associação Agrícola de Jundiaí, para a realização da Festa da Uva entre os meses de maio e junho, quando é colhida a safra de inverno. Para isso, os investimentos deveriam ser iniciados em janeiro, tanto para a organização da festa, quanto para os produtores, que precisam realizar a poda fora de tempo para que a fruta possa ser colhida no período do evento.

De acordo com o gestor da UGAAT, Eduardo Alvarez, além do investimento para a realização da festa pelo poder público, existe a necessidade das adequações na produção com a aplicação da chamada ‘poda verde’ nos parreirais, que deveria ser feita neste mês para ter o prazo da colheita no período estimado. “Muitos produtores só iriam podar seus parreirais para atender a demanda da Festa e existe o risco do investimento com a produção de inverno, já que, a rentabilidade pela venda das frutas no evento ficaria comprometida no caso de controle de acesso ou restrição de público. Isso sem contar com o risco de possível cancelamento do evento no meio do período, caso se detecte contaminação por COVID 19 ou Influenza”, detalha.


Como a Festa da Uva é o principal evento do calendário do turismo rural da cidade, o Comtur propôs planejar outras ações para minimizar a ausência do evento. As ações serão apresentadas para os setores envolvidos com vistas ao atendimento das determinações sanitárias específicas, conforme o cenário epidemiológico vigente.

A exemplo do Carnaval, quando a definição pela não realização das festividades foi adotada pela Região Metropolita de Jundiaí, a medida tem por objetivo a prevenção ao agravamento da pandemia e da disseminação dos vírus respiratórios em ambientes de aglomeração.

Continue Lendo

Noticias

Amazon

Populares