Nossa Cidade

Skate adaptado para PCD é nova ferramenta de inclusão do Projeto Pernas Voluntárias em Hortolândia

Com patrocínio de empresários, projeto amplia atividades esportivas para pessoas com deficiência física e cognitiva de Hortolândia e região


O Skate adaptado é uma das novas modalidades esportivas oferecidas pelo Projeto Pernas Voluntárias às pessoas com deficiência física ou cognitiva. A ação de inclusão social é realizada com apoio do Rotary Club de Hortolândia e beneficia cerca de 60 pessoas.

Graças à sensibilidade de empresários, o projeto recebeu, no último domingo (3-10), dois skates adaptados, quatro bicicletas adaptadas para deficientes físicos, uma bike para deficientes visuais e uma carretinha para transportar os equipamentos.

Também inaugurou um novo espaço para armazenar os equipamentos, localizado no Parque do Santa Clara, uma parceria com a Prefeitura de Hortolândia.

Fundado em 2016 em Hortolândia, por Cristiane Rocha, o Projeto Pernas Voluntárias promove a inclusão de pessoas com deficiência física e cognitiva, por meio de corridas de rua e atividades esportivas.

Nelas, um voluntário empurra o equipamento de rodas (bike, triciclo), interagindo com a pessoa atendida pelo projeto. Atualmente, o Pernas Voluntárias atende 60 pessoas com deficiência, com o apoio de cerca de 150 voluntários.

Para manter o projeto, sem fins lucrativos, são realizadas rifas, bingos e venda de pizza. Outra fonte de recursos são doações de pessoas que se sensibilizam com o trabalho, a exemplo dos empresários que patrocinaram novos equipamentos para  a prática esportiva.

 “Essa é uma conquista grandiosa para o projeto. Gratidão aos patrocinadores que se sensibilizaram com a nossa causa, à Prefeitura, voluntários e todas as pessoas que fazem o Pernas Voluntárias acontecer. Vendendo rifa, bingo, levaríamos cinco anos ou mais para adquirir esses equipamentos”, agradece Cristiane Rocha.

“Agora, vamos poder oferecer novos esportes para os nossos anjos, o skate adaptado e os treinos com bike. A carretinha é outro sonho realizado pela valiosa utilidade no transporte dos nossos equipamentos. Esses gestos de amor e solidariedade nos animam a continuar nossa missão de promover a inclusão da pessoa com deficiência por meio do esporte”, completa a fundadora do projeto.

Além dos treinos e corridas de rua, o Pernas Voluntárias também oferece assistência social e psicológica aos PCDs e familiares. Para isso, conta com profissionais voluntários a exemplo de psicólogos, assistentes sociais e fisioterapeutas.

“Mais que equipamentos, os patrocinadores doaram possibilidades. O esporte transforma vida das pessoas, aumenta a autoestima, a coordenação motora e o equilíbrio. Além disso, melhora a autoconfiança e a autoestima, tornado a pessoa com deficiência mais otimista e segura no alcance dos seus objetivos”, observa Cintia Jardim, psicóloga especialista em pessoa com deficiência.

Além dos equipamentos, o Projeto realizou o sonho de implantar um novo espaço para armazenar equipamentos utilizados nos treinos e corridas de rua, graças à parceria com a Prefeitura. O contêiner está instalado no Parque do Santa Clara.

“Hoje celebramos um dia muito especial na vida das pessoas com deficiência em nossa cidade. Esse novo espaço será um ponto de encontro dentro do nosso parque. Vamos manter essa parceria para fortalecer o projeto, uma ação linda iniciada pela amiga Cristiane Rocha e que vem dando muitas alegrias para as pessoas com deficiência. Só podemos mudar a vida das pessoas com amor no coração e respeito às diferenças. O Pernas Voluntárias é um exemplo de que isso é possível”, afirmou o prefeito Zezé Gomes, durante o evento.

Hyan experimenta a sensação de “andar” de skate pela primeira vez

Hyan Lucas Silva Leal, 9 anos, morador de Sumaré, foi o primeiro a utilizar um dos skate adaptados recebidos pelo Pernas Voluntárias. O menino apresentou a novidade para dezenas de pessoas que acompanhavam o evento.

Segundo a mãe do garoto, Vanessa Silva dos Reis, Hyan nasceu com a síndrome chamada mielomenigocele (má formação no tubo neural).

A estrutura usada por Hyan se assemelha a um andador, que sustenta um cinto, o que possibilita que o menino fique em pé. Já o skate é colocado na parte de baixo do aparelho, e os pés da criança são presos à prancha.

Com isso, basta alguém empurrar a estrutura para Hyan experimentar a sensação de estar praticando em pé o esporte.

“O Pernas transformou nossas vidas. Meu filho era uma criança que não tinha muito contato com pessoas de fora. Só tenho a agradecer a todos por este apoio e carinho transmitido para nossas crianças. Faz muita diferença em nossas vidas”, reconhece Vanessa.

Horta na sede do Rotary Hortolândia integra PCDs

É na sede do Rotary Hortolândia, na região central da cidade, que o Projeto Pernas Voluntárias cultiva uma horta com a participação das pessoas com deficiência atendidas pelo projeto e seus familiares.

O clube também cede o espaço para a realização de outras atividades do projeto, a exemplo da festa do Dia das Crianças, que acontecerá na próxima terça-feira (12-10).

“Temos orgulho de apoiar e contribuir para esse trabalho de grande alcance social. Onde há necessidade na comunidade, o Rotary está. Nós existimos para melhorar a vida das pessoas, servimos para transformar vidas. E o Projeto Pernas Voluntárias transforma a vida das pessoas com deficiência. Gratidão a todos que colaboram com o projeto”, enaltece o presidente do Rotary Hortolândia, Eliseu Silas de Assis.

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo