Nossa Cidade

Procon de Hortolândia orienta consumidor a pesquisar preço antes de comprar presente

Levantamento feito pelo órgão mostra variação de até 30% no valor de um mesmo produto entre uma loja e outra

Procon de Hortolândia orienta consumidor a pesquisar preço antes de comprar presente

A pesquisa de preço é a melhor forma de economia para o consumidor na hora de escolher o presente para o Dia das Crianças, comemorado no próximo sábado (12/10). O alerta é do Procon (órgão da Secretaria de Assuntos Jurídicos da Prefeitura de Hortolândia), que constatou variação de preços de até 30%, num mesmo produto, entre um estabelecimento comercial e outro. O levantamento foi realizado entre os dias 30 de setembro e 7 outubro em estabelecimentos comerciais do município.

Para orientar os consumidores, o Procon pesquisou os preços de 40 produtos, em 13 lojas físicas de Hortolândia. Entre os destaques verificados no levantamento de preços estão os celulares e tablets, que apresentaram variação de até 30% no valor de um mesmo modelo. O setor de Pesquisas do órgão também confereiu os preços de bonecas, carrinhos, bicicletas, notebooks e presentes personalizados. Neste último caso, são oferecidas opções como blusas e bolas, com imagens à escolha do consumidor, e o presente pode ser comprado a partir de R$ 20.

“É importante que, antes de realizar a compra, além da pesquisa de preço, o consumidor também observe se o valor se enquadra em seu orçamento. Não é interessante comprar um presente caro e depois ficar endividado. Neste caso, a melhor opção é outro tipo de presente, que não tenha problemas para pagar”, aconselhou o diretor do Procon, Joldemar Nunes Corrêa.

TROCA DE PRODUTOS

Além do cuidado com o orçamento, Corrêa chama a atenção do consumidor para a questão da troca de produtos posteriormente. “Não existe uma lei que obrigue a loja a trocar um produto comprado presencialmente, quando este não apresentar defeitos”, disse.

“Como é muito comum precisar trocar um presente, seja por outra cor ou modelo, é importante que o consumidor procure conhecer a política de troca da loja antes da compra, para depois não ter problemas. É recomendável que solicite as informações por escrito e sempre peça a nota fiscal do produto”, alertou Corrêa.

Segundo a pesquisa os lojistas estão otimistas com relação às vendas e esperam crescimento de 9% no movimento, em relação ao ano passado. A expectativa, é de que o gasto médio, por pessoa, com presentes seja de R$ 140. A pesquisa mostra ainda que é possível encontrar opções de lembranças, para crianças de todas as idades por até R$ 25.

Para que os estabelecimentos atendam às normas do CDC (Crédito Direto ao Consumidor), todos os produtos expostos na vitrine e no interior da loja devem conter o preço à vista e a prazo, assim como o valor das prestações, a taxa de juros aplicada e os eventuais acréscimos e encargos, em caso de parcelamento ou financiamento. O estabelecimento não pode limitar um valor mínimo nas compras feitas com cartão de crédito e não pode cobrar preços diferenciados nas compras à vista e no cartão.
É importante que os consumidores compreendam com facilidade o preço afixado no produto, sem qualquer legenda que dificulte sua compreensão, para que não haja necessidade de qualquer interpretação ou cálculo. Além disso, todas as informações sobre o preço devem estar indicadas da mesma forma, com fonte e tamanho de letras iguais.

Quanto aos brinquedos eletrônicos, os consumidores devem testar o produto na frente do comerciante. Caso o brinquedo, eletrônico ou não, apresente defeito de fabricação, o Procon orienta os clientes a entrar em contato com o estabelecimento onde a mercadoria foi comprada ou com o fabricante. Caso o vício do produto não seja sanado em um período máximo de 30 dias, o consumidor poderá pedir a substituição do mesmo ou a restituição da quantia paga.

No momento da compra, o cliente deve escolher o brinquedo de acordo com a idade da criança; ficar atento ao que está escrito na embalagem; conferir a mercadoria, verificar se há selo do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), na caixa; exigir a nota fiscal no ato da compra e o manual de instruções (em português), além de certificado de garantia da loja.

Os itens mais vendidos nesta data devem ser brinquedos, incluindo eletroeletrônicos, além de calçados e roupas. “Para aproveitar as liquidações, o ideal é investir em presentes atemporais,” orientou Corrêa.

Os interessados em registrar reclamações ou obter informações podem se dirigir diretamente ao Procon, localizado na Rua Antônio Bernardes, 360, Remanso Campineiro. Outra opção é o atendimento por telefone pelos números 3809-3270 ou 3809-3252. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia

Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98