A Prefeitura de Hortolândia continua o trabalho de retirada de entulho descartado irregularmente em áreas públicas de diversas regiões da cidade.

Desde o início da semana, as equipes da Secretaria de Serviços Urbanos realizam, com maquinário, a remoção de restos de construção civil deixados em um terreno público localizado na rua Antônio Baraldo, conhecida como a “rua da feira”, na Vila Real. Além disso, foi realizada a poda dos galhos das árvores desta via. A ação mantém a via limpa e evita acidentes. O trabalho será concluído até o final desta semana.

DESCARTE IRREGULAR É CRIME AMBIENTAL

A ação é crime ambiental sujeita a multa e pode causar enchentes, já que o material acumulado pode ser levado por enxurradas, causando o entupimento das redes de águas pluviais e esgoto, provocando infiltrações no solo e rompimentos nestas redes. Atualmente, os valores das multas variam de R$ 340,00 a R$ 34.000,00.

De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, quem quiser ajudar na identificação de pessoas e veículos que praticam crime ambiental pode enviar fotos e textos para o aplicativo do Programa Agenda Verde. Para baixar o aplicativo, basta fazer o download gratuito nas plataformas Google Play ou App Store do smartphone. A identidade dos denunciantes é mantida em sigilo.

PODA DO MATO EM OUTRAS REGIÕES

Além da retirada de entulho, o mutirão de poda do mato e limpeza ocorre em diferentes espaços públicos, diariamente. Nos dois primeiros dias desta semana, o trabalho já foi realizado no Parque Socioambiental Lago da Fé; na avenida da Ponte da Esperança (Estaiada); na avenida São Francisco de Assis (divisa com Sumaré); na rotatória localizada próximo ao Supermercado São Vicente (região central); na avenida Santana no Jardim Amanda; e na avenida São Francisco de Assis.

Nesta época chuvosa, o mato cresce mais rápido, por isso, é necessário a colaboração da população para não descartar lixo, entulho e resíduos irregularmente. Objetos que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a Dengue, Chikungunya e Zika, como garrafas, baldes e outros recipientes, precisam ficar protegidos da água da chuva.