Doses estão disponíveis nas UBS, em esquema de rodízio

A Prefeitura de Hortolândia, por meio da Secretaria de Saúde, orienta a população sobre a importância de seguir a recomendação de tomar a vacina contra Febre Amarela somente em caso de viagem para áreas de transmissão, uma vez que a imunização pode desencadear efeitos adversos, parecidos com os sintomas da doença. A secretaria de Saúde ressalta que não há transmissão de Febre Amarela em área urbana desde 1942, sendo que todos os registros atuais são de pessoas infectadas em áreas de mata.

[ad id=”14221″]

Os mosquitos transmissores da Febre Amarela silvestre são o Haemagogus e o Sabethes, que habitam locais afastados nas cidades. O Aedes Aegypti, conhecido por transmitir outras doenças, também pode carregar o vírus da febre Amarela. No entanto, não há registros de casos confirmados da doença transmitida por este vetor. Por isso, por enquanto, a recomendação é que a população que vive em área urbanas não precisa se vacinar, até mesmo para evitar possíveis efeitos colaterais.

Já para quem vai viajar para lugares onde há registros de morte de macacos por Febre Amarela, principal indicador de que há mosquitos transmissores da doença numa determinada área, a orientação é que a vacina seja aplicada com, pelo menos, dez dias de antecedência da viagem. Em Hortolândia, as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) oferecem a vacina, gratuitamente, em esquema de rodízio (confira as datas abaixo).

De acordo com o diretor do Departamento de Saúde Coletiva, órgão da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Hortolândia, Antonio Roberto Stivalle, as vacinas são encomendadas pelo Ministério da Saúde à Fiocruz, que fabrica e avalia cada lote individualmente. “Esse processo gera uma demora na fabricação e na distribuição. Temos informações de que a Fiocruz trabalha em sua capacidade total, mas as doses que têm sido distribuídas não atendem toda a população, apenas quem vai viajar e corre um risco maior”, enfatizou Stivalle. No entanto, a dificuldade está em identificar quem realmente vai viajar. “Não há como ter controle se quem procura pela vacina vai mesmo para área de risco. Por isso, pedimos a colaboração das pessoas para só procurarem a unidade de saúde caso se enquadrem nas recomendações”, destacou Stivalle.

“Recebemos uma quantidade de doses que, distribuída entre as UBS, dá para imunizar 50 pessoas por dia. Não é preciso que as pessoas façam filas nas unidades de saúde, se a recomendação de vacinar apenas quem viaja for seguida”, destacou. É importante ressaltar que a vacinação contra Febre Amarela não é uma campanha: a vacina sempre esteve disponível gratuitamente nas unidades de saúde.

Vacina de Febre Amarela, disponível das 8h às 12h, nos seguintes dias e locais:

2ª feira – UBS Rosolén

3ª feira – UBS Novo Ângulo

4ª feira – UBS Santa Clara

5ª feira – UBS Nova Hortolândia

6ª feira – UBS Amanda