Na reta final do curso para formação de novos instrutores de Ling Gong, a Prefeitura de Hortolândia inicia novos grupos da ginástica chinesa, com a atuação dos profissionais que estão em fase final de treinamento. Sob a supervisão do coordenador de Práticas Corporais, Alfredo Vagner da Conceição, os novos instrutores levam os benefícios da terapia aos ambientes onde trabalham, nas repartições públicas. A ideia é difundir o Lian Gong entre os servidores municipais e atrair novos multiplicadores. A proposta faz parte do Programa Viva Mais, ação de governo que integra todas as secretarias municipais e que tem como objetivo garantir qualidade de vida e longevidade à população, por meio da adoção de hábitos saudáveis.

Nesta terça-feira (21/11), houve uma aula inaugural na Guarda Municipal, onde a ginástica chinesa será aplicada todas as terças e quintas-feiras. Também haverá novos grupos na Saúde Ocupacional, no Centro Poliesportivo Nelson Cancian, na Academia Municipal e em outros prédios públicos. “Queremos implantar novos grupos em secretarias e departamentos municipais, com objetivo de garantir mais qualidade de vida ao servidor público. Além disso, despertamos o interesse de mais pessoas pela prática da ginástica chinesa, colaborando para a futura formação de novos instrutores”, detalhou Conceição, que é representante do Viva Mais na Secretaria de Saúde. O atual curso de formação tem formatura prevista para este final de ano. No início de 2018, deve acontecer mais uma formação.

Para a população em geral, há práticas de Lian Gong em todas as USF (Unidades de Saúde da Família) do município, com exceção da USF Santiago. Quem mora neste bairro, pode aproveitar as aulas que acontecem na USF Nova Europa. Para participar de qualquer uma das turmas, basta se dirigir até a unidade de saúde mais próxima de casa e conferir as datas em que os grupos se reúnem.

Lian Gong

O Lian Gong surgiu na década de 80, na China. Aprimorado ao longo dos anos, a prática se difundiu em todo o mundo, sendo utilizada para o tratamento e prevenção de doenças osteomusculares, reumatismos e problemas respiratórios. Dividida em três etapas, cada uma com 18 movimentos diferentes, a terapia possui exercícios baseados nas artes marciais.

Artigo anteriorProfissionais de saúde se preparam para campanha contra Aids Destaque
Próximo artigoRua do Centro da Melhor Idade tem sinalização reforçada