Serviço gratuito, oferecido pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, contribui para evitar contaminação ambiental e humana por substâncias tóxicas

Cerca de 20 dias após instalar, em bairros de Hortolândia, seis “Estações exclusivas para descarte de lâmpadas fluorescentes”, a Prefeitura divulga o primeiro balanço do que a população deixou voluntariamente nestes equipamentos, entre os dias 30 de março e 20 deste mês. Os pontos de descarte de lâmpadas, implementados pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, ficam no Jd. Amanda, Vila Real, Jd. Nossa Senhora Auxiliadora, Jd. Santa Clara, Jd. Nossa Senhora de Fátima e Remanso Campineiro (confira endereços abaixo).

O mais procurado, até o momento, foi o ponto 6, o da Academia Municipal Jaime Pereira, no Remanso Campineiro, onde foram descartadas cerca de 70 lâmpadas. Em segundo lugar, com o descarte de 50 unidades, aparece o ponto 5, localizado na administração do Parque Irmã Dorothy, no Jd. Nossa Senhora de Fátima. Empatados em terceiro lugar, com 10 lâmpadas descartadas, estão o ponto 4, no Espaço Viva Mais e Melhor, no Jd. Santa Clara, e o ponto 3, na USF (Unidade de Saúde da Família) Parque do Horto, no Jd. Nossa Senhora Auxiliadora. Dois pontos ainda não receberam descarte: o 1, no Centro Cultural Inês Afonso, no Jd. Amanda, e o 2, na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Janilde Flores Gaby do Vale, na Vila Real. No total, aproximadamente 140 lâmpadas queimadas, que poderiam ter sido jogadas em terrenos baldios ou áreas verdes ou misturadas ao lixo orgânico, foram descartadas corretamente.

Para a secretária-adjunta de Meio Ambiente, Eliane Nascimento, como este tipo de descarte é algo novo na cidade, ainda precisa ser descoberto pela população. “Consideramos estes números favoráveis, dentro do esperado, uma vez que lâmpada não é algo que queima todo dia. Há que se considerar também as pessoas que se habituaram a descartar em lojas, pela logística reversa”, avalia.

Política pública ambiental

As estações de descarte de lâmpadas compõem uma das políticas públicas implementadas pela Prefeitura de Hortolândia na área ambiental, assim como a URE (Usina de Reciclagem de Entulhos), os PEVs (Pontos de Descarte Voluntário de entulho e outros materiais recicláveis), os LEVs (locais de entrega voluntária de recicláveis) e as caixas de descarte de lixo eletrônico. Com isso, Hortolândia passa a ser a primeira dos municípios integrantes do Consimares (Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas) a disponibilizar o serviço. Fazem parte do Consócio Capivari, Elias Fausto, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré.

As caixas de MDF, de 1,65 cm comprimento x 0,70 cm largura x 0,70 cm altura, são capazes de recolher qualquer tipo de lâmpada queimada, tanto inteira quanto quebrada, armazenando 700 lâmpadas tubulares e 300 lâmpadas compactas, mistas e outras, segundo dados da empresa fornecedora, a Bulbless, que realiza a coleta em parceria com a Administração e a Horto Ambiental. A tampa é do tipo basculante, que abre quando erguida para cima com o apoio de trava, o que evita a ação de curiosos e o risco de acidentes. O munícipe poderá descartar na estação mais próxima de sua residência, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, sem qualquer tipo de custo.

Cada ponto de coleta de lâmpada terá um responsável que avisará à Secretaria quando o material precisar ser retirado, periodicamente. A cada recolha é feita uma contagem do total de lâmpadas: em unidades, quando inteiras, e em quilos, quando quebradas. Todo o processo de coleta e descarte ambientalmente correto das lâmpadas é feito por meio de parceria entre a Prefeitura e a empresa Horto Ambiental e suas parceiras, como a Bulbless. Após feita a descontaminação das substâncias tóxicas, como o mercúrio, a empresa especializada emitirá um laudo atestando esta descontaminação e o descarte correto do material restante, como vidro e metais.

“Além do respeito ao meio ambiente, isto representa também qualidade de vida, uma vez que as lâmpadas não serão descartadas inadequadamente, pois o mercúrio presente nas fluorescentes é um material muito arriscado para a população em geral”, explica o engenheiro ambiental da Horto Ambiental, José Baldino.

Segundo o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Nazareno Zezé Gomes, a medida atende à demanda da comunidade e a Prefeitura oferece mais este serviço, de grande importância ambiental.

Eliane Nascimento explica ainda que a Política Nacional de Resíduos Sólidos, legislação que rege este tipo de situação, prevê que o descarte de lâmpadas seja feito por meio de logística reversa, isto é, cada vendedor seria responsável também por recolher os produtos queimados e providenciar o descarte correto. No entanto, como ainda não houve acordos setoriais, nas esferas federal, estadual e municipal, a Prefeitura sai na frente e disponibiliza as estações de coleta de lâmpadas fluorescentes.

Confira onde estão as estações de descarte de lâmpadas:

Ponto 1 – Centro Cultural Inês Aparecida da Silva Afonso /Escola de Artes Augusto Boal

Rua Casemiro de Abreu, S/N, Jardim Amanda

Ponto 2 – Emef Professora Janilde Flores Gaby do Vale

Avenida Professora Edna Aparecida Pampa da Fonseca, 115, Vila Real

Ponto 3 – USF (Unidade de Saúde da Família) Parque do Horto

Avenida José Augusto de Araújo, 95, Jardim Auxiliadora

Ponto 4 – Espaço Viva Mais e Melhor

Rua Pedro Pereira, 179, Jd. Santa Clara

Ponto 5 – Parque Socioambiental Irmã Dorothy (Administração)

Rua Manoel Antônio da Silva, 415, Jd. Nossa Senhora de Fátima

Ponto 6 – Academia Jaime Pereira “Academia Municipal”

Rua João Carlo Franceschini, 350, Remanso Campineiroa