Nossa Cidade

Prefeitura aposta no ensino híbrido no retorno às aulas na rede municipal de Hortolândia

Os “Desafios do Ensino Híbrido”. Em tempos de pandemia do Coronavírus, eis uma expressão que veio para ficar, trazendo novas rotinas para estudantes, familiares e profissionais da educação. Mas será que todos os integrantes da comunidade escolar entendem o que significa o chamado “ensino híbrido”? Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia da Prefeitura de Hortolândia, o ensino híbrido é uma nova proposta metodológica, que permeia os dois principais meios de educação, a presencial e o ensino a distância, com interlocução entre ambas. Por meio dele, o contato com as famílias ocorre tanto de maneira remota, via aplicativos de comunicação, como o WhatsApp, quanto presencialmente, com a distribuição de materiais impressos nas escolas da rede municipal para serem realizados em casa, com o auxílio dos familiares e responsáveis. Dessa forma, busca-se transpor barreiras que possam vir a existir entre o professor e o aluno, em meio à pandemia do Coronavírus, estreitando os laços entre eles e criando vínculos entre o professor, o aluno e a família. Outra ferramenta importante é o “Espaço Educação”, criado pela Secretaria e vinculado ao portal oficial da Prefeitura (www.hortolandia.sp.gov.br).

Para ajudar o internauta nesta questão, o Portal da Prefeitura traz a seguir a visão de gestores da rede municipal sobre o tema.    

“O termo ‘ensino híbrido’ foi recentemente popularizado com a sua inserção nos processos educacionais, devido à pandemia da COVID-19. Trata-se de uma metodologia que combina o aprendizado online e atividades executadas presencialmente em sala de aula. Na rede pública municipal de Hortolândia, inicialmente trabalharemos com o ensino remoto, utilizando ferramentas online, tais como o Espaço Educação, ambiente virtual onde educadores e professores postam suas atividades voltadas ao seu grupo educacional e interagem com seus alunos, mesmo a distância. Acreditamos que, em um momento delicado como este que estamos vivendo, precisamos priorizar a vida e a saúde de todo o corpo educacional da rede municipal de ensino. Sendo assim, estamos investindo tempo, energia e esforços em projetos de formação continuada, visando unir ainda mais recursos tecnológicos aos planejamentos pedagógicos das unidades escolares da rede.”

Felipe Amaro dos Santos Neto, diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação.

“O ensino híbrido é uma metodologia que combina a aprendizagem presencial com o uso da tecnologia, possibilitando que os alunos estudem online ou em sala de aula. Na Educação Infantil, essa proposta de trabalho está em construção e exigirá de nós estudos e as melhores estratégias para que consigamos fazer uso desse recurso, valorizando as vivências, interações e o convívio social, fundamentais para o desenvolvimento das nossas crianças. Neste momento de pandemia, o ensino híbrido tem o objetivo de transpor as barreiras que possam vir a existir entre o professor e o aluno, estreitando laços, criando vínculo entre a escola e a comunidade.”

Simone Locatelli, diretora de Educação Infantil

 

“O ensino híbrido tem uma primeira conotação em que o estudante/aluno tem parte da aprendizagem a partir de interações em momentos na sala de aula e mediações online. Parte das atividades seria realizada na escola e outra remota, sob a supervisão de um professor ou da escola. O ensino híbrido, aliado a uma plataforma de acesso a aprendizagem, pode ser um aliado nesta retomada”.

José Luís Menegoro, diretor de Ensino Fundamental, Educação Integral e EJA (Educação de Jovens e Adultos)

 

“O ensino híbrido, além de ser uma grande tendência para a Educação do século XXI, é uma metodologia que oferece a possibilidade de unir modelos de atividades presenciais com as online, utilizando tecnologias digitais para promover o ensino e o desenvolvimento do aluno. Estamos na era em que nossos alunos são nativos digitais, começando a utilizar tecnologias e a ter contato com computadores, smartphones, tablets, entre outros, cada vez mais cedo. A formação dos nossos profissionais para estarem preparados para esse novo modelo de Educação é de extrema importância, em especial na nossa rede, onde a formação continuada sempre esteve presente nos processos de construção pedagógica. A Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia tem se empenhado em oferecer todo o suporte para que os professores e educadores tenham novos cenários e instrumentos que contribuam na aprendizagem e desenvolvimento dos alunos.”

Fernando Moraes, secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia

 

Volta às aulas

As aulas na rede municipal de Hortolândia recomeçam agora em fevereiro, inicialmente, de maneira remota, com formação online para os professores, nesta quarta-feira (03/02), via Jornada Pedagógica, e aprendizagem virtual para alunos, a partir da próxima segunda-feira (08/02). De acordo com o protocolo elaborado pela Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a partir de março, começa a ser implantado o sistema híbrido, sendo realizadas também aulas presenciais. 

A ideia da Prefeitura é que, a partir de oito de março, as aulas presenciais nas escolas da rede municipal e para os alunos das conveniadas por meio do programa Bolsa-Creche aconteçam em regime de revezamento, de modo a atingir até 35% da capacidade física da unidade escolar, sendo também mantidas as atividades remotas, paralelamente. O revezamento semanal vai de segunda a sexta-feira. Deste modo, os estudantes se alternariam em sala, do seguinte modo: numa semana, comparece metade da turma e, na semana seguinte, a outra metade. No entanto, caberá a cada família a decisão de enviar ou não o estudante à escola, neste período.

Atualmente, a rede municipal de ensino atende 25,8 mil estudantes, na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e na EJA (Educação de Jovens e Adultos), em 58 unidades próprias e em 39 escolas conveniadas.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98