Nossa Cidade

Parque-escola da Prefeitura ganha bosque e mini-floresta

Plantio de 350 mudas no Creape é marco do projeto de arborização municipal, que prevê a semeadura de dez mil árvores na cidade, fazendo de Hortolândia uma cidade mais verde

Parque-escola (creape) da Prefeitura ganha bosque e mini-floresta

Cerca de 80 alunos da Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Viva Mais, no Jardim Santa Clara do Lago, participaram, ao lado do prefeito de Hortolândia, Antonio Meira, do plantio de 350 mudas de 30 espécies nativas no Creape (Centro de Referência em Educação Ambiental Parque Escola), nesta terça-feira (08/10). Realizada pelas secretarias de Educação e Meio Ambiente, a ação integra o projeto de arborização da Prefeitura que, entre 2013 e 2014, deve semear dez mil espécies arbóreas no município.

A previsão é que, em 3 ou 4 anos, quando as árvores atingirem 1,7m e 2,5m de altura, o parque ganhe uma mini-floresta – área de preservação permanente – e também um bosque, onde os visitantes poderão contemplar espécies da mata nativa e usufruir da sombra durante piqueniques em família. A Administração cedeu o espaço e todas as despesas com a aquisição das mudas, mão de obra e manutenção das áreas plantadas durante dois anos fica por conta da iniciativa privada. O acordo atende a compensação pelo corte de árvores em projeto habitacional realizado em outra área da cidade.

“Esta ação vem ao encontro do projeto que temos de arborizar a cidade. O objetivo é de plantar dez mil mudas. Hoje, estamos dando esta largada com o objetivo de plantar, neste período das águas, tempo em que chove bastante, dez mil mudas que vão embelezar a cidade. O nosso sonho é de ver a cidade arborizada, florida, bonita, mas também é importante para a vida do ser humano”, afirma o prefeito Antonio Meira. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Aldo Aluízio Silva, duas mil árvores já foram plantadas até agora. “Vamos superar esta meta até lá, com certeza”, aposta o secretário.

Espécies frutíferas e mata nativa

Bem ao lado da academia ao ar livre e do parque, que ficam nas imediações do Viveiro Embaúba, em fileiras abertas de 3 em 3 metros, foram plantadas espécies frutíferas, como Pitanga, Uvaia, Cereja do Rio Grande, Grumixama, Araçá e Cabeludinha. A mini-floresta, da nova APP, fará a alegria dos pássaros.

No bosque, plantado em fileiras que distanciam em 6m, uma da outra, e em 4m, de espécie para espécie, os visitantes encontrarão Paineiras, Acácias, Ipês rosa, amarelos e brancos, além de Araucárias. “É importante a recuperação florestal do parque para a atração dos pássaros, a qualidade do ar e o bem-estar das pessoas que freqüentam”, afirma Fábio Moreira, engenheiro agrônomo da Flora Raízes, empresa responsável pelo plantio.
Na área aberta do parque, localizada em frente à Emef Viva Mais, foi feita arborização urbana, com Quaresmeiras, Manacás, Pitangas e outras espécies.

Estamos recuperando um pouco da nossa mata nativa”, afirma a bióloga Ângela Júlia Ghiraldelli, uma das responsáveis pelas aulas de educação ambiental no parque-escola. “Assim, podemos exemplificar o que era. É uma ferramenta pedagógica muito importante para o nosso trabalho, pois além de melhorar o espaço do parque, com esta área de lazer ampliada, os alunos podem aprender a respeitar as árvores e saber o que elas representam na nossa vida.”

Para o aluno do 1º ano B, Pedro Artur Pereira dos Santos, de 7 anos, plantar uma mudinha de árvore “significa amor”. A colega de sala, Ana Heloísa Lourenço da Silva, de 6 anos, também gostou da aula ao ar livre. “É legal! Ajuda a terra e a cidade fica mais bonita”, avalia a menina.

Este mês estamos fazendo um trabalho voltado ao meio ambiente, com plantio na escola de horta e flores ornamentais. Para as crianças, estar aqui é ver na prática o que estamos falando em sala de aula. Tenho certeza de que a maioria dos que estão aqui vão trazer os pais e mães para cuidar das árvores que plantaram”, afirma a diretora da escola, Ana Cláudia Fiochi. A educadora tinha outro motivo para comemorar: a participação no plantio de um aluno autista, que ingressou na escola no começo do ano e começa a dar sinais de integração com os colegas. “Antes, ele não podia nem ser tocado e agora já interage bem, desde que respeitemos os limites dele”, explica.

Esta ação representa um trabalho pedagógico voltado para cidadania, o cuidado com a natureza, o respeito a esta natureza para que nossa cidade seja cada vez mais bonita, saudável, um lugar cada vez mais gostoso de se viver”, afirma a secretária Cleudice Baldo Meira. “Nós, em sala de aula, falamos muito para as crianças do cuidado que temos que ter com o meio ambiente, com a nossa casa, que é o Planeta Terra. Muitas vezes, fica no discurso, na explicação em sala de aula. Hoje, aqui neste Creape, este parque tão bonito que a nossa cidade tem — estamos aqui usufruindo dele, plantando árvores com as crianças — estamos praticando aquilo que é ensinado em sala de aula. Nós queremos que as nossas crianças cresçam sempre com respeito à natureza, ao próximo, cuidando do lugar onde vivem, porque é assim que a gente constrói uma sociedade mais justa, igualitária, fraterna e saudável, de um povo feliz”, complementa.

Cada ser humano precisa de sete árvores para respirar bem e sobreviver bem. Então, aqui em Hortolândia, nós estamos fazendo a nossa parte. Queremos que cada cidadão da nossa cidade tenha as sete árvores para viver bem e respirar bem, além de deixar a cidade bonita”, explica Meira.

Para mais notícias, eventos e empregos, siga-nos no Google News (clique aqui) e fique informado

Lei Proibida a reprodução total ou parcial, sem autorização previa do Portal Hortolandia . Lei nº 9610/98