O antigo distrito da cidade de Sumaré completa sua 3ª década conquistando prêmios e em pleno desenvolvimento

Falar de Hortolândia é trazer à tona a dedicação de pessoas sonhadoras, guerreiras e persistentes. A cidade que há 30 anos lutava por sua emancipação, hoje se vê gigante diante de um mundo que cresce em velocidade acelerada. Hortolândia, construída com a luta popular, agora é a cidade da luz de LED, pólo de tecnologia, a cidade que oferece empregos e não mais vista como uma singela “cidade dormitório”. O antigo vilarejo Jacuba cresceu e agora é o lar de mais de 234.259 hortolandenses (Fonte: IBGE 2020) que, em sua maioria, migraram de outros estados e municípios e encontraram aqui o orgulho de chamar Hortolândia de “minha cidade”.

São 30 anos desde o dia em que 19.081  eleitores votaram a favor no plebiscito em que emancipou o distrito de Hortolândia, pertencente à cidade de Sumaré, a um município. E desde então, foi necessário muito trabalho para colocar, em 2020, Hortolândia na 2ª posição do ranking entre as 100 melhores cidades do país para se fazer negócios, segundo a reportagem da revista Exame, baseada em um estudo da consultoria Urban Systems que identificou as cidades com mais de 100 mil habitantes que apresentam maiores oportunidades de investimentos.

Além disso, o planejamento urbano na área de saneamento básico também trouxe destaque para a cidade que recebeu, em abril de 2018, o Prêmio Excelência no atendimento de água e esgoto, concedido pela ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária). A premiação foi entregue aos municípios e operadores com os melhores indicadores em água e esgoto. Na época, Hortolândia já contava com 100% de água encanada, e a cobertura da rede de coleta de esgoto atingia 95%, hoje avançou para 98%. Já em setembro de 2019, o município recebeu um prêmio nacional concedido pelo Instituto Trata Brasil, pelo forte avanço nos indicadores de água tratada, coleta e tratamento de esgoto. A cidade foi reconhecida como um dos “casos de sucesso em saneamento básico”.

Mais recentemente, em 2020, a cidade subiu da 11ª para a 6ª colocação no ranking nacional rumo à universalização do saneamento básico. Em estudo também realizado pela ABES, Hortolândia ficou à frente de cidades como Santos, Birigui, Salto, Ribeirão Preto, Sertãozinho e Taubaté, se comparada à publicação de 2019.

Na área de educação, Hortolândia também tem tido notoriedade. Em 2019, o Ministério da Educação divulgou dados do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que funciona como um indicador nacional que possibilita o monitoramento da qualidade da Educação e Hortolândia registrou índice de 7.0, tendo como critério para o cálculo a aprovação escolar e a média do desempenho dos alunos em avaliações de matemática e português. O resultado é referente aos primeiros anos do Ensino Fundamental, que compreende do 1º ao 5º ano. Dessa forma, o índice do município se manteve superior a média nacional, que no ano de referência era de 5.9.

Na infraestrutura é evidente ver a ousadia com que Hortolândia vem crescendo: a entrega da ponte estaiada em maio de 2019, avenida Panaíno, a reforma e investimentos no Hospital Municipal, parques socioambientais, construção de portais, duplicação da avenida São Francisco, estrada do futuro, etc. Tudo isso tem tornado a cidade ainda mais atrativa para novos empreendimentos que pipocam por todos os cantos da cidade.

E apesar de ainda ter muito que ser feito é visível o sentimento de prosperidade para quem está na cidade há muitos anos e acompanhou as mudanças. Mantendo esse ritmo, o município cria boas expectativas para os próximos anos e a esperança de um futuro ainda melhor. Viva Hortolândia!

Jornalista Wendy Meira