Um crime brutal chocou a cidade na madrugada de sexta-feira, em Sumaré. Um rapaz de 28 anos, identificado como Jhony Rodrigo da Silva, foi preso após matar o pai com golpes de um instrumento usado para amolar lâminas. Cícero Bento da Silva, de 45 anos, teve seu rosto desfigurado pelos golpes. Após o crime, o filho se deitou ao lado do corpo do pai e dormiu até a chegada da Polícia Militar. O crime aconteceu no Jardim João Paulo II.

De acordo com um vizinho, durante a madrugada, ele teria ouvido um forte barulho de objetos quebrando dentro da residência, na Avenida Dom Pedro I, que dá de fundos com a sua casa. No entanto, segundo ele, as brigas eram frequentes, por esse motivo, ele não deu muita atenção ao fato e voltou a dormir.

Ao acordar de manhã, ele percebeu que a janela da casa estava aberta. Ele teria afirmado aos policiais que, por não ser comum os moradores deixar o vidro aberto, ele resolveu ver o que havia acontecido.

Ao olhar pela janela, o vizinho viu o corpo de Cícero coberto por um lençol. O local estava sujo de sangue, inclusive nas paredes, o que assustou o vizinho. O filho da vítima estava deitado ao lado do corpo, dormindo.

Rapidamente, a testemunha acionou a Polícia Militar. Os agentes bateram na porta chamando por Jhony, que acordou e atendeu a porta da casa normalmente. Antes de ser indagado sobre o crime, ele afirmou aos agentes que havia agido em legítima defesa.

Segundo a PM, o acusado não demonstrou nenhum arrependimento e agiu de maneira fria ao apontar o corpo do pai. Ao receber voz de prisão em flagrante por homicídio doloso, quando há a intenção de matar, o acusado ainda teria dito que “foi em legítima defesa e que logo voltaria”.

Informações de moradores dão conta que tanto o pai quanto o filho são usuários de drogas e que as brigas eram frequentes. Ainda segundo vizinhos, o local era freqüentado por muitos usuários ao longo da madrugada.

O motivo do homicídio não foi informado pelo autor, que foi encaminhado para a Cadeia Pública de Sumaré, onde aguardará a disposição da Justiça. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial, onde será apurado pela Polícia Civil.

O corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Americana, onde passará por exames necroscópicos. Nenhum familiar da vítima foi encontrado e ainda não há informações sobre funeral.

Thiago Alves | Sumaré