Que tal aproveitar o período de isolamento social para fazer uma atividade lúdica e instrutiva com as crianças? Elas podem ajudar em casa na tarefa de eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti, que transmite as doenças Dengue, Chikungunya e Zika.

De acordo com a pedagoga da Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, Renata Miller, os adultos podem orientar as crianças sobre a importância de eliminar os criadouros para evitar a reprodução do mosquito. As famílias podem fazer essa atividade juntas com as crianças em casa. Assim, os pequenos aprendem de um jeito divertido as medidas de combate ao Aedes aegypti e de prevenção a Dengue, Zika e Chikungunya. “Mas é preciso criar uma rotina diária em casa. Ao aprenderem, as crianças passam a ser multiplicadoras dos conhecimentos que adquiriram e a cobrar os adultos a também cumprirem as medidas”, explica Renata.

Para criar essa rotina diária em casa, de acordo com a pedagoga, os pais podem estimular as crianças a montar um “checklist”, lista de ações a serem verificadas com um quadradinho ao lado para ser ticado. Dentre as ações estão verificar pratinhos ou vasos de plantas que podem acumular água parada, colocar areia nestes recipientes, guardar em local apropriado brinquedos como baldinhos e peças de empilhar, evitando que a água da chuva, por exemplo, fique parada.

Outra ação sugerida pela pedagoga é trocar a água colocada em pote para cães ou outros animais de estimação. “É importante trocar a água e também limpar o pote, porque os ovos do Aedes aegypti podem ficar grudados na borda. A limpeza deve ser feita com sabão e uma bucha, que deve ser usada somente para isso”, reforça Renata.

CASA A CASA E NEBULIZAÇÃO

A Prefeitura de Hortolândia continua a fazer a parte dela no combate ao mosquito Aedes aegypti com as ações de casa a casa e de nebulização. Nesta semana, a UVZ (Unidade de Vigilância e Zoonoses), órgão da Secretaria de Saúde realiza casa a casa no Jardim Auxiliadora e prossegue com a ação no Parque Ortolândia. Já a nebulização será feita no Parque Orestes Ôngaro. De acordo com a UVZ, as duas ações são complementares e precisam ser feitas juntas, pois eliminam o mosquito em diferentes fases de vida. A Prefeitura solicita para que os moradores recebam os agentes e os deixem entrar em suas casas para realizar as ações. Os agentes estão identificados com uniforme e crachá.

Na ação de casa a casa, os agentes visitam as casas dos moradores para fazer a busca ativa e a eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti. A ação é para eliminar o mosquito ainda na fase de larva. Caso sejam encontradas larvas, algumas delas são recolhidas para identificação em laboratório.

Já a nebulização elimina o Aedes aegypti na fase adulta. Os agentes também visitam as residências dos moradores. Eles utilizam nebulizadores costais motorizados para espalhar o inseticida em forma de vapor. A UVZ ressalta ainda que as duas ações juntas não surtem efeito se a população não colaborar e também fazer sua parte. De acordo com o órgão, cerca de 80% dos focos de Dengue estão nas casas das pessoas.

Uma atitude dos moradores que ajuda no combate ao Aedes aegypti é evitar fazer o descarte irregular de resíduos em vias e áreas públicas e em terrenos baldios. A Prefeitura reforça a orientação para que a população faça o descarte de resíduos e materiais reaproveitáveis nos 11 PEVs (Pontos de Entrega Voluntária de entulho e outros materiais recicláveis) existentes no município.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, órgão da Secretaria de Saúde, o munícipio registra neste ano 790 notificações de Dengue, das quais 268 casos positivos, 341 casos negativos, 181 aguardam resultado e nenhum óbito. Já de Chikungunya, neste ano foram registradas 3 notificações, das quais 1 caso positivo, 1 caso negativo e 1 aguarda resultado e nenhum óbito.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia