Connect with us

Nossa Cidade

Confecção de uniforme escolar garante profissão e renda a mulheres

Publicado

em

 

A entrega dos uniformes escolares realizada pela Prefeitura de Hortolândia, além de garantir economia às famílias, gerou emprego e renda para 60 mulheres do curso de Costura Industrial, oferecido por meio do Programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, de Trabalho e Educação), da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social. As aprendizes do curso confeccionaram 125 mil peças de uniformes, uma vez que cada kit conta com 5 itens: duas camisetas, uma bermuda, uma calça e uma jaqueta. Durante o curso, elas recebem auxílio-bolsa no valor de R$ 710, como bolsa auxílio, além de qualificação profissional. A formatura da turma que confeccionou os uniformes será no final de 2019, quando elas receberão certificados.

“Eu ganhei muito conhecimento na área de costura industrial e, ao mesmo tempo, me sinto muito orgulhosa por fazer parte da turma que confeccionou os uniformes dos alunos de Hortolândia, principalmente, por ter saído da minha mão a peça que meu filho usará para ir à escola”, destacou a aprendiz Maria Cristina Braga Silva, de 43 anos, moradora do Novo Ângulo, e mãe da Yasmin, de nove anos, estudante da Emef Salvador Zacharias Pereira Junior.

“Desenvolvemos este projeto de capacitação para mulheres desempregadas, que puderam aprender uma profissão e garantir renda durante o curso. Com muito carinho e paciência, elas costuraram estes uniformes, que foram feitos com muito amor. Agora, estão prontas para o mercado de trabalho”, destacou o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Régis Bueno.

Nesta quinta-feira (14/02), o prefeito Angelo Perugini esteve em mais quatro escolas municipais, onde realizou a entrega de kits de uniforme escolar para os estudantes da rede municipal: EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Profª. Maria Célia Cabral Amaral, no Jd. Amanda; EMEF Profª. Patrícia Mª. Capelato Basso, no Jd. São Sebastião; EMEF Villágio Ghiraldelli, no bairro Villagio Ghiraldelli; e EMEF Profª. Helena F. Takahashi, no Jd. Campos Verdes. Até o dia 28 deste mês, todos os estudantes das 56 escolas de educação infantil e ensino fundamental estarão com os conjuntos de verão e inverno.

“A Prefeitura garante o essencial e tem suas prioridades. Uma delas é o uniforme escolar das crianças. Não adianta nada a gente reclamar e dizer que não tem dinheiro para investimentos como este; temos que buscar uma saída. A população paga seus impostos: são os pais dos alunos que sustentam a Prefeitura. Por isso, estamos sempre em busca de recursos, para fazer nossa cidade crescer, atrair novos investidores e reverter estes investimentos em melhorias para a própria população”, afirmou Perugini.

Uma das famílias que recebeu o uniforme, nesta quinta-feira, é a do Leonardo, de oito anos, que estuda na EMEF Profª. Patrícia Mª. Capelato Basso. A mãe dele, a dona de casa Juliana Girondo, de 30 anos, comemora o recebimento das roupas, pois considera que o uniforme dá mais segurança às crianças. “A gente vê uma criança na rua de uniforme e já sabe que ela é estudante. Se é fora de horário de aula, já liga nossa ‘alerta’. Também acho muito bom a Prefeitura fornecer estas roupas porque, assim, todos vêm iguais para a aula “, disse Juliana.

“A gente entende a importância desses uniformes na vida das crianças e das famílias, por isso, a Prefeitura se esforça em priorizar este investimento. Além de uniforme e material escolar, Hortolândia também oferece merenda de qualidade para todos os alunos, com arroz, feijão, carne, legumes e verdura, todos os dias. Também contratamos novos profissionais e não temos nenhuma sala de aula sem professor. A gente faz a nossa parte, mas a família precisa fazer a parte dela: olhar o caderno das crianças, conversar sobre as aulas e acompanhar a vida escolar do filho. Precisamos caminhar juntos”, afirma a secretária de Educação, Ciência e Tecnologia, Alessandra Amora Barchini.

Educação de qualidade é prioridade

O investimento da Prefeitura de Hortolândia no atendimento de qualidade aos alunos da rede municipal vai além da oferta de uniforme e material escolar. Outros investimentos fazem parte das ações da Administração Municipal, que trata a Educação com prioridade. A merenda escolar, por exemplo, traz cardápios bastante nutritivos aos alunos, com arroz, feijão, carne, legumes e verdura além de suco natural, servidos todos os dias. Nas Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil), crianças de creche contam com roupas de banho e cama para os cuidados diários, além de produtos de higiene, como shampoo e sabonetes infantis. Outro serviço realizado pela Prefeitura é o de transporte escolar: alunos a partir de três anos que morem a mais de 2 quilômetros de distância da escola onde estão matriculados têm direito ao benefício. Para isso, basta entrar em contato com a secretaria escolar e aguardar orientação sobre a rota do ônibus escolar que passa mais perto da residência.

De acordo com informações da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, o município investe R$ 41,450 milhões por ano com todos estes serviços, que atendem cerca de 25 mil alunos. Só em uniformes escolares, são R$ 5,4 milhões/ano; material escolar representa R$ 2,8 milhões/ano. Este volume faz parte dos 25% do orçamento municipal destinados à Educação, montante proveniente de impostos recolhidos pela Administração Municipal.

Os investimentos em educação fazem parte do PIC (Programa de Incentivo ao Crescimento), que prevê cerca R$ 400 milhões para promover o desenvolvimento urbano, ambiental, social e humano para que Hortolândia cresça com planejamento e sustentabilidade nos próximos 30 anos. Por meio do programa, a Prefeitura quer melhorar a prestação dos serviços públicos municipais em todas as áreas, em especial, na saúde, educação, segurança, mobilidade urbana e geração de emprego.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Nossa Cidade

Censo habitacional em condomínios resultará em ações da Prefeitura para atender crescimento populacional

Publicado

em

HortolandiaPredios

Ajuste no Plano Diretor de Hortolândia possibilitará implantar mais equipamentos públicos, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer
 
Construir uma cidade sustentável, com equipamentos públicos que atendam de forma satisfatória seus moradores. Este é um dos critérios para um município ser considerado cidade inteligente. Com foco neste objetivo, a Prefeitura de Hortolândia iniciou a aplicação de uma pesquisa junto aos empreendimentos habitacionais particulares, implantados em diversos bairros da cidade.

Com base neste censo habitacional, a Administração Municipal terá um diagnóstico da densidade populacional das áreas de condomínios, para que novos serviços públicos sejam implantados para atender esta demanda, como escolas, unidades de saúde e áreas de lazer.
 
De acordo com o secretário adjunto de Planejamento Urbano, Eduardo Marchetti, o censo habitacional nas áreas de condomínios deve ser concluído ainda neste ano. “A apuração inclui informações sobre quantidade de pessoas por residência, idade, se estes moradores têm plano de saúde ou se utilizam a rede pública de saúde, se frequentam escola, se trabalham no município, entre outros dados importantes para o planejamento de ações para atender o crescimento populacional. Com base nestas informações, vamos readequar o Plano Diretor de Hortolândia, estabelecendo novas metas para serem executadas a médio prazo, em cerca de 5 anos”, destacou Marchetti.
 
De acordo com a Secretaria de Planejamento Urbano e Gestão Estratégica, a ação atende as recomendações do Projeto Andus (Apoio à Agenda Nacional de Desenvolvimento Urbano Sustentável). Hortolândia é uma das seis cidades brasileiras participantes do projeto Andus de cooperação entre o governo federal brasileiro e a Alemanha, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH (Agência de cooperação técnica alemã). A parceria proporciona transferência tecnológica, capacitação de servidores e ferramentas para a implementação do Plano Diretor em Hortolândia, de modo a tornar o município cidade modelo de sustentabilidade.

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura repassa recursos para entidades assistenciais do município

Publicado

em

inclusão

Entidades atendem cerca de 900 pessoas em situação de vulnerabilidade social

A pandemia do Coronavírus tem deixado muitas pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em Hortolândia, essas pessoas são atendidas por entidades assistenciais, parceiras da Prefeitura. Para ajudá-las a manter suas atividades, a Administração Municipal irá subvencionar 12 organizações sociais do município.

Nesta segunda-feira (25/10), representantes das 12 entidades se reuniram com a Prefeitura para a assinatura dos contratos. O encontrou contou com a presença do secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social, Francisco Raimundo da Silva, e do CMAS (Conselho Municipal de Assistência Social).

De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, essa subvenção é o repasse anual que a Prefeitura realiza para entidades assistenciais da cidade. Os recursos são provenientes do próprio município. O órgão definiu as entidades que vão receber os recursos.

Segundo a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, as entidades têm o prazo de quatro meses para utilizar os recursos. Posteriormente, devem fazer a prestação de contas para a Prefeitura. As 12 entidades atendem cerca de 900 pessoas em vulnerabilidade social.

Confira abaixo as 12 entidades contempladas com os recursos:

– Instituto Esperançar

– ASBAFE (Associação Batista Fruto da Esperança)

– ABPV (Associação Beneficente Pedra Viva – Centro de Treinamento Integral Moriah)

– Associação dos Patrulheiros e Guarda Mirim de Hortolândia

– Associação Instituto das Irmãs Missionárias da Imaculada Rainha da Paz (Casa Betânia da Paz)

– Associação Casa da Criança Feliz

– CCSP (Centro Comunitário São Pedro)

– Contato Obras Sociais e Educacionais

– IESEHR (Instituto Educacional de Assistência Social dos Evangélicos de Hortolândia e Região)

– Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Central Brasileira (Núcleo de Crianças “Vinde a Mim”)

– SAH (Sociedade Amigos de Hortolândia)– CCART (Centro de Convivência, Aprendizagem, Reabilitação e Trabalho)

Continue Lendo

Nossa Cidade

Cursos de qualificação profissional em Hortolândia com bolsa-auxílio

Publicado

em

Inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa estadual Via Rápida

O avanço da vacinação contra a COVID-19 possibilita a retomada gradativa das atividades presenciais. Diante deste cenário, muita gente busca recolocar-se no mercado de trabalho no período pós-pandemia.

Para ajudar essas pessoas, a Prefeitura de Hortolândia disponibiliza dois cursos de qualificação profissional oferecidos pelo programa Via Rápida, do governo do Estado.

Os cursos são de almoxarife e estoquista e de porteiro e controlador de acesso. As inscrições podem ser feitas até o dia 31 deste mês no site do programa (CLIQUE AQUI). As atividades fazem parte do programa “Capacita Hortolândia”, da Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, que promove formações profissionalizantes, voltadas tanto a bolsistas do programa Acerte (Ação Cidadã de Requalificação, Trabalho e Educação) quanto à população em geral.

Cada curso tem 20 vagas disponíveis. As aulas do curso de almoxarife e estoquista acontecerão no período matutino, das 8h às 12h. Já as aulas do curso de porteiro e controlador de acesso serão no período vespertino, das 13h às 17h.

Os cursos estão previstos para começar no dia 8 de novembro, no Observatório Ambiental Parque Escola (antigo Creape), localizado na rua Bolívia, 290, Jardim Santa Clara do Lago. De acordo com a Secretaria de Inclusão e Desenvolvimento Social, os alunos que tiverem 95% de frequência nos cursos recebem uma bolsa-auxílio no valor de R$ 210,00.

Continue Lendo

Populares