O Espaço de Convivência do Cier (Centro Integrado de Educação e Reabilitação) “Romildo Pardini”, construído pela Prefeitura de Hortolândia, foi entregue oficialmente à comunidade escolar nesta terça-feira (25/05). Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a obra realizada em frente à unidade escolar, localizada no Parque Santo André, beneficiará aproximadamente 400 estudantes com deficiência – 150 matriculados na escola especial e cerca de 250 atendidos por distúrbio de aprendizagem. A ação integra o calendário de 30 anos de aniversário de Hortolândia.

Em razão da pandemia do Coronavírus, o evento de inauguração foi restrito a pouco convidados e respeitou os protocolos sanitários. Compareceram à solenidade o prefeito José Nazareno Zezé Gomes; os secretários de Educação Fernando Moraes (titular) e Roberta Morais Diniz (adjunta); o diretor de Ensino Fundamental e EJA (Educação de Jovens e Adultos), José Luís Menegoro; o diretor da Escola, Aparecido Donizete Chagas de Faria; e uma família convidada. A terapeuta ocupacional do Cier, Angela Rocha, tocou flauta.

“O Cier é uma unidade muito importante de valorização e acolhimento das pessoas com deficiência na cidade, um trabalho muito bonito realizado pela Prefeitura, que agora entrega este espaço que era um anseio da equipe. Uma área multiuso para acolher as pessoas e desenvolver atividades, como teatro e dança, com uma quadra de esportes totalmente adaptada. É mais um trabalho de valorização e fortalecimento das ações desenvolvidas no município”, afirmou o prefeito.

Espaço multiuso

O novo espaço é um complexo com quadra coberta, arquibancadas, novos banheiros e salas multiuso, uma construção que garante 100% de acessibilidade. O espaço multiuso tem ao todo 293,77 m2, com arquibancada lateral, cobertura metálica, gradil interno, rampas de acessibilidade e calçada externa com piso tátil, estrutura de drenagem pluvial e para-raios. 

De acordo com a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, a área de atividades será multifuncional. Servirá tanto para aulas de educação física dos alunos, quanto para encontro de familiares e exposição dos materiais produzidos nas oficinas de panificação, marcenaria e artesanato. Com o novo ambiente, os profissionais da unidade já preparam o planejamento de atividades e projetos para que, em breve, todos possam ocupar o local.

“O objetivo do espaço é fazer com que os alunos possam ter atividades que condizem com sua estrutura física e etária. É um local de encontro e atividade, onde possam se encontrar, de expressão corporal para a realização de danças circulares; de trabalho com as famílias, de encontro com as crianças do ciclo de aprendizagem. Enfim, uma área de múltiplas funções. O maior sonho do Cier foi ter um espaço adequado, sair de uma sala pequena e adequar os materiais acessíveis. Ganhar este local para nós foi relativamente importante para que as crianças possam desenvolver-se do ponto de vista biológico, psicológico e motor”, afirma o diretor, Donizete Faria. 

Segundo ele, a ideia é, assim que possível, promover encontros de integração com escolas ao redor, para que os convidados possam participar de eventos e mostras culturais promovidas pelo Cier. 

“Acho muito importante para eles, porque precisam ter vários ambientes de interação. A equipe do Cier é excelente. Eles pensam 100% nos nossos meninos. Tudo o que fazem de diferente para eles, ficam radiantes. O Cier é a segunda família do meu filho. Essa equipe que tem aqui nem posso considerar como profissional, mas como família, pelo carinho. Eles se dedicam 100% para os meninos, pensam muito neles. É um espaço muito importante, onde podem interagir entre eles, ter a vida social deles, que é muito limitada”, avalia Rita de Cássia Batista de Sousa, mãe do aluno Diogo Henrique de Sousa, de 26 anos, na escola há cinco anos.

“O Cier é de grande importância para a comunidade não apenas por sua estrutura de ponta, como também pela proposta pedagógica de inclusão que envolve a escola. O espaço múltiplo e funcional vai trabalhar os esportes e terá condições de oferecer uma gama enorme de atividades que trarão uma condição de desenvolvimento de habilidades, competências e protagonismo aos alunos”, ressalta o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Fernando Moraes.

 

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia