A Prefeitura de Hortolândia continua com a oferta de vacina contra Sarampo em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade, na ação da Campanha Nacional de Vacinação, que teve início em fevereiro. Até o dia 13 de março, as unidades de saúde farão a atualização da carteira de vacinação de pessoas com idade entre seis meses e 60 anos. É importante o comparecimento à unidade de saúde para que as equipes das salas de vacina avaliam as imunizações que a pessoa já recebeu ao longo da vida. A Campanha de Sarampo é seletiva e os profissionais das UBS vão apontar a necessidade ou não de doses de reforço em cada paciente, de acordo com o histórico de vacinas anotadas.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Hortolândia, as crianças devem ter duas doses da vacina contra Sarampo e um reforço, conforme o Calendário Obrigatório. Já os adultos precisam ter, pelo menos, duas doses da vacina anotadas na Carteira e Vacinação. Nesta campanha, das 6.237 pessoas que procuraram uma UBS para avaliação, 247 receberam a imunização, o que representa 4%.

Orientações

Mesmo no período fora da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, qualquer pessoa com idade até 59 anos que ainda não se vacinou ou não se lembra se recebeu a vacina alguma vez na vida, deve procurar a UBS mais próxima de casa para que a equipe da sala de vacina avalie a necessidade da proteção.

O Sarampo, que estava erradicado no Brasil, foi reintroduzido no território nacional. Desde agosto de 2019, as unidades de saúde de Hortolândia passaram a oferecer vacina contra Sarampo para crianças de seis a 11 meses de idade, por recomendação do Ministério da Saúde. A medida tem como objetivo ampliar a cobertura vacinal e oferecer proteção para as crianças menores de 12 meses,  contribuindo para o controle da doença. Na ação de reforço, a dose extra aplicada de seis a onze meses não terá validade como rotina: as crianças precisam ser vacinadas novamente aos 12 e 15 meses de idade. A Prefeitura também realiza ação de bloqueio após a notificação de suspeitas, mesmo antes da doença ser confirmada ou descartada, com vacinação das pessoas que tiveram contato com o paciente. Neste ano, dois casos da doença são investigados na cidade.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia