Connect with us

Nossa Cidade

ALL anuncia que fará projeto executivo para obra de viaduto sobre ferrovia, na Vila Real

Publicado

em

Solução definitiva para o conflito entre ferrovia e área urbana, viaduto deve ser construído em 2014, com recursos do governo federal

ALL anuncia que fará projeto executivo para obra de viaduto sobre ferrovia, na Vila Real

O prefeito Antonio Meira recebeu, nesta terça-feira (29), a confirmação de que a ALL (América Latina Logística) irá realizar o projeto executivo para a obra de construção de um viaduto sobre a linha férrea na Vila Real. O pedido de parceria foi feito pelo prefeito, em setembro, durante a reunião do CD-RMC (Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas). O projeto, orçado em R$ 1,1 milhão, é uma exigência do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para licitar a obra. A construção do viaduto terá investimento de R$ 30 milhões do governo federal. Com o apoio da ALL, a Prefeitura de Hortolândia deve apresentar o projeto nos próximos meses, agilizando o processo para a contração de empreiteira responsável pelo trabalho. A obra será iniciada em 2014.

A confirmação da parceria entre a Administração Municipal e a concessionária que gerencia a ferrovia foi anunciada pelo diretor de relações institucionais da ALL, Pedro Roberto de Almeida, em reunião no gabinete do prefeito. “Resolvemos o problema do município, da comunidade e da concessionária. Vamos entregar o projeto executivo e, com isso, solucionar definitivamente a situação da passagem em nível, evitando acidentes e salvando vidas”, destacou Almeida.

“As margens da ferrovia estão todas urbanizadas em Hortolândia. É uma preocupação enorme para a Prefeitura eliminar estes conflitos. Investimos pesado em obras de pontes, viadutos e passarelas para pedestres. E contamos com o apoio de parceiros, como a ALL, para o desenvolvimento de mais projetos como este, do viaduto da Vila Real”, comentou Meira.

Publicidade

O apoio da ALL virá como contrapartida à duplicação da ferrovia, ação prevista para ocorrer no próximo ano. Isso porque, apesar da duplicação da malha ferroviária ser uma ação positiva do ponto de vista econômico, a obra vai triplicar a quantidade de vagões que passam pela cidade. De acordo com a Secretaria de Obras, passam diariamente pelo trecho de ferrovia em Hortolândia 700 vagões. Com a duplicação, serão mais de dois mil vagões por dia. Apesar de as passagens de nível serem ponto de parada obrigatória para veículos, de acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), há motoristas que se arriscam atravessando os trilhos sem a devida atenção.

Para garantir a segurança de pedestres e motoristas, a Prefeitura executa diversas obras para transposição da ferrovia. Um exemplo é o viaduto do Jardim Sumarezinho, que está em fase final de construção. Já na região do Parque dos Pinheiros, a Administração Municipal inicia a obra de uma ponte de continuidade à rua Flamboyant, em frente da Delegacia de Polícia. No trecho de linha férrea atrás do Shopping Hortolândia, no Remanso Campineiro, a Prefeitura licita a implantação de uma passarela. Há ainda projeto para construir uma barreira nas travessias do Jardim Sumarezinho e da Chácaras do Coelho, impedindo a utilização do trecho por pedestres.

“Vamos tirar todas as interferências da ferrovia com a vida urbana, seja com a construção de passarelas para pedestres ou viadutos”, afirmou o secretário de Obras, Ronaldo Alves dos Reis. Todas as ações e projetos que resultam em maior segurança para pedestres e motoristas nas passagens em nível da cidade seguem orientações de segurança da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

Fonte: Assessoria de Comunicação / Prefeitura de Hortolândia.

Publicidade


Nossa Cidade

Governo do Estado autoriza início de obras do viaduto do Jardim Nova Europa

Publicado

em

Obra estimada em R$41,9 milhões será realizada pelo Departamento de Estradas de Rodagem, autarquia do Governo do Estado, com apoio das prefeituras de Hortolândia e SumaréO governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, ao lado dos prefeitos de Hortolândia, Zezé Gomes, e de Sumaré, Luiz Dalben, assinou nesta terça-feira (28/06) a ordem de serviço para início das obras de construção do viaduto do Jardim Nova Europa, que fará a ligação ao Jardim Bandeirantes, criando uma rota viária com destino à rodovia Anhanguera e ao trevo da D. Pedro I.

“Uma obra de R$ 35,7 milhões começando agora e terminando em fevereiro de 2024. A gente sabe que vai ligar o Parque Bandeirantes, de Sumaré com o Jardim Nova Europa, ali em Hortolândia e vai mudar a realidade do trânsito da região”, disse Rodrigo.

Para o prefeito Zezé Gomes, o início da obra é um momento de grande emoção. Zezé lembrou dos mais de 20 anos de luta pela construção do viaduto e destacou a atuação do amigo e saudoso prefeito Angelo Perugini para efetização deste projeto de integração regional. “Desde quando o Angelo Perugini foi prefeito pela primeira vez, em 2005, a construção do viaduto do Nova Europa era debatida. Eu mesmo fui testemunha da luta desse homem para que essa obra saísse do papel. Hoje, com a graça de Deus, esse sonho começa a se transformar em realidade. Essa será uma obra que vai potencializar o desenvolvimento de toda a região do Nova Europa, abrindo caminhos para a chegada de novas empresas e favorecendo as indústrias que ali já estão localizadas. Estamos abrindo caminho direto para as rodovias Anhanguera e Dom Pedro I, diminuindo distâncias e favorecendo diretamente a nossa gente”, destacou o prefeito.

O investimento para a construção do futuro viaduto será viabilizado pela Secretaria Estadual de Logística e Transportes, por meio do DER (Departamento de Estradas de Rodagem). A obra fará a interligação entre os municípios de Hortolândia e Sumaré, sobre a linha férrea da concessionária Rumo Logística. A transposição terá 730 metros e garantirá mais mobilidade e opção de acesso a pedestres e motoristas entre os dois municípios.

Publicidade

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Hortolândia realiza aula experimental de Robótica com estudantes da rede municipal

Publicado

em

Aula inaugural, para alunos de 4o e 5o anos, aconteceu, nesta terça-feira (28/06), na Emeb Richard Chibim Naumann, no Jd. Interlagos

Estudantes da rede municipal de ensino de Hortolândia tiveram, nesta terça-feira (28/06), a primeira aula de Robótica. A aula experimental foi ministrada a estudantes do 4° e 5° anos do Ensino Fundamental, na Emeb (Escola Municipal de Educação Básica) Richard Chibim Naumann, no Jd. Interlagos. Segundo a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia, o projeto terá início em agosto deste ano e será expandido, pouco a pouco, de modo a beneficiar 3.614 alunos de 1º a 5º, em oito escolas de Educação Integral. 

Iniciativa da própria Prefeitura, o projeto é coordenado pela Diretoria de Ciência e Tecnologia e busca promover nos estudantes habilidades como criatividade, experimentação, trabalho em equipe, dentre outros. Desde abril deste ano, profissionais da educação passam por formação específica para trabalhar os novos conteúdos e práticas em sala de aula. Na disciplina, são usados kits da empresa Alpha Mecatrônica, composto por peças e placas de alumínio recicláveis, rodas de plástico com pneus emborrachados, motores, baterias e sensores de luz, temperatura, ruído, cor e distância, dentre outros itens.

As escolas envolvidas no projeto são: as Emebs Josias da Silva Macedo, no Jd. Nossa Senhora de Fátima, e Richard Chibim Naumann, no Jd. Interlagos; e as Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental) D. Ana José Bodini Januário, no Jd. Amanda; Armelinda Espúrio da Silva, no Jd. Nossa Senhora de Fátima; Dayla Cristina Souza de Amorim, no Jd. Santiago; Profa. Patrícia Maria Capelato Basso, no Residencial São Sebastião; Viva Mais, no Jd. Santa Clara do Lago; e Nicolas Tiago dos Santos Lofrani, no Jd. Sumarezinho. 

Publicidade

O plano da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia é, a partir das escolas integrais, expandir o projeto para todas as escolas de Ensino Fundamental da rede.

“Antes dessa aula acontecer, já preparei meus alunos. Temos o projeto de fazer nossa própria energia. Nossa maior energia é o Sol. Sem ele não tem nada. Já fizemos um robozinho com lata de leite! Minha intenção é despertar esse senso curioso que o ser humano tem, nossa existência, onde vivemos, o que podemos fazer se tudo acabar. Estudamos os primórdios do homem até o momento em que ele chegou à energia total. As aulas de Robótica, com certeza, vão trazer muita inovação para nossos alunos. Eu espero que os meus dominem o conhecimento para o bem, trabalhar com a lógica, mas não perder o coração do ser”, afirma o professor Gilmar Faria, que ministrou a aula inaugural.

O que é Robótica?

Segundo o Museu Espaço Ciência, órgão da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Pernambuco,“Robótica é um ramo educacional e tecnológico que engloba computadores, robôs e computação, que trata de sistemas compostos por partes mecânicas automáticas e controladas por circuitos integrados, tornando sistemas mecânicos motorizados, controlados manualmente ou automaticamente por circuitos elétricos. As máquinas, pode-se dizer que são vivas, mas ao mesmo tempo são uma imitação direcionada às pessoas (Seres Vivos)”.

Publicidade

Já para o NIED (Núcleo de Informática Aplicada), da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), “situações específicas de aprendizagem podem ser criadas a partir do uso de dispositivos robóticos integrados a outros recursos digitais. Nestes espaços a Robótica Pedagógica tem sido empregada como ferramenta auxiliar para se enriquecer e diversificar a forma como se ensina conceitos científicos tanto no contexto de sala de aula para aprendizado interdisciplinar de conteúdos curriculares quanto em uma fábrica no aprendizado, por exemplo, de princípios de automação”.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Continue Lendo

Nossa Cidade

Prefeitura reforça que é proibido criar e manter animais com casco em áreas urbanas

Publicado

em

Proibição inclui bois, vacas, cavalos, burros, porcos, cabras, cabritos, entre outros

Por mais que as pessoas gostem de ter animais, é importante que elas também se conscientizem que há algumas espécies que não podem viver no ambiente das cidades. É por esse motivo que a Prefeitura de Hortolândia reforça para a população que é proibido criar e manter animais com casco (ou ungulados), em áreas urbanas. Dentre os animais com casco estão bois, vacas, cavalos, burros, cabras, cabritos, dentre outros.

O DPBEA (Departamento de Proteção e Bem Estar Animal), órgão da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável reforça a orientação em virtude da grande quantidade desses animais soltos que tem sido constatada em ruas, áreas públicas e particulares do município.

O diretor do órgão, Vanderlei Fernando de Azevedo, salienta que a circulação desses animais em vias da cidade com fluxo intenso de veículos podem provocar acidentes de trânsito que podem ser fatais. 

Publicidade

Outro risco apontado pelo diretor é de âmbito sanitário. Ao estarem soltos em vias e áreas da cidade, esses animais soltos podem ser hospedeiros de carrapatos, transmissores de doenças, como a Febre Maculosa, que afeta o ser humano e pode causar a morte. 

O tutor que deixar animal solto em vias públicas está sujeito à notificação e multa. A população pode fazer denúncias sobre animais soltos em vias e áreas públicas ou particulares da cidade podem ser feitas ao DPBEA pelo telefone (19) 3897-3312. O denunciante não precisa se identificar. 

Após receber a denúncia, a equipe do órgão vai até o local onde foi informada a presença do animal solto. Caso o tutor não seja encontrado, o DPBEA recolhe e abriga o animal até que o tutor entre em contato com o órgão. O DPBEA está localizado na rua Athanázio Gigo, 60, Chácaras Recreio 2000.

Este artigo foi enviado pela Prefeitura de Hortolandia

Publicidade
Continue Lendo

Noticias

Populares