Connect with us

Analisar

Black Friday: psicóloga dá dez dicas para treinar o cérebro e evitar as compras por impulso

Publicado

em

Entender os gatilhos que estimulam o desejo de comprar ajudam a preparar o consumidor para a temporada de promoção

Nem a crise a econômica é capaz de frear as compras por impulso. A pesquisa “Uso do Crédito” realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que quatro em cada dez brasileiros compram por impulso, sem necessidade. Comportamento que tende a aumentar com a temporada da Black Friday.

Mas apesar de todos os estímulos do comércio, é possível evitar as compras desnecessárias nestes tempos de liquidação. Basta treinar o cérebro. A psicóloga Géssyca Saturnino afirma que para não cair nas armadilhas que levam às compras desenfreadas e por impulso, é preciso estar atento aos gatilhos mentais disparados quando estamos diante de uma promoção. “O comércio tem suas ferramentas para estimular o consumo e é preciso ficar atento e se preparar psicologicamente para comprar de forma racional”, explica. A seguir, dez dicas pra treinar seu cérebro para gastar menos.

Prefira fazer compras pela manhã – o cérebro tem uma reserva limitada de força de vontade. Ao longo do dia, tomamos várias decisões que acabam diminuindo esta reserva. Por isto, ao fazer as compras no final do dia, estamos mais propensos a ceder às vontades de comprar porque já tomamos uma série de decisões e a nossa reserva de força de vontade é menor. Para driblar este comportamento do cérebro, o ideal é fazer as compras pela manhã, quando estamos menos desgastados e mais resistentes aos impulsos.

Evite o efeito manada – efeito manada é o nome que se dá quando uma pessoa se deixa levar pelo comportamento alheio. Em épocas de promoção isto é muito comum.  “Ao ver uma loja cheia, com muitas pessoas comprando, o cérebro entende que aquilo é algo bom. Se todos estão comprando, eu vou comprar também”, exemplifica a psicóloga. Neste momento, é preciso parar e refletir. Será que a promoção vale mesmo a pena ou muitas pessoas também só estão comprando por impulso? Uma dica para evitar o efeito manada é fugir de aglomeração. “Prefira comprar em horários mais tranquilos porque isto favorece uma compra mais racional”, diz. Géssyca lembra ainda que as armadilhas do efeito manada começam bem antes de ir à loja. “Todos estão falando em Black Friday, em promoção e oportunidades para se comprar. A impressão é que o mundo vai comprar na Black Friday e isto pode levar o consumidor às compras mesmo que ele não queria ou precise de algo”, comenta.

Efeito escassez – promoções como a Black Friday podem gerar uma sensação de escassez, que leva à competição.  “Não fique de fora”, “Última Peça”, “Só Hoje”. Algumas destas ferramentas usadas pelo comércio aumentam o medo de ficar de fora entre os consumidores, de perder a oportunidade. E estar fora do grupo provoca um sentimento de exclusão. Por isto é preciso ficar atento a este gatilho mental, que é despertado até nas vendas on-line, por meio de relógios com contagem regressiva. Géssyca explica que é preciso ficar atento porque muitas destas ferramentas são apenas uma pressão artificial para fazer o consumidor gastar mais.

Saiba lidar com a pressão – não é porque o vendedor está te atendendo bem que você é obrigado a comprar determinado produto, mesmo quando não gostou. Agradeça, seja gentil e saia da loja. Entenda que é o trabalho do vendedor prestar um bom atendimento. “É muito comum ouvirmos que do consumidor que ele só comprou determinado produto porque o vendedor o atendeu bem. Isto acontece porque a compra é um momento de prazer e o consumidor não quer interromper esta sensação”, diz. 

Comprar para não perder a viagem – comprar para não perder a viagem é um comportamento muito comum em períodos de promoções instantâneas, como a Black Friday. O consumidor vê uma promoção ou propaganda, vai até a loja, mas não encontra mais o produto. E para não perder a viagem, ele acaba comprando outro, mesmo sem necessidade. Para a psicóloga, o consumidor acaba se recompensando porque por não ter encontrado o que realmente queria. “Não precisa se sentir mal porque não encontrou o produto ou perdeu a promoção. Não veja isto com uma perda de tempo. Guarde o seu dinheiro sem ficar chateado”, orienta.

Drible os impulsos – dizem que muitos impulsos não sobrevivem a uma boa noite de sono. Ao bater aquela vontade desesperada de comprar algo, experimente adiar a compra em um dia.  Se não conseguir esperar 24 horas, experimente respirar fundo e dar uma volta antes de comprar. A psicóloga Géssyca Saturnino explica que a dopamina, hormônio do prazer, é liderado dois segundo e meio depois da decisão de comprar. Se você tiver um pouquinho de paciência, vai conseguir superar esta vontade repentina e desesperada de comprar.

Evite o efeito auréola – o efeito auréola, também conhecido como efeito halo, nos faz pensar que as ofertas no interior da loja são iguais às que estão na vitrine porque nivelamos tudo pela impressão inicial. Ou seja, encontraremos tudo com as mesmas proporções de descontos. Se o cliente não pesquisar antes, se não souber o valor real do produto, pode achar que está comprando algo com bons descontos apenas porque as promoções da vitrine são atraentes.

Crie defesas mentais para gastar menos – Géssyca explica que o nosso cérebro utiliza ferramentas, conhecidas como âncoras, para não se sobrecarregar com as decisões. As âncoras são técnicas para criar gatilhos mentais para ativar sentimentos e pensamentos diante de um estímulo, no caso das temporadas de promoções, as compras. Uma âncora que pode ajudar o consumidor a gastar menos é calcular quantas horas ele precisa trabalhar para comprar determinado produto. Ao estabelecer esta relação, o consumidor terá mais consciência se a compra realmente vale a pena. “Este é um parâmetro que pode ajudar muito na hora de decidir uma compra”, comenta.

Cartão ou Dinheiro – se a ideia é não gastar ou gastar pouco, prefira pagar com dinheiro ou no cartão de débito. Ao longo dos anos o dinheiro mudou de forma. E a maneira como nos relacionamos com ele também. O pagamento parcelado, no cartão, no cheque ou no boleto, reduz a culpa da dor do pagamento. “Não estamos vendo a carteira ficar vazia e isto nos dá uma falsa segurança que nos leva a gastar mais”, afirma Géssyca.

Entenda seu estado emocional – a temporada de promoção é uma boa época para comprar aquele produto tão desejado e ainda economizar. Mas antes de ir às compras, é preciso entender como está o seu emocional. A psicóloga Géssyca Saturnino explica que muitas pessoas compram para preencher vazios, driblar frustrações e espantar a tristeza. E com os estímulos do comércio, fica ainda mais fácil tentar substituir as frustrações pelas compras. “É preciso cuidado e entender o porquê você está indo às compras? Para aproveitar as ofertas, comprar algo necessário ou para esquecer os problemas? Ter consciência do seu estado emocional vai te ajudar a não gastar mais do que o necessário”, diz.

Analisar

Renner responde notificação do Procon sobre ataque cibernético

Publicado

em

Em resposta, Renner informa que não há indícios de transferência não autorizada de dados

Logo após o ataque cibernético que a Lojas Renner sofreu em 19 de agosto, o Procon-SP notificou a empresa pedindo explicações sobre o episódio – a empresa foi questionada sobre os bancos de dados atingidos, nível da exposição, período que o site ficou indisponível, se houve vazamento de dados pessoais de clientes e de outras informações estratégicas, plano de proteção e recuperação executado, canais de atendimento disponibilizados aos consumidores durante a ocorrência, entre outras informações.

A Renner respondeu às perguntas e informou que, até o momento, não há indícios de transferência não autorizada de dados, tampouco de que o incidente tenha comprometido a base de dados pessoais gerando risco ou dano relevante aos titulares de dados pessoais. O caso será encaminhado para análise e acompanhamento da equipe de fiscalização.

“As empresas que agirem como controladoras de dados pessoais devem se acautelar no sentido de providenciarem mecanismos de minimização de danos. Mais do que isso, a implementação de compliance digital e estabelecimento de chaves de segurança podem trazer maior confiança quanto ao sigilo de dados dos consumidores”, afirma o diretor executivo do Procon-SP, Fernando Capez.

Esclarecimentos da empresa

A Renner relatou que foi vítima de ataque do tipo ransomware, o qual paralisou parte do seu parque de tecnologia da informação e gerou indisponibilidade temporária do site e aplicativo; que assim que teve ciência do fato alertou os responsáveis; e que o e-commerce foi retomado no site no dia 21/8 e no dia 22/8, no aplicativo.

Sobre a segurança cibernética, esclareceu que adota estratégia em multicamadas e discriminou os controles e ferramentas implementados. Sobre o cadastro no portal informou que ao usuário são solicitados os seguintes dados: e-mail, CPF, nome completo, data de nascimento, telefone e gênero (sendo este último não obrigatório) e que há necessidade de criar login e senha; informou ainda que os dados dos clientes são coletados utilizando criptografia de padrão internacional, sendo possível solicitar a atualização ou exclusão.

Continue Lendo

Analisar

Gabriel Gadelha vai gravar DVD em Campinas/SP com participações especiais

Publicado

em

Dia 05 de outubro vai ser uma data que ficará eternizada na carreira do cantor e compositor Gabriel Gadelha. O artista campineiro irá receber no palco da Paioça do Caboclo, em Campinas/SP, grandes amigos e artistas para a gravação do quarto disco de sua carreira. Intitulado “Minha Vez”, o projeto terá as participações de Guilherme & Benuto e Clayton & Romário.

O DVD vai contar com 12 faixas, sendo que cinco delas são composições do próprio Gabriel, evidenciando seu lado compositor. A produção musical ficou a cargo de Juninho Sarpa. A direção de vídeo é de Leonardo Nemésio, da CHvideo. A produção executiva é da OGN Música.

O evento irá ocorrer respeitando todos os protocolos de higiene e segurança determinados pelos órgãos de saúde local.

GABRIEL GADELHA

Gabriel Gadelha é cantor e compositor, e nasceu em Campinas, cidade do interior do Estado de São Paulo, onde atualmente reside. Começou sua carreira como artista, aos 14 anos de idade, no norte do Paraná, onde morava e já se apresentava em barzinhos e restaurantes em meados de 2011. Nesta época, também aflorou seu lado compositor, e já escrevia suas primeiras canções.

Em 2012, retornou para Campinas, e no ano seguinte lançou o seu primeiro CD, com músicas de sua autoria e algumas regravações. Neste mesmo ano, Gabriel começou a se destacar pelos palcos do interior paulista, realizando a abertura de shows de diversos artistas, entre eles Luan Santana, Paula Fernandes, Milionário & José Rico e Jorge & Mateus, além de se apresentar em reconhecidos rodeios como os de Americana, Jaguariúna, Sumaré e Barretos.

Depois da gravação de seu segundo CD “Gabriel Gadelha – Coração de Gelo”, em 2018, Gabriel Gadelha fez uma homenagem aos caminhoneiros durante a paralisação geral que aconteceu naquele ano. O artista, então, ficou conhecido em grande parte do país com sua música “Coração da Pátria”, que foi intitulada pelos próprios homenageados como o “Hino dos Caminhoneiros”.

Após a música emplacar o nome do artista em várias regiões do Brasil, Gabriel foi convidado a cantar na Festa do Peão de Barretos, representando os caminhoneiros. Nas edições de 2018 e 2019 do rodeio que é considerado o maior do Brasil e um dos maiores do mundo, Gabriel esteve marcando presença fazendo seu show – que ele

considera ter sido uma das apresentações mais especiais de sua carreira.

Em 2021, Gabriel Gadelha gravou o terceiro registro da sua carreira, um pocket DVD na cidade de Londrina/PR. Neste trabalho, destacaram-se as faixas “Rei do paredão”, “Chumbo trocado dói sim” e “Papo virtual”.

Continue Lendo

Analisar

Morre Sérgio Mamberti. Eterno doutor Vitor de Castelo Rá-Tim-Bum

Publicado

em

Na madrugada desta sexta-feira (03), o ator Sérgio Mamberti morreu em São Paulo, aos 82 anos. O artista estava internado em um hospital da rede Prevent Senior, na capital paulista.

O artista marcou a infância de muita gente interpretando o doutor Vitor no clássico Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura

A morte foi confirmada ao portal G1 pelo filho dele, Carlos Mamberti. O ator estava entubado, com infecção pulmonar, e faleceu em decorrência de falência múltipla de órgãos.

Em julho deste ano, Mamberti havia sido hospitalizado para o tratamento de uma pneumonia. Chegou a passar por uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, após cerca de 15 dias, se recuperou e teve alta.

Nascido em 22 de abril de 1939, na cidade de Santos (SP), Mamberti teve diversos papéis de destaque ao longo de mais de 60 anos de carreira. O pontapé inicial foi no teatro, em 1962, com a peça Antígone América, escrita por Carlos Henrique Escobar, produzida por Ruth Escobar e dirigida por Antônio Abujamra.

Continue Lendo

Populares